UFC: finalização da noite inspirada em Sakuraba

Share it

O faixa-roxa Ellenberger conseguiu vencer bem o faixa-preta Diego Sanchez no UFC. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Feras do Jiu-Jitsu e do MMA, Diego Sanchez e Jake Ellenbeger honraram a posição principal do card de estreia do Ultimate Fighting Championship no canal americano Fuel, da FOX. (Veja os resultados completos clicando aqui.)

Após uma luta empolgante, que por pouco não terminou com um quê de reviravolta, Ellenberger foi declarado vencedor na decisão unânime dos jurados. Com a vitória – sua sexta consecutiva -, Ellenberger se colocou na linha de frente dos meio-médios. Lutando em casa, Jake ainda contou com o apoio da torcida que, barulhenta, ovacionou o “pupilo”.

Embora não tenha saído com a vitória, Sanchez provou o porquê de ainda ser considerado um dos lutadores mais duros do UFC. Dificultando a vida de Ellenberger, o vencedor peso médio da primeira temporada do TUF superou os claros danos sofridos em seu rosto e surpreendeu no fim do terceiro round, mantendo o adversário contra o chão e bombardeando-o com socos que, não fosse o soar do gongo, poderiam ter dado outro desfecho ao embate.

A resistência de Diego foi reconhecida pelo adversário, que comentou ao fim da luta: “O Diego é o cara mais difícil que já enfrentei, e é um verdadeiro guerreiro. Ele esteve presente em todos os minutos da luta, foi uma honra enfrentá-lo”. Ellenberger agora anota 10 vitórias em suas 11 últimas pelejas.

Na co-luta principal da noite, o “Arranha-céus” Stefan Struve contou com um certeiro upper de direita para derrubar Dave Herman e anotar a 27ª vitória de sua carreira profissional. Apesar da vitória, Struve lamentou a falta de emoção do round inicial, marcado por uma trocação sem muitos riscos. “Minha energia estava um pouco baixa”, lamentou Struve, que pôs fim a uma sequência de três vitórias do adversário.

Em sua estreia nos pesos médios, Ronny superou um round inicial adverso e usou uma irrepreensível defesa de quedas para conquistar a vitória, por decisão dividida dos jurados, sobre Aaron Simpson. Ao final da equilibrada batalha, o potiguar fez um pedido especial à organização: “Quero lutar no UFC Brasil”. Foi a 13ª vitória do brasileiro em sua carreira profissional – contra apenas uma única derrota.

O brasileiro entrou bem para a luta, desferindo socos e pressionando Simpson contra a grade. Contudo, logo o rival virou o jogo, derrubando Markes com um uppercut de direita e castigando-o no chão. Ronny, no entanto, conseguiu se recuperar e, em um equilibrado segundo assalto, aplicou uma queda.  Com a batalha emparelhada, os dois retornaram pressão. Porém, aparentando ter mais gás no fim, Ronny usou os momentos finais para aplicar outra queda, levando a decisão dividida.

Menjivar encaixa o mata-leão em John Albert, como Sakuraba ensinava.

Fera de El Salvador, Menjivar encaixa o mata-leão em John Albert, como Sakuraba ensinava.

Menjivar finaliza,  Dillashaw passeia

Abrindo o card principal com o pé direito, Ivan Menjivar levou a melhor “de virada” sobre John Albert em uma luta emocionante. Menjivar, que chegou muito perto de ser nocauteado, utilizou sua experiência para reverter uma tentativa frustrada de guilhotina e pegar as costas do adversário, finalizando-o com um mata-leão aos 3 minutos e 45 segundos do primeiro round. “Pensei no que Sakuraba (ídolo do MMA) faria e fiz”, revelou Menjivar, que levou o bônus de finalização da noite.

Na luta seguinte, Walel Watson não deu muito trabalho para TJ Dillashaw, finalista do TUF 14. Watson, que até chegou a esboçar uma reação no terceiro round, foi totalmente dominado durante os 10 minutos iniciais,  aceitando, inerte, muito castigo no chão. A batalha unilateral terminou nas mãos dos jurados, que marcaram 30-25, 30-25 e 30-26.

As papeletas, contudo, sequer tiveram que dar as caras no embate posterior. Em menos de um minuto, o peso pesado Stipe Miocic utilizou suas fortes mãos – mais especificamente uma providencial bomba de direita – para levar Philip De Fries à lona e manter sua invencibilidade.

Fera da GB vence brasileiro

A noite não começou bem para os brasileiros. Na terceira batalha da noite, Vagner Rocha viu sua estreia como peso pena chegar ao fim a 1 minuto e 32 segundos do primeiro round. O algoz do faixa-preta foi Jonathan Brookins, aluno da Gracie Barra e vencedor do TUF 12, que nocauteou o brasileiro com potentes golpes de direita.  Com a derrota, Rocha agora anota 7 vitórias e 3 derrotas em seu cartel profissional. “Vagner é muito duro, todos os respeitam, então estou muito agradecido e descobri que amo Omaha também”, elogiou o simpático Brookins, levantando a torcida. “Quero crescer cada vez mais, então estou feliz por ter a chance de continuar crescendo nesta grande organização”.

Em sua estreia no octógono mais famoso do mundo, Bernardo “Trekko” Magalhães viu o fim de sua sequência vitoriosa de cinco lutas. O brasileiro, que fez todas as suas pelejas profissionais na Austrália, não conseguiu superar a envergadura do americano Tim Means e, após ser dominado com duros golpes contra o corpo e cabeça por três rounds, perdeu na decisão unânime dos jurados. Trekko, que viveu seu melhor momento com uma bela raspagem no primeiro round, foi castigado ainda por duras joelhadas.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *