UFC: Como “marcar” Velasquez?

Share it

Coletiva de pesos pesados normalmente é assim. Com os caras ansiosos para a hora da verdade, os clichês se sucedem: “Vamos ver quem cai primeiro”. “Vamos ficar lá trocando bordoadas até somente um ficar em pé”. “Quem bater mais forte e com mais mira vence…”.

Mas a luta entre o campeão Cain Velasquez e o desafiante Junior Cigano, o sagaz leitor sabe, envolve muito mais do que uma troca de bordoadas, mesmo que elas ditem o ritmo do combate. Boxe por boxe, Junior Cigano é o melhor, o que “bate mais forte”. Mas o campeão tem seus trunfos também, como a velocidade e o wrestling, para botar para baixo e acalmar o catarinense.

Em dezembro de 2010, a sua revista GRACIE já analisava o combate de sábado, em mais uma prova de quem lê a GRACIE fica por dentro muito mais cedo. Se você é colecionador, pegue a edição na prateleira e dê uma lida na íntegra. O site GRACIEMAG.com aproveita a expectativa da luta e relembra aqui alguns dos melhores trechos da reportagem.

Cain é ídolo do artilheiro Cristiano Ronaldo, do Real Madrid. Como marcar o campeão? GRACIEMAG deu pistas, em dezembro de 2010.

   – Como parar ‘El Paredón’ Velasquez? –

Após nove vitórias seguidas no MMA, oito delas por nocaute, Cain Velasquez alcançou o topo do mundo na modalidade, tornando-se campeão do UFC entre os pesos pesados de forma irretocável. Pelo caminho, tombou atletas consagrados como Rodrigo Minotauro e solucionou dilemas, a exemplo da vitória contundente contra o mais pesado e temido Brock Lesnar, no combate que lhe valeu o cinturão.

Com 28 anos de idade, Velasquez tem a árdua missão contra Junior Cigano de se manter no topo, acabando com o rodízio de campeões na categoria dos pesados. Lesnar, Frank Mir e Minotauro, por exemplo, não conseguiram se manter por muito tempo. Mas Cain parece uma unanimidade. “Ele é completo”, dizem. Os resultados e apresentações confirmam isso: seis das vitórias foram ainda no primeiro round, como contra Lesnar.

Com um preparo físico invejável, wrestling de primeira classe, boxe perigosíssimo e, talvez o principal, a cabeça no lugar, muitos até podem pensar que não há saída desse labirinto. Ainda mais quando lembramos que Cain é duro até no Jiu-Jitsu. O filho de mexicanos treina há quatro anos com Dave Camarillo, e foi campeão mundial absoluto sem kimono em 2007, ainda na azul. Aparentemente sem brechas no jogo, vencê-lo se torna um duro quebra-cabeças.

Qual seria a estratégia correta especificamente para Junior Cigano derrubar o paredão Velasquez? É possível resistir cinco rounds contra o campeão do UFC, monstro que os treinadores garantem ter um dos melhores preparos físicos da organização? Bem, Cain lutou três rounds em apenas uma oportunidade. Como ele se comportaria numa luta de 25 minutos? E para tentar aplicar o Jiu-Jitsu, como colocar o casca-grossa no chão? Os especialistas entrevistados nesta reportagem tentam responder a essas perguntas. (Veja a seguir uma simulação no videogame de Cain vs Cigano.)

 

Rodrigo Comprido (bicampeão mundial de Jiu-Jitsu e treinador de Brock Lesnar , último adversário de Cain):

Acredito fielmente que o Jiu-Jitsu é a arte marcial mais completa que existe, e que um bom faixa-preta, com uma boa estratégia, pode vencer qualquer um. Cain de fato tem a base boa e um estilo muito ofensivo de socar sem parar um segundo. Contudo, pelo que vi dele em suas lutas anteriores, abre espaços quando ataca, o que possibilita a recomposição de guarda. Devemos observar também que quem soca muito estica o braço, e um bom lutador de Jiu-Jitsu pode tirar vantagem disso. Outra possibilidade é partir para as costas dele logo depois da raspagem, porque o campeão provavelmente viraria de quatro para evitar ficar por baixo. Não digo que é fácil, claro, mas vejo esses espaços no jogo dele.

Acho uma boa puxar para a guarda. Sei que a maioria vai falar que é feio, ou que não funciona no MMA. Mas a realidade é que se o Minotauro tivesse puxado, o resultado da luta provavelmente seria outro. Um bom lutador de Jiu-Jitsu não pode ter medo de puxar para a guarda nunca. Temos aí o Demian Maia para quem quiser ver. Como disse, botar um wrestler do nível do Velasquez de costas no chão é muito difícil, mas cada lutador tem suas características. Se tiver um bom armlock, talvez seja legal tentar finalizar. Mas se tiver uma boa raspagem, não tentar por quê? Eu, particularmente, aprendi muito na luta dele contra o Lesnar e vou me certificar para que, na próxima vez que estiver do outro lado do corner, meu lutador tenha seu braço levantado.

 

Fabricio Werdum (atleta do UFC):

A tática para enfrentar Velasquez é fazer o que chamamos aqui na equipe de “guarda progressiva”. Ou seja, jogar por baixo com ataques como triângulo, chave kimura, omoplata, armlock e, ao mesmo tempo, saber se defender dos socos. Afinal, ele é um cara que tem o ground and pound forte. No mais, existem várias maneiras de levá-lo para o chão e, acredite, não acho loucura tentar derrubá-lo. Ninguém vem tentando isso e é uma coisa que ele não esperaria. Às vezes, um bote certeiro poderia pegá-lo de surpresa. O Jiu-Jitsu cria uma série de possibilidades e é sempre uma arma eficiente. Na luta as oportunidades surgem a todo momento e com o Jiu-Jitsu há sempre uma técnica para cada situação. Basta saber e conseguir aplicá-la.

 

Renzo Gracie (ídolo do UFC e Pride, treinador e parceiro de treinos de GSP e Frank Edgar):

Na realidade o Cain é bom de Jiu-Jitsu também. Quando Lesnar o botou para baixo, ele ficou confortável. Acredito que para vencer Velasquez o oponente tem de estar bem em todos os fundamentos. Cain consegue levar a luta para onde quer, como fez com Brock e também com Ben Rothwell. Ele fez com Rothwell o que ninguém fez antes. O lutador de Jiu-Jitsu que for enfrentá-lo vai ter de se fortalecer na parte em pé para poder usar o chão. Quem sabe Jiu-Jitsu sempre tem uma chance, ela sempre aparece. Mas tem de estar pronto e com a forma física excelente, principalmente contra o Cain.

Levá-lo para baixo é um problema. Puxar para a guarda no vale-tudo não é fácil, porque o cara levanta e sai. Por baixo, o lutador tem de fazer guarda aberta para se defender dos socos e, nesse momento, ele pode tentar escapar. Tudo era fácil quando os outros eram cegos. Hoje, tem de saber boxear, chutar e quedar.

Não sei se seria interessante partir com tudo para definir rápido. São muitos fatores numa luta. No caso do Werdum contra o Fedor, por exemplo, é preciso levar em consideração que Fabricio é um cara com um Jiu-Jitsu excelente e é grande. Fedor aceitou o chão porque achou que Werdum havia sentido os socos. Todos achavam que a luta estava encerrada. Mas são poucos os pesos pesados que têm essa capacidade. Gabriel Napão também tem o Jiu-Jitsu fora-de-série e não conseguiu casar o jogo muitas vezes. Olha, acredito que Cain será o campeão ainda por bastante tempo. Entre os pesados, não vejo muitos com o ritmo dele.

 

Murilo Bustamante (ex-campeão dos médios do UFC):

Tem de saber o bloqueio certo, quedar. Se fizer isso no tempo certo, qualquer um cai, e isso já foi provado. O cara pode ser campeão de wrestling, no tempo certo ele cai. Outra saída é entrar nas pernas e, quando Cain defender com o sprawl, aproveitar para puxar para a guarda. Ou derruba, ou engana para puxar.

Botar o Velasquez de costas no chão é o ideal, quedando ou raspando. Mas, se ficar por baixo, o mais importante é dar giro, para ele não ter espaço para bater. Quem tem a mão pesada não pode bater. É preciso então trabalhar a chave omoplata, armlock, raspagens… Não pode parar e tem de estar com a guarda defensiva muito boa, com bom bloqueio, para se livrar do ground and pound. Pode até fechar a guarda, mas apenas para atacar rapidamente. Se ficar de bobeira ali é complicado. Para aplicar um triângulo, por exemplo, é necessário ter pernas compridas, porque Cain tem as costas muito largas. Agora, o armlock pode ser eficiente contra ele.

 

Demian Maia (atleta do UFC e campeão do ADCC 2007):

Eu provavelmente treinaria bastante guarda e formas de ficar seguro por baixo, para me defender bem dos socos e, dali, partir para os meus ataques. Como ele derruba bem, é vital estar preparado para isso, o que não é nenhum problema – ele é perigoso no ground and pound, mas joga muito o peso para cima. Isso aumenta as possibilidades. Se cair por baixo, acho que o que encaixaria melhor seria trabalhar a finalização ou a meia-guarda, para raspar.

É possível quedar o Velasquez, principalmente com essas quedas que no judô chamamos de sacrifício, quando puxamos para a guarda já entrando na queda. O pessoal do wrestling é acostumado a botar a força para frente e isso facilita essas quedas. Quando derrubei Chael Sonnen, que também é especialista em wrestling, foi assim. Mas também dei uma enganada nele. No começo da luta, puxei para a guarda. Depois disso ele não esperou que eu fosse tentar derrubar, e aproveitei.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *