O policial carioca que ama estar atrás das grades explica por que luta MMA

Share it

Eduardo Herdy de luva azul nas "grades" do Bitetti Combat Rocinha, no último dia 4. Foto: Allen Silva/Divulgação

Instrutor de Jiu-Jitsu e boxe na Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), Eduardo Herdy vem chamando a atenção no MMA. Treinado por Osiris Maia e Ricardo Tinha no boxe, o lutador invicto obteve sua segunda vitória no Bitetti Combat Rocinha, no último dia 4 de maio, contra Ronaldo Arada Milan (Paraná Fight Team).

Lutar Jiu-Jitsu e MMA faz de Herdy um melhor policial de elite? O GRACIEMAG.com ficou curioso quanto a isso e bateu um papo com o casca-grossa gente boa, atleta da categoria até 77kg.

Por que você luta?

Eu luto pela glória. Como diz o Hino Nacional Brasileiro, quero “paz no futuro e glória no passado”. Mais velho, quero olhar para trás e desfrutar disso. Lutar é também evoluir mais rapidamente. Em contato com lutadores de escolas diferentes, o nível técnico do atleta melhora e, consequentemente, reflete nos seus companheiros de treino e na academia de uma forma geral. Na minha opinião tudo começa no treino. Este dura meses, anos, a luta às vezes dura poucos minutos. Meu objetivo no MMA é chegar ao topo, quero muitos cinturões. Não foi à toa que eu fiz a luta reserva no GP do Bitteti Combat 10 e também no BC 11 (GP até 70kg). Se alguém não pudesse continuar, eu estava lá faminto para entrar. De qualquer forma, não faço planos, gosto de lutar.

http://www.youtube.com/watch?v=PcmKtoy62I0

Nessa foto que você nos enviou parece ter baixado um tailandês ali. Como funciona sua cabeça no MMA?

Na verdade nada baixa ou vem de graça. Eu treino boxe tailandês há muito tempo, desde 1995, na Academia Brazilian Fight, com Osiris Maia. Tenho a honra de ter recebido duas faixas-pretas desse grande mestre, a de Jiu-Jitsu e de boxe tailandês. Não esqueço do Ricardo Tinha, que afia minhas mãos no boxe. Estou ficando cada luta mais confiante para ir para cima. Na minha estreia, em 2011, acho que fui bem. Na minha segunda luta me achei bem mais preparado. Assim vou, treinando duro, lutando e evoluindo. Pretendo chegar ainda melhor na terceira. O cartel está ficando bom, duas lutas e dois nocautes no primeiro round.

O que o povo que vem do Jiu-Jitsu puro erra mais no MMA?

Apavorar-se e tentar botar para baixo de qualquer jeito. O objetivo do jogo do striker, além de contundir o adversário, é frustrar o lutador de chão nas suas investidas em botar para baixo. Se esse for o único recurso do lutador de solo ele vai se perder. Mesmo sendo especialista no chão, o atleta deve treinar ao ponto de se sentir confortável em pé, afinal é onde a luta começa.

O que você recomenda para policiais que querem exercer seu ofício com segurança?

Sempre estude os casos, aprenda e recicle seus conhecimentos. É fundamental estudar para aprender com os erros do passado. Analise os equívocos de terceiros, algo que infelizmente ocorre. Veja o que pode ser melhorado e, principalmente, tenha sempre bom senso. Essa expressão é essencial em tudo na vida, e não é diferente no trabalho policial.

Que técnica de defesa pessoal o policial deve dominar?

O policial deve evitar contundir o cidadão, e para isso não vejo nada melhor do que o Jiu-Jitsu. As posições de domínio da arte suave são excelentes para o trabalho policial. Obviamente, existem algumas diferenças, pois o policial não pode expor sua arma. É um diferencial para as posições tradicionais do Jiu-Jitsu. Acredito que, para o iniciante, praticar pelo menos três vezes na semana é o suficiente, até pelo excelente exercício físico que a luta proporciona.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *