Durinho brilha no MMA, mas não abandona o Jiu-Jitsu

Share it

Gilbert Durinho comemora a vitória sobre Vinicius Bohrer no WOCS 20. Foto: Pingo de Souza/Divulgação.

Fera dos tatames, o faixa-preta de Jiu-Jitsu Gilbert Durinho começa a seguir a mesma trajetória nos cercados do MMA. No último sábado, dia 4 de agosto, o campeão mundial com e sem kimono superou Paulo Roberto por nocaute técnico, no evento Champion Fight, em Salvador, na Bahia. “Foi bom nocautear. Na verdade eu estava abrindo caminho para finalizar, mas ouvi o juiz dizendo que se ele não tentasse se defender, que ele iria acabar a luta. Aí aumentei o volume de golpes e o juiz interrompeu. Mas ainda prefiro finalizar, esse é o foco nas lutas”, disse o lutador, que chegou à quarta vitória no MMA.

“Eu tento sempre prestar atenção aos detalhes, por menores que eles sejam, e sempre quero corrigir meus erros, mesmo na vitória. Acho que nesse começo de carreira é comum cometermos erros, e estou tentando minimizá-los. Venci a luta e de maneira rápida, com pouco mais de um minuto, mas sei que cometi erros, e tenho que corrigi-los para assim manter uma evolução constante”, comentou.

“Eu achei que não entrei tão concentrado na luta, dei um chute baixo, não estava encontrando a distância, me movimentei bem, fintei, e tentei um mae geri (chute frontal do karatê) na barriga, onde acabei escorregando, e caindo, me levantei rápido e a luta continuou. Já estou trabalhando nos erros, na concentração, distância e outros erros”, completou.

Quanto ao futuro, a prioridade é continuar treinando e ajudando Vitor Belfort. “Agora é treinar, quero aprender mais, evoluir mais, cada vez me sentir mais à vontade, espero fazer uma luta no começo de setembro. O foco agora é a luta do Vitor, ele tem que estar 100% para essa próxima luta, mas estarei treinando e se não for atrapalhar o foco dele, acho que lutarei em setembro”, disse Durinho, que não abandonou as competições de Jiu-Jitsu.

“O Jiu-Jitsu não tem como eu abandonar, treino muito com e sem kimono, adoro, sou praticamente viciado, não tem como eu não treinar Jiu-Jitsu. Mas competir fica um pouco difícil. Espero ainda lutar esse ano, tem duas competições que gostaria muito de disputar, se eu estiver no Brasil. Uma delas é o Sul-Americano, que farei de tudo para lutar. Caso esteja no Estados Unidos, vou no Mundial Sem Kimono, que também é um torneio que gosto bastante. Ou um ou outro, eu irei lutar sim”, encerrou.

Confira os resultados completos:

Champion Fight
Salvador, Bahia
4 de agosto de 2012

Ewerton Teixeira venceu Raul Bazanes por KO no R2
Edilberto Crocotá finalizou Manoel Conti com um katagatame no R1
Gilbert Durinho venceu Paulo Roberto por TKO no R1
Renato Velame finalizou Rogerio Wolverine com uma chave de joelho no R1
Bruno Menezes finalizou Thomas Rô com uma chave de braço no R1
Marcio Velaminho finalizou Adão Gavião com um mata-leão no R1
Júnior Orgulho venceu Vicente Luque por decisão dividida dos jurados
Fábio Monstro venceu Allan Sotozem por nocaute técnico no R1
Isaac Silva venceu Hengel Andrade por KO no R1

Ler matéria completa Read more
There are 4 comments for this article

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.