UFC 143: a estratégia que desbancou o dono da bola

Share it
Condit na luta contra Diaz. Foto: Nick Laham, UFC

Condit na luta contra Diaz. Foto: Nick Laham, UFC

No vídeo de apresentação da luta principal do UFC 143, que aconteceu na noite desse sábado, em Las Vegas,, momentos antes da entrada dos dois lutadores, Carlos Condit disse: “Vou vencer porque tenho um repertório muito maior de golpes e vou usar todas as minhas armas”.

Diaz respondeu: “Quero ver ele conseguir me acertar andando para trás”.

Ao fim dos cinco rounds da luta principal do UFC 143, o rosto marcado de Nick e as papeletas dos juízes provavam que Condit estava certo.

Mesmo andando para trás, ele havia conseguido usar seu arsenal para castigar o oponente. Em uma luta equilibrada, fez a diferença.

Por outro lado, durante os 25 minutos, Nick não conseguiu aquela sequência de golpes que provariam sua superioridade sobre o adversário ou encerrariam a luta.

Sem conseguir soltar seu poderoso boxe, restou a Diaz a outra parte da sua persona de lutador, as provocações.

Como que em uma tentativa de influenciar o público e os juízes, Diaz perdeu muito tempo fazendo gracinhas, abaixando a guarda, cruzando os braços, encarando o adversário ao final dos rounds.

Diaz conseguiu influenciar o público, já os juízes…

Por fim, quando a derrota mostrou os dentes, Diaz reagiu de forma coerente com sua atuação, um tanto deselegante: “Não preciso mais dessa merda! Com certeza ganhei. Acho que não vou lutar mais no UFC!”

Condit, por sua vez, mostrou que postura também faz um campeão: “O Diaz é um grande lutador. Será uma honra enfrentar o St. Pierre”, comemorou o agora campeão interino dos meio-médios.

Antes de Diaz x Condit, Fabrício Wedum derrotou Roy Nelson na decisão unânime. Muito superior ao adversário, desde o início ficou claro que o gaúcho só perderia para si mesmo, o que seu corner também percebeu.

“Quero você sério, sem brincadeira, focado até o fim!”, ordenou o treinador entre o segundo e o terceiro rounds.

Werdum seguiu o conselho e com boas joelhadas, chutes baixos e combinações de socos garantiu a volta ao UFC em grande estilo.

Renan Barão foi outro brasileiro a lutar no UFC 143.

O peso galo foi para cima do duríssimo Scott Jorgensen e com um jogo ativo garantiu a decisão unânime. No fim, mandou seu recado: “Dana, eu quero o cinturão!”.

Será que o chefe ouviu?

Rafael “Sapo” Natal, ladeado por Vinícius Draculino e Rominho Barral, abriu a participação brasileira na noite.

E como bom discípulo da linhagem Gracie Barra BH, o mineiro usou e abusou do Jiu-Jitsu para vencer Michael Kuiper, também na decisão unânime.

Confira aqui os resultados completos do UFC 143

A próxima parada do UFC será o Japão, em 25 de fevereiro.

Ler matéria completa Read more
There are 5 comments for this article
  1. BOXE NA VEIA at 4:20 pm

    Diaz é um bom trocador tem um queixo durissimo, Condit mostrou estrategia e o Diaz nem pra mostrar uma transição da trocação pro solo, ficou dependendo de achar o Condit e se fu….!!

  2. Matheco Victor at 6:21 pm

    condit CORRIA durante a luta! PARA velho, tem q ir pra lutar e não para correr! E tem aquela história de ” tem q ter estratégia. O esporte evoluiu ”
    Sim, isso é verdade .. mas não evoluiu para ” quem corre mais “!

  3. Jack at 5:27 pm

    os juizes tem seus criterios ..sei lah…acho que pegaram uns encanadores, professor de educacao moral e civica para avaliar kkkk Royce Gracie disse que Diaz venceu pois “Condit só fugiu” rss Acho que deste vez o sensei Royce esta correto! Dana White como eh muito esperto vai fazer o rematch!!! PS- GSP vai massacrar qualquer um dos dois!!
    PS- 2 Graciemag esta com falta de assunto ao chamar este “esquema de fuga” de “estrategia” kkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *