Bochecha e a arte de não se entregar no Jiu-Jitsu

Share it

Você lembra qual foi a primeira vitória de grande repercussão de Marcus Vinicius “Bochecha” de Almeida no Jiu-Jitsu?

O exímio guardeiro da CheckMat de Santos, em São Paulo, brilhou pela primeira vez para o mundo em março de 2010, ainda na faixa-marrom, graças a uma final eletrizante da categoria dos pesadões. Um campeonato que, dois anos antes, já contava com alguns dos personagens principais do Mundial 2012.

Relembre o fim do artigo da seletiva carioca para Abu Dhabi, e veja como Bochecha já lapidava talvez sua melhor qualidade como lutador: jamais se entregar ou se render à tirania do cronômetro.

“(….)

Até 92kg: Joelho ruim, cabeça boa

Atual campeão dos pesados em Abu Dhabi, Rodolfo Vieira venceu Bráulio Estima ano passado, mas nem isso amoleceu o coração dos xeques e dos organizadores. Após perder para Alex Ceconi a final da seletiva em Gramado, Rodolfo precisou enfrentar Léo Nogueira (Alliance), Antonio Braga Neto (Gordo) e Alexandre Souza (Gracie Floripa) no mesmo dia. Como se não pudesse piorar, Vieira viu Souza cair em cima de seu joelho com um minuto de luta.

‘Esse pessoal me ama, só adversário pedreira. Achei que este ano iam me aliviar, mas nada’, riu. Foi uma conquista antológica para Rodolfo, que finalizou Braga Neto no pescoço e na final venceu Souza via decisão dos árbitros, após empate nas vantagens. A luta foi equilibradíssima, mas os juízes não tiveram dúvidas: 2 a 1 para a fera da GFTeam, que esta manhã foi ao hospital ver o joelho.

Acima de 92kg: Um faixa-marrom chega lá

Do jeito que o nível estava alto este fim de semana, parecia difícil que algum faixa-marrom furasse o bloqueio e faturasse a vaga em Abu Dhabi. Na categoria acima de 92kg, por exemplo, o franco favorito era Augusto Ferrari, o aluno de Barbosa que popularizou a jegueplata, finalização esquisita e eficiente.

Do outro lado da chave, no entanto, estava o guardeiro Marcus de Almeida, o Bochecha (ele assina ‘Buchecha’). No GRACIEMAG.com no sábado, um leitor avisava: ‘Vocês não falaram do Bochecha? Vão ter de falar dele depois, hein!’. Não deu outra: perdendo a final por três vantagens, o aluno de Rodrigo Cavaca virou a luta contra Ferrari faltando apenas 15 segundos, com uma manobra interessante que o fez chegar nas costas. O apito final foi a senha para Bochecha se desmanchar em lágrimas, com um fecho de ouro sensacional para a seletiva.”

Isso em 2010, hein! Veja o artigo completo aqui, e diga: qual para você é a melhor qualidade de Jiu-Jitsu como lutador? Comente com a gente. E veja a luta abaixo:

Ler matéria completa Read more
There are 4 comments for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *