Ex-campeão do UFC, Frankie Edgar explica onde você mais erra no Jiu-Jitsu

Share it
Cachorrão e Edgar. Foto: Divulgação.

Ricardo Cachorrão e Frankie Edgar na academia em Nova Jersey. Foto: Divulgação.

Faixa-marrom de Jiu-Jitsu e ex-campeão dos leves do UFC, o boa-praça Frankie Edgar, 30 anos, lançou seu reality show, e quem ganha somos nós, abastecidos com centenas de lições.

Nos dois primeiros episódios, o aluno de Ricardo Cachorrão e Renzo Gracie fala sobre a luta principal do UFC 150, lembra o que aprendeu nesses sete anos de carreira, discute sobre baixar de categoria para brigar com José Aldo e desfia diversas lições de Jiu-Jitsu e MMA.

Exemplos?

1. Competir é evoluir

“Se você vai todo dia à academia, treina e observa, você vai melhorar. Mas é ao competir que você realmente aprende. Seu jogo se desenvolve mais rápido a cada campeonato”, explica Frankie.

2. O bom aluno de Jiu-Jitsu é o que tenta provar para si mesmo que é capaz

Para Ricardo Cachorrão, Frankie é um dos mais dedicados alunos que teve não apenas por repetir, repetir e repetir as técnicas. Mas por fazer isso para agradar a si mesmo, não aos instrutores. “Ele tenta se superar sempre. Não para mostrar que é melhor que ninguém, mas para provar para ele mesmo que é capaz de fazer aquilo”, diz Ricardo.

3. Em time que está ganhando não se mexe

Golpe bom é o que funciona. Jeito certo é o que você consegue para finalizar. Se está dando certo do jeito que está, você está fazendo certo. Quando começar a dar errado, busque as falhas e corrija. É o que Renzo Gracie ensina no vídeo, ao falar do peso de Frankie. “Ele já era o campeão dos leves quando o UFC criou a categoria dos penas. E como dizemos no Brasil, em time que está ganhando não se mexe”, diz o Gracie.

4. Baixar de peso não é fórmula do sucesso

“Vou acabar baixando de peso no futuro, mas isso não é nenhuma fórmula garantida para o sucesso no UFC. Baixar de peso não significa que o cara vai chegar lá e dominar o novo peso”, explica Edgar.

5. Perdeu? Não tente fazer algo diferente, tente fazer algo melhor

Sobre a derrota parelha para Ben Henderson, Frankie ensina: “Quando provo o gosto da derrota, fico doido para ter a chance de lutar com o cara de novo e retribuir”, diz. “Para essa revanche no próximo dia 11, não pretendo fazer nada muito diferente. Apenas fazer o mesmo só que melhor”.

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.