Kron Gracie e o Jiu-Jitsu clássico e sem firula que funciona

Share it
Kron Gracie finaliza Leandro Lo, no Mundial de Jiu-Jitsu 2011. Foto John Lamonica

O filho de Rickson finalizou Leandro Lo no Mundial de Jiu-Jitsu em 2011. Foto: John Lamonica/GRACIEMAG

É possível vencer (e convencer) no Jiu-Jitsu de competição hoje sem pernas entrelaçadas, técnicas de última geração ou outras modernidades? O que você acha?

Kron Gracie, vice-campeão mundial em 2011, tem provado que sim.

Veja o vídeo e comente o que achou.

Ler matéria completa Read more
There are 9 comments for this article
  1. Flavera_jitsu at 5:12 am

    na verdade o que existe é a evolução no jiu jitsu como em outros esportes, mas eu prefiro o jiu jitsu classico com passada, raspagem… bem tecnico mas sem enrosco, mas tenho que admitir que berimbolo e etc são posições bem tecnicas também onde não gostava de atletas como r. mendes e outros mas prestando atenção no jogo dos caras tive que tirar o chapeu pois os caras são sinistros mesmo.

  2. Marioluisfernandes at 1:20 pm

    Uma pena, video altamente tendencioso tentando impor uma mentalidade retrógrada aos desavisados. Se você faz um jj clássico e está satisfeito parabéns. Mas a evolução , como em todos os esportes, é o que motiva o aprendizado constante e, com raras exceções , os superatletas atuais estão desenvolvendo um JJ competitivo, progressivo, trazendo novidades interessantes. Perguntem ao Fabio Gurgel ( general da academia inúmeras vezes campeã ) e outros professores atualizados o que eles acham. O Kron é um grande lutador, não é o melhor que fique claro, tem enormes méritos de participar das competições. Há lutadores geniais dos tempos modernos e de algum tempo que também revolucionaram o JJ com movimentos inovadores ( por exemplo : Roleta, NIno e outros )

    • Felipe Amorim at 10:35 am

      tentando impor uma mentalidade retrógrada aos desavisados…..concordo quando você menciona roleta e nino, realmente eles deixaram a sua parcela de contribuição ao esporte, pergunte ao fábio gurgel quem é seu maior ídolo no jiu-jitsu, e qual o tipo de jiu-jitsu que ele mostrou até pouco tempo atrás quando competia? respondo pra você, o fábio sempre se espelhou no jiu-jitsu do rickson e sempre mostrou o jiu-jítsu clássico nas competições, sendo esse mesmo jiu-jitsu o responsável por ter segurado o ímpeto de ricardo arona na final do mundial de 2000, foi esse mesmo jiu-jítsu que foi passado pra marcelo garcia que o fez vencer andré galvão 6 vezes, sendo duas delas no mesmo campeonato, o brasileiro de 2006 e no mesmo ano o Mundial, foi esse mesmo jiu-jítsu que no brasileiro de 2006 após bater Galvão ,e ainda por cima ter vencido Demian Maia, que na época afirmou: marcelinho, quando chega na meia guarda, parece que tem 90 kilos, não dá nem pra se mexer……nada mais do que a perfeita distribuição de peso…. então é aquilo que eu falei, enquanto quiser ficar no pano, pode fazer origami com kimono a vontade, mas quando for pro vale tudo-que é o caminho natural e rentável para todo lutador-, inevitavelmente vai sofrer, e muito!!!!

  3. Marioluisfernandes at 1:17 pm

    Felipe, você está corretíssimo em seus argumentos. O que importa é não se fechar às novidades. As regras e os juízes servem para evitar as amarrações e o jogo improdutivo. Sou favorável à evolução constante e é muito gratificante ver essa nova geração com movimentos revolucionários. Poderíamos citar vários, mas seria injusto com alguns. Um grande abraço

    • Felipe Amorim at 5:31 pm

      um grande abraço pra você também marioluis, é como bem disse Buda: a sabedoria está no meio. que bom que nós internautas e lutadores temos um espaço democrático para discutirmos os nossos pontos de vista. abração.

  4. Felipe Amorim at 5:41 pm

    esse debate é tão apaixonante, que nos faz refletir sobre alguns argumentos aqui apresentados: fala-se que tem que se aprender técnicas novas….. até aí nada demais, compreensível e aceitável, haja vista a evolução das competições, mas como já sou leitor da gracie há mais de 10 anos me lembro de uma matéria com o saulo que em uma ocasião indo na academia do Rickson na califórnia, ele fez a seguinte observação para o Rickson: rickson, nego lá no brasil tá utilizando essa posição aqui, tá fazendo esse jogo aqui, a resposta do Rickson: bicho, não deixa chegar aí, corta o mal pela raiz…….aí o tempo passa, e o Rickson começa a dar seus seminários com os movimentos que realmente importa, mas chamando atenção aos detalhes-talvez seja isso que esteja levando a essa loucura de 50/50, berimbolo, entre outras coisas-, depois vem o roger e finaliza em um mundial todo mundo com um estrangulamento básico da montada que se aprende na faixa-branca…..aí vem o xande assustando todo mundo e mostrando que ainda tem muito gás pra queimar, com o mesmo jiu-jitsu 101, o jiu-jitsu básico, sem contar no maior fenômeno dos últimos tempos o Rodolfo Vieira, e porque não mencionar o Buchecha também? o jogo dele é básico, super explosivo, então essa discussão ainda vai dar muito pano pra manga, se aqui no fórum é assim, imagina nas academias? abração a todos.

  5. Flavera_jitsu at 4:54 am

    e se todo mundo tivesse o mesmo estilo clássico e basico? não iria ter graça certo? e se todo mundo fosse tecnico ? então lutem todos com seus estilos seja classico ou amarrado tecnico ou raçudo, em todos os esportes tem essa mescla natural e esse tipo de evolução, onde no jiu itsu a suavidade reina para sempre mas todos não tem como ter estilos iguais … ainda bem…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *