As lições que você pode aprender com o reality show do UFC

Share it

Lesnar e Cigano expostos na academia do TUF 13. Foto: Carlos Ozório.

Já começou nos Estados unidos a 15ª edição do “The Ultimate Fighter” (TUF), o reality show do UFC, pela primeira vez na FOX, na TV aberta americana. Na terra do Tio Sam, o campeão peso galo Dominick Cruz lidera um dos times, enquanto Urijah Faber comanda o outro. O Brasil também está prestes a transmitir uma edição totalmente nacional, com os astros Vitor Belfort e Wanderlei Silva como treinadores.

O programa é um dos responsáveis pela alavancada da organização no gosto popular e, desde a primeira edição, em 2005, já contou com 21 campeões. Tantas edições serviram para mostrar muitas lições, algumas delas comentadas logo abaixo:

A raça de Forrest Griffin e Stephan Bonnar

Uma das lutas mais sangrentas, um épico do MMA. Para muitos, foi o combate que mostrou definitivamente a força da modalidade para o grande público. Jamais se entregar, jamais desistir, foi o que Griffin e Bonnar mostraram no octagon. O resultado disso: Griffin, que veio a se tornar campeão de meio-pesados, e Bonnar que, mesmo com o revés, teve o contrato assinado com a organização e segue no elenco de lutadores do Ultimate até hoje, além de ser comentarista de lutas.

(confira a visita da GRACIEMAG na academia do TUF 13 nas fotos de Carlos Ozório)

[flickr set=72157625994975252]

Arte marcial e personalidade

A primeira edição do TUF rendeu alguns nomes que seguem vivos até hoje na organização. Muitos conflitos agitaram a casa, com lutadores que mantinham firmes a sua forma de pensar e se impor. Quem não se lembra, por exemplo, das discussões entre Josh Koscheck e Chris Leben. Pois ambos ganharam a simpatia do público e acabaram dentro do evento.

Acreditar sempre

Rashad Evans talvez não fosse um dos favoritos no TUF 2, ainda mais por parecer não ser tão forte quanto os oponentes na categoria de pesados. No entanto, Rashad confiou, e bateu um a um até vencer a luta final contra Brad Imes. Na sequência, na categoria meio-pesado, aniquilou os oponentes até conquistar o cinturão. Sua única derrota em 18 lutas profissionais foi para Lyoto Machida, quando perdeu o título. Mas Evans continua acreditando e mais uma vez tentará o topo, agora contra o campeão Jon Jones, que muitos acreditam ser imbatível.

Seja você mesmo no Jiu-Jitsu e MMA

Os exemplos a seguir são bem polêmicos, mas, não há como negar, foi dessa forma, além das habilidades como lutador, que alcançaram destaque. Michael Bisping e Nate Diaz fizeram assim e hoje seguem ainda entre os principais atletas do elenco do Ultimate. Bisping foi o campeão do TUF 3, enquanto Diaz venceu a quinta edição do programa. O público gosta de vê-los, apesar de, muitas vezes, criticar a postura dos atletas.

(Assista a um vídeo do galera ralando na academia do TUF por Carlos Ozório)

As aparências enganam?

Essa vale muito bem para Roy Nelson, o astro do TUF 10. Apesar do lastro de vitórias de Nelson, que já havia sido campeão da IFL, quem apostava no gordinho? Nelson ia contra todos os prognósticos, fazia corpo mole nos treinos. No entanto, sagrou-se campeão da edição tendo derrotado o verdadeiro atleta Brendan Schaub. Portanto, jamais subestime pelas aparências.

Seja sempre um exemplo positivo

Na edição de número 8, Rodrigo Minotauro, que era um dos treinadores, deixou de ser um ídolo apenas no Brasil e Japão e ganhou de vez o público americano. Detalhe, Minota superou em popularidade Frank Mir, que era americano. O brasileiro mostrou que um campeão não perde a humildade. Ganhou a simpatia de todos, enquanto o provocador Mir fez papel de vilão.

Vencer não é tudo

Campeão do TUF 8, Efrain Escudero não consegue se manter no UFC. Após o TUF Finale, perdeu duas das quatro lutas e foi demitido. Retornou no UFC 141, mas novamente foi derrotado. Ou seja, chegar ao UFC é apenas um passo. Se manter dentro da organização é algo totalmente diferente. Mantenha o foco.

Aumente o conhecimento

Pouco antes de estrear como treinador no TUF 13, Junior Cigano comentava o que considerava ser o grande desafio: se comunicar em inglês para o público americano. Pois o lutador tratou de estudar, fez bonito e se tornou um ídolo. O mesmo vale para a parte técnica, já que em seguida se tornou campeão peso pesado. Mente e corpo devem caminhar juntos, sempre em desenvolvimento. Busque sempre o conhecimento, em todos os quesitos, e evolua de uma forma geral.

Confira abaixo um pouco de todas as edições do TUF:

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *