8 lições do lutador com o melhor Jiu-Jitsu do UFC 141

Share it

Se você é fã de MMA, certamente viu, na última sexta-feira, o passeio do jovem peso-pena Jimy “The Kid” Hettes (Almeida BJJ) no octagon, contra a pedreira californiana Nam Phan. Se você é praticante de Jiu-Jitsu, e não viu, perdeu uma senhora aula.

Foi a primeira luta do card principal do UFC 141, em Vegas. Jimy, 24 anos e uma das caras de bobo mais enganosas do mundo, desandou a alternar socos com uma inacreditável série de quedas (ouchi gari, kouchi gari, harai goshi). No chão, um amasso, e uma vitória por decisão, de goleada. Invicto (10v, 0d), foi a primeira vez que ele não finalizou um oponente.

O que você pode aprender com este futuro astro e aplicar nos seus treinos diários, e no seu dia-a-dia? O GRACIEMAG.com listou oito lições:

 

Jim Hettes: Jiu-Jitsu de gente grande no UFC 141.

Jim Hettes: Jiu-Jitsu de gente grande no UFC 141.

1. Não fuja do treino mais duro de sua academia

Aprenda desde a faixa-branca que driblar sistematicamente um treino duro é adiar seu progresso. Encare o cara que te dá trabalho. “Eu treinei para esta luta revezando com Frankie Edgar, Tom DeBlass, caras muito duros. Treino com caras novinhos em folha a cada cinco minutos, e não são caras comuns – além de tudo são bem mais pesados. Quando entro para enfrentar um peso-pena parece até que estou burlando a regra”, comentou Jimy, em entrevistas após o UFC 141.

2. Teste o seu Jiu-Jitsu o tempo todo

Quando você é posto numa situação nova, agradeça. Seu autoconhecimento aumenta, seu conhecimento de Jiu-Jitsu voa. Foi o que o Garoto constatou, em sua primeira vitória por decisão dos jurados. “Nunca havia lutado nem no terceiro assalto. Foi bom me testar, enfim pude me deparar com aquela sensação cardiorrespiratória terrível de ter de lutar após o segundo assalto”, brincou o aluno de Ricardo Cachorrão.

3. Não ligue para a cor da sua faixa no Jiu-Jitsu

Faixa-roxa, Jimy deu uma surra num faixa-preta na sexta. Perguntado se acha que merece uma faixa mais escura, ensinou: “Amo o Jiu-Jitsu porque em primeira instância ele me salva de tomar uma surra, então não me importa muito a cor da minha faixa hoje, sou grato apenas”. E depois emendou: “Estou apenas me divertindo”.

4. Quem precisa confiar em você é você

Jimy contou, meio a brinca meio a sério, que quase foi barrado por uma representante da Comissão Atlética de Nevada, que não acreditou que ele tinha mais de 18. “Quando estou nos bastidores do UFC, os outros lutadores ainda me olham surpresos, como se alguém tivesse esquecido o filho por ali”, disse ele. Os olhares de surpresa e pouca fé não intimidam quem tem coração de lutador.

5. Um entrosamento entre você e seu treinador é vital

“Na minha primeira luta no UFC, [o técnico e amigo] Kris McCray ficava berrando, ‘Vamos lá! Você está parecendo uma moça aí embaixo!’. Conversamos depois, e eu perguntei se ele podia falar coisas mais positivas… Nesta segunda luta ele foi bem mais otimista, mas o que interessa é que ele sabe como me motivar no meio da luta”, contou Jimy. E você, sabe escutar seu treinador? O que ele fala o motiva?

6. Aprenda a sentir até onde a luta vai

Jimy não sabia para que servia um jurado desde o MMA amador, num total de 13 lutas. Até encontrar Nam Phan. “No primeiro assalto eu dei tudo de mim para despachá-lo. Mas olhei nos olhos do Nam Phan e vi que não existe desistir para ele. Percebi então que era hora de poupar energia para os rounds 2 e 3. Agora só posso agradecer ao meu preparador por me fazer chorar todo dia nos treinos.”

7. Aposte no seu jogo

A combinação de Jiu-Jitsu e judô não dá certo há décadas, em todos os torneios de luta agarrada do mundo, por acaso. Bote fé na sua modalidade quando o bicho pegar.

8. Tenha um ás na manga

Se nada das dicas acima funcionar, puxe esta finalização acrobática da cartola. Funciona até de tênis! Com os cumprimentos de Jimy Hettes.

E você, lembra mais alguma lição do Garoto? Comente aí abaixo!

Ler matéria completa Read more
There are 9 comments for this article
  1. BOXE NA VEIA at 11:30 am

    Na luta do UFC 141 Hettes, aplicou mais tecnicas de projeção do que propriamente a finalização, por ser marrom de Judô suas quedas foram mais eficientes, ja no solo nao finalizou por detalhes.

  2. Wagner Augusto at 3:28 pm

    Sem querer ser crítico mas o melhor Jiu Jitsu do UFC é e por muito tempo será o do Demian Maia . Mesmo que nos ultimos combates ele tenha se testado mais na trocação .

  3. Pingback: Links da semana #23 : MMA by Neko
  4. Thiago at 2:18 pm

    “A combinação de Jiu-Jitsu e judô não dá certo há décadas, em todos os torneios de luta agarrada do mundo, por acaso. Bote fé na sua modalidade quando o bicho pegar.”

    Como assim? Não entendi JJ + Judo é menos eficiente que somente JJ ou Judo?

    • Anônimo at 2:54 pm

      Eu quis dizer que Jiu-Jitsu & judô podem sim, ser suficientes para dominar um oponente no MMA. Eu considerei apenas como uma modalidade, pois como ensina Flavio Canto, “para mim judô e Jiu-Jitsu são uma coisa só, muda apenas a regra”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *