O balanço do UFC 138

Share it

Toma, meu nobre: na terra da Rainha, quem mandou foi o Barão da Nova União, com um joelhaço que abriu caminho para o estrangulamento pelas costas. Foto: UFC.

O UFC retornou à terra da Rainha e não decepcionou os fãs que gostam de boas brigas. Com os brasileiros Renan Barão (galo) e Thiago “Pitbull” (meio-médio) finalizando em lutas do card principal e com Mark Muñoz vencendo Chris Leben no principal confronto da noite, pelo peso médio (o de Anderson Silva), os ingleses presentes à arena LG, em Birmingham, não se decepcionaram com o UFC 138, com um total de quatro finalizações em dez confrontos.

Mark Muñoz e Chris Leben entraram na arena já carregando o peso de apresentar para os fãs uma luta no nível dos demais confrontos da noite. E os americanos não decepcionaram. Se valendo do seu eficiente jogo de derrubar e bater, Mark, treinado pelo brasileiro Rafael Cordeiro, começou o combate pontuando mais do que Leben.

A segunda etapa não foi diferente. Leben, que mostrava queixo duro ao assimilar bem os golpes e continuar firme após sofrer um grande corte no supercílio, ganhou de vez a torcida. Mas, mesmo com todo apoio local, ao ser examinado no intervalo entre o segundo e o terceiro round, Leben foi impedido de prosseguir pelo árbitro Marc Goddard, devido ao grande corte no rosto. Os segundos de Leben concordaram, e mais uma vitória para Munoz.

“Ele (Leben) é muito duro. Sabia que tinha que me esquivar da mão esquerda dele que é sempre forte. Confiei no meu wrestling. Foi isso que fiz”, resumiu Munoz para depois completar sobre seu futuro na organização: “Já fiz muita coisa nessa categoria. Acho Anderson é o melhor peso por peso de todos. Considero o Anderson um amigo, mas acho que mereço minha chance de lutar pelo título”.

Briga de pub: Muñoz e Leben não decepcionaram. Fotos: Josh Hedges/UFC/Zuffa.

Renan Barão é daqueles lutadores que não se escondem dentro do octógono e que muitas vezes se expõem buscando o resultado. Dono de um jogo plástico de dar inveja a Jean Claude Van Damme, uma vez mais o potiguar não decepcionou e partiu com tudo para cima do londrino Brad Pickett, que lutava com irrestrito apoio da arena lotada.

E a gama de golpes de Barão deixou o inglês desnorteado: joelhadas, cotoveladas e socos de todas as formas, que foram minando o adversário, até uma sequência de golpes no chão obrigar Pickett a virar de costas. Barão não titubeou e encaixou o mata-leão, fechando com perfeição sua segunda participação no UFC.

Após ter o braço erguido pelo árbitro, Barão, que teve um filho há menos de um mês, comemorou muito com sua equipe Nova União e afirmou, com Braulio Carcará de intérprete, que ainda tem muito a mostrar no evento: “Treinei todos os estilos para essa noite. Estou muito feliz, mas sinto que ainda tem muito para melhorar e para dar um show cada vez melhor para os meus fãs”.

Após perceber na pesagem oficial, sexta, que teria que perder quase 1kg em menos de uma hora para chegar ao limite permitido na categoria, o brasileiro Thiago ”Pitbull”, na tradicional encarada, teve de ser contido pelo presidente Dana White para não iniciar o primeiro round contra Papy Abedi no dia anterior ao evento.

E, ao soar o gongo, o clima que já era quente, esquentou ainda mais. Logo no início, Papy foi para cima do brasileiro e chegou a desferir bons golpes. Apesar disso, “Pitbull” continuou seguro e, após acertar um bom cruzado no adversário, levou Papy ao chão, o que o possibilitou desferir boas cotoveladas. Muito castigado pelos golpes do cearense, Papy não conseguiu mais se defender e foi finalizado por Thiago com um justo mata-leão aos 3min32s do primeiro round.

“Eu amo a Inglaterra. Vocês são demais”, agradeceu “Pitbull” que sempre teve a torcida ao seu lado.

Outro destaque foi o rei da guilhotina, Terry Etim, que finalizou com apenas 17 segundos para delírio da barulhenta plateia.

 

UFC 138

Birmingham, Inglaterra

5 de novembro de 2011

Mark Munoz venceu Chris Leben por nocaute técnico no intervalo para o R3
Renan Barão finalizou Brad Pickett com um mata-leão aos 4min09 do R1
Thiago Alves finalizou Papy Abedi com um mata-leão aos 3min32 do R1
Anthony Perosh finalizou Cyrille Diabate com um mata-leão aos 3min09 do R2
Terry Etim venceu Edward Faaloloto com uma guilhotina aos 17s do R1

Card Preliminar

John Maguire venceu Justin Edwards na decisão unânime dos jurados
Phil De Fries venceu Rob Broughton na decisão unânime
Michihiro Omigawa venceu Jason Young na decisão unânime
Che Mills noceuteou Chris Cope aos 40s do R1
Chris Cariaso venceu Vaughan Lee na decisão dividida

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article
  1. KimuraNU at 12:33 am

    Todos aqui em Natal ficaram muito felizes com o desempenho do Renan Barão no UFC 138!! E que belo vôo que Ele deu para ás costas do gringo. Puro Jiu-Jitsu…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *