Gurgel e o TUF Brasil: “Acho possível o uso de qualquer técnica de Jiu-Jitsu no MMA”

Share it

Fabio Gurgel num rola com Roger Gracie em 2010. Foto: Arquivo pessoal

O renomado faixa-preta de Jiu-Jitsu Fabio Gurgel está preparando seus soldados da Alliance para o Mundial da Califórnia, mas antes tem outras missões, inclusive ao lado do astro do UFC Lyoto Machida. A primeira empreitada é no sempre acirrado Campeonato Brasileiro, que a CBJJ organiza a partir desta sexta-feira, no Grajaú Country Club, no Rio.

Com a agenda cheia, o general vem de três dias de seminários no Bahrein, no Golfo Pérsico, e ainda passou um dia com Roger e Kyra Gracie em Londres. De São Paulo, o professor analisou a temporada: “Temos o Brasileiro, um seminário em Belém do Pará, com o Lyoto Machida, e depois vem o camp da Alliance, em maio, para o Mundial de Jiu-Jitsu da IBJJF”, adiantou ele ao GRACIEMAG.

Indagado sobre a constante evolução da arte suave e das novas posições que vêm surgindo – como legdrag, variações de guardas, berimbolos e a passagem do Rodolfo – Gurgel analisou: “O Jiu-Jitsu está em frequente evolução, e todas essas posições citadas não surgiram necessariamente em tempos recentes. Mas, de fato, estão ficando mais populares hoje. Eu acredito que muito mais está por vir, é isto que faz o esporte não parar de crescer. Ninguém nunca é bom de Jiu-Jitsu, pois um tempo pequeno afastado dos tatames e você fica sem conseguir entender as novas técnicas”.

Fabio Gurgel aproveitou também o gancho do TUF Brasil, onde seu pupilo Serginho Moraes brilha, para falar do Jiu-Jitsu aplicado ao MMA. Ele lembrou da finalização de Serginho no TUF como sinal de que o Jiu-Jitsu não para de surpreender.

“Vocês viram o Serginho finalizando no TUF de dentro da guarda 50/50, não viram? Pois é, o Jiu-Jitsu moderno e criticado prova que também funciona no MMA. Acho totalmente possível o uso de qualquer técnica de Jiu-Jitsu no MMA, desde que executada no tempo e de forma correta”, encerrou.

Confira um pouco do estilo de Serginho Moraes no Jiu-Jitsu, entre uma pirueta e outra.

Ler matéria completa Read more
There are 2 comments for this article
  1. Jack at 11:22 pm

    nem sempre, para levar para o chão, eh necessario trocar duro, dai ver as chances de pegar numa chave etc. Apos minutos de luta, o suor deixa o grapping ainda mais dificil de ser aplicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *