Os campeões da seletiva de Jiu-Jitsu em Gramado

Share it
Assista duas finalizações de Marcus Buchecha em Gramado

Bochecha finalizou todas as lutas até chegar a final e foi o grande nome do evento. Contra Léo Nogueira, meteu 11 a 2. Foto: Ivan Trindade.

Antes das 18h, todos os campeões da seletiva de Gramado foram definidos, e vão para Abu Dhabi com tudo pago.

65kg: Isaque Paiva finalizou Bruno Frazatto no triângulo aos 5min47s de luta

74kg: Davi Ramos venceu Thiago Baiano por 2 a 0 (queda)

83kg: Victor Bonfim venceu Guto Campos por 2 a 0 (raspagem)

92kg: Alexandre Souza venceu Tarsis Humphreys por 4 a 0 (pegada de costas)

+92kg: Marcus Bochecha venceu Leonardo Nogueira por 11 a 2

Feminino:

63kg: Luanna Alzuguir finalizou Erika Almeida na chave de perna

+63kg: Fernanda Mazzeli venceu Talita Treta por decisão dos juízes

* Confira a cobertura de tudo que aconteceu também no nosso twitter, @graciemag_br.

O domingo dedicado à elite começou surpreendente logo na primeira luta dos marrons e pretas. Aryzinho Farias entrou para lutar contra o sempre perigoso Isaque Paiva e puxou logo para a guarda. Saiu na frente com uma vantagem ao ir para cima, ficou dentro da guarda mas as pernas do esguio Isaque não deram trégua. Ary tomou uma punição, a luta empatou e Isaque venceu na decisão dos jurados.

Seu adversário na final seria Bruno Frazatto, companheiro de Ary na Atos, e eleito no fim o atleta mais técnico da Seletiva. Bruno começou melhor, parecendo que domaria as pernas compridas do sorridente Isaque. No fim, Bruno vencia por uma vantagem e Isaque passou a bombardear, até encaixar o triângulo no último minuto. Frazatto prendeu o fôlego, se debateu e no fim não resistiu, desistindo a 13 segundos do fim. Na comemoração, o faixa-preta da equipe Saikoo não aguentou e foi celebrar na área vip, onde estavam Minotauro inclusive. A regra é clara, não pode sair do tatame, e a jovem revelação do evento seria desclassificado. Mas, após ter sua mão levantada, sob vaias da galera, Bruno conversou com o árbitro e entregou a vitória para Isaque, que foi às lágrimas de novo.

Davi mostra força até 74kg

Na divisão até 74kg, Davi Ramos mostrou por que é um dos melhores da categoria, e começou o domingo derrubando e pegando as costas do promissor Rodrigo Aquiles, aluno de Elan Santiago e Alexandre Paiva na Alliance Rio. Com os 6 a 0 firmes no placar, Davi ficou nas costas a luta inteira, até o final dos seis minutos regulamentares. “Ele errou no começo, mas ainda falta bagagem para lutar de igual para igual contra um cara duro como o Davi. Foi um resultado normal”, comentou Paiva.

Na final contra Thiago Baiano, um talento da CheckMat que havia finalizado pelo pé Caloquinha e Tiago Rocha (Alliance), Davi não deu espaços. Começaram atacando pés, mas Davi impôs o jogo, abriu 2 a 0 e atacou a guarda e depois as costas, sem pontuar. A fera da Atos vai para Abu Dhabi.

Bonfim raspa Guto Campos

Na categoria até 83kg, Guto Campos e Eduardo “Português” Santoro faziam a semifinal mais aguardada, mas Guto ganhou apenas por atacar mais, por baixo. Luta boa foi entre o incansável Victor Bonfim e Rodrigo Pimpolho, onde Bonfim honrou o sobrenome e, restando dez segundos, conseguiu uma queda que empatou o placar, em 2 a 2. Vitória merecida de Victor nas vantagens, ele que pôs pressão e atacou o tempo todo, contra uma raspagem afiada de Pimpolho.

Na final, Guto começou melhor e atacava por cima sem clemência, conseguindo duas vantagens. Mas, quando estava na meia, tomou uma raspagem precisa de Victor, e não conseguiu correr atrás. Bonfim venceu, quase correu para a galera mas lembrou a tempo e não se jogou na grade.

Souza vence Tarsis com um Jiu-Jitsu de pressão

Entre os atletas de 92kg, o primeiro campeão absoluto de Abu Dhabi, Tarsis Humphreys, retornou de contusão e fez um lutão com Alexandro Ceconi na semifinal, em que segurou a pressão do catarinense por cima e venceu, por 2 a 0.

Na final contra um tranquilo Alexandre Souza, que também andava sumido, Tarsis começou jogando por baixo, e não resistiu a pressão do professor da Gracie Floripa, que chegou do lado e pegou as costas. Tarsis resistiu, não bateu no pescoço mas perdeu a final.

Bochecha faz 9 a 0 rápido em Nogueira

Nos pesados, a final entre Marcus Bochecha e Léo Nogueira, que sobraram no sábado, repetiu a final do Mundial 2011. Bochecha, que finalizou todo mundo em Gramado menos Léo, comentou o reencontro com o GRACIEMAG.com.

“Eu e o Léo chegamos a treinar juntos, quando eu era juvenil. Aquela final demorou um pouco para sair da cabeça, pois foi a primeira vez em que eu deixei uma luta terminar empatada. Acho que no Mundial eu deixei ele me travar muito e, como eu não traço estratégia, me desesperei e abri a guarda de qualquer maneira ali, quando ele pontuou”, disse Bochecha, antes da luta.

Depois de aplicar 11 a 2 no guardeiro da Alliance, Bochecha comentou a luta:

“Acho que ele ia tentar me segurar para raspar mais para o final, então surpreendi com uma blitz no início que ele não esperava. Quedei, passei e montei, e abri 9 a 0. Aí fica difícil correr atrás numa luta de seis minutos, acho que ali ele já não tinha mais cabeça para virar”, disse o grande nome da seletiva, que ainda arrochou o braço de Nogueira, que defendeu bem.

E para você, amigo leitor, qual foi o destaque positivo da seletiva de Jiu-Jitsu de Gramado? Comente abaixo!

 

Ler matéria completa Read more
There are 9 comments for this article
  1. Guima at 12:09 am

    Prós e contras…
    Foi uma seletiva com um bom número de atletas, tatames muito bons, para o nível do Brasil, lugar muito lindo para a realização do evento MAS pra começar o preço das inscrições, de 100 a 140 reais (preço totalmente fora da realidade do esporte no Brasil) foi muito mal organizada, teve categoria que o atleta lutou a primeira luta e depois de quase 3 horas foi lutar a segunda luta (isso é inadmissível), mas o ponto máximo de má qualidade do evento, foi a falta de preparo da arbitragem (nos 2 dias, especialmente na final da faixa preta, onde não vou citar qual a categoria, mas todos que estiveram no evento, sabem de qual luta estou falando, e no final todo o público vaiando a decisão dos juízes).
    Espero que no próximo ano os organizadores do evento, pensei mais no bem estar dos atletas do que no lucro…

    • Guile at 12:39 am

      Concordo com voce Guima, nos pros e contras mas ainda podemos acrescentar, que alem das grande lutas que as estrelas principais do evento nos proporcionaram, tambem tem a falta de respeito com o publico que pagou para entrar no evento e com os prorpios lutadores que foram os atrasos no cronograma em 3 horas, pq a faixa preta era para comecar as 17:30 e comecou as 20:30 eu sai do ginasio a 1:00 hora da manha e ainda tinha gente lutando isso é um completo absurdo!!!! Isso prejudica a todos cobram caro para se inscrever que pelo menos cumpram o cronograma, sem falar na arbitragem onde somente o Arbitro Bobadilla sabia a regra e os outros eram muitos fracos e tambem qdo o Dono do evento nao interferia nos resultados das lutas e nas chaves!!! Mais profissionalismo !!!!

  2. Pablojob at 1:11 am

    Esta seletiva teve lutas sensacionais ,grandes nomes do jiu-jitsu entre outros estavam no evento, lutas muito disputadas. Porém teve GRAVES ERROS NA ADMINISTRAÇÃO do evento , pois se existe a REGRA ela deve ser usada para todos os atletas igualmente, e não foi assim que aconteceu, teve lutas que mudaram o resultado final do árbitro assim anulando a regra parecendo que era até o sheik kkkk …oh loko como assim né???
    poisé regras são regras não podem ser mudadas pelos organizadores , muito pésimos organizadores lamentável mesmo . E também com preços absurdos! resumindo ótimas lutas e pésima administração .

  3. Joaoalfredotm at 4:01 pm

    Conforme nova regra, a qual todos teriam que estar sabendo, o atleta nao pode sair da área de luta para comemorar antes da dicisão final do juiz, sob pena do atleta ser desclassificado. A arbitragem agiu certo ao desclassificar o Isaque, porque ele saiu da área de luta comemorando, antes do árbitro dar a vitória.

  4. Fernando at 4:43 pm

    Bruno, sou aluno do Isaque Paiva, gostaria de parabenizar vc pela atitude, vc demonstrou ser um verdadeiro Samurai, um guerreiro, parabéns pela sua atitude….
    Não só o esporte, mas todos os segmentos precisam de pessoas como vc.
    Um grande e fraternal abraço deste cara que passou a te admirar !!!
    Osssssssssssssss

  5. Gui at 11:47 pm

    Guto Campos era pra ter saido campeão, “organizadores” do evento e arbitragem, interferiram de forma muito mal intensionada.

  6. Lucia at 10:40 am

    Amigos do Graciemag vamos valorizar ainda mais este esporte na categoria feminina, temos grandes atletas que ainda farão abrilhantar mais essa luta. “Valeu Mayra Mazza Parabéns pelo o seu esforço”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *