Master com gás de adulto, Flavio Cachorrinho comenta ouro duplo no Pan 2012

Share it
Flavio Cachorrinho contra Fabio Leopoldo (de branco), no Pan de Jiu-Jitsu 2012. Foto: John Lamonica/GRACIEMAG.

Flavio Cachorrinho contra Fabio Leopoldo (de branco), no Pan de Jiu-Jitsu 2012. Foto: John Lamonica/GRACIEMAG.

Um dos faixas-pretas mais festejados durante o Pan de Jiu-Jitsu 2012 não estava na categoria adulto. O peso pesado Flavio “Cachorrinho” Almeida, professor da Gracie Barra San Clemente, sobrou no master, faturando o peso e o absoluto em Irvine. Cachorrinho, além dos duros oponentes, ainda precisou superar a expectativa dos torcedores, que queriam ver também o irmão Ricardo Cachorrão em ação. O GRACIEMAG.com bateu um papo rápido com o professor e um dos líderes da escola de Carlos Gracie Jr.

Como foram essas duas finais com um ex-parceiro de treinos, o Fabio Leopoldo?

Foi muito legal. Encaro com bastante naturalidade esse confronto com antigos parceiros de treino. Sempre tive um ótimo relacionamento com o Fabio e, apesar das nossas divergências, mantenho meu respeito por ele, especialmente dentro do tatame. Ele é um grande lutador. Sempre treinei muito com o Fabio e conheço bem o jogo dele. Sei que o forte dele é a meia-guarda para o lado direito. Montei um plano que deu certo, com a ajuda do meu irmão Ricardo.

O que você aprendeu com esse título absoluto, ainda mais no quintal de casa?

Cara, meu maior desafio é manter as empresas em ordem enquanto me dedico aos treinamentos. Minha jornada para o Pan comecou no início do ano, com muito planejamento e organização. A conquista não foi a vitória em si, mas eu ter conseguido entrar naquela forma física e técnica sem deixar a peteca cair na Associação de escolas GB nem nas minhas próprias escolas. Meus parceiros não só de treino mas de trabalho foram fundamentais para que eu conseguisse isso. O mais maneiro foi que todo mundo estava lá. Minha esposa, minha filha, minha equipe de trabalho, minha equipe de treino e os nossos alunos da GB San Clemente e Dana Point. Acho que a galera se identifica e vibra muito porque sabem que tenho um milhão de obrigações fora dos treinos, e ainda consegui lutar tão bem.  Essa é a realidade de muitos professores da GB hoje.

Que espécie de lição, então, você deixa para os fãs e alunos com o ouro duplo?

Quero muito que meus alunos e companheiros da GB percebam que dá, sim, para manter uma boa forma física e técnica e ainda mandar bem nas nossas obrigações administrativas relacionadas ao projeto de transmitir o Jiu-Jitsu para todos, como é o lema da escola. Lutei também por eles. Para dar esse exemplo.

Como funciona você em ação e o Marcio Feitosa no córner? Pelo entrosamento diário na Associação GB, imagino que seja mais fácil. Ou não?

Cara, isso é magico! Não me considero um lutador muito inteligente (risos). Sou o cara mais da força ali na hora H. E o Marcio é brilhante na estratégia, enxerga coisas na luta de Jiu-Jitsu antes de elas acontecerem. Quando ele está no meu córner, meu desempenho é muito melhor. Ter o Ricardo lá somando foi ainda mais legal! Ricardo é tido por muitos como um dos melhores coaches de Jiu-Jitsu do mundo, e ter o apoio dele foi fundamental. Ele que fez os ajustes finais em meu jogo para eu lutar bem com o Fabio.

Seu irmão acabou não lutando. Você ficou frustrado com isso?

Fiquei sim. Mas nem tudo sai como planejado, né. Quero muito lutar o Mundial Sem Kimono no mesmo peso que ele, para a gente fechar. Quem sabe não entramos no meio-pesado adulto?

Como espectador, o que achou de não ter final do absoluto adulto no Pan 2012?

Difícil de julgar. Sim, é ruim para o público. Mas para parceiros de treino que são muito próximos é realmente complicado lutar. Cria um clima difícil na academia. Muito disso está relacionado com a maturidade dos atletas também. Rominho (Barral) e Roger (Gracie) sempre lutaram e a relação dos dois jamais se abalou. Sou a favor da luta, mas somente os atletas têm condiçã de decidir isso. No final, são eles e o público que saem perdendo quando a luta não acontece. Mas acho que já faz parte da cultura do Jiu-Jitsu e não ouvi muita insatisfação.

Ler matéria completa Read more
There are 2 comments for this article
  1. Vinicius de Barros at 4:29 pm

    Na minha opinião seria muito bom poder ver em ação novamente no adulto, feras da Gracie Barra ( Mundial ), lutando novamente nos tatames do Mundial de Jiu Jitsu, como Flavio Cachorrinho, Ricardo Cachorrão, Fabio Leopoldo, Alexandre Café, Marcio Pé de Pano, Delson pé de Chumbo, Marcinho Feitosa, Fredson Paixão, Gabriel Vella, Cristinao Titi, Erick Wanderley, Marcelo Uirapuru, Felipe Cranivata, Bibiano Fernades, Alexandre Soca, Bruno Fernandes, Bruno Severiano, Francisco Fernandes, Marco Vilela, Mario Vilela, Marco Joca, Lucio Lagarto, Braulio Carcará, Roger Gracie, Victor Carcarazinho, enfim todos que ja brilharam em muitas competições com certeza a Gracie Barra voltaria com tudo, pena que muitos infelizmente não querem ou podem, mas esta turma daria trabalho e faria muito barulho, alguém duvida ? Será que os camp~eos mundial ainda seriam os mesmo da atualidade ou não ? uma boa discurssão…

  2. Markinhosgracie at 10:02 am

    o cachorrinho é fera…… SEMPRE fez lutas impressionantes, lembro de uma luta sua com o margarida no mundial de 2000 e outra luta com o beto leitão na seletiva para o ADCC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *