Royler na despedida: “Honrei o que fiz a vida inteira”

Share it

Royler e Ueda na pesagem. Foto: Divulgação.

O Amazonas é um dos estados que formou mais lutadores de ponta no Brasil, feras como José Aldo, Ronaldo Jacaré, Wallid Ismail, Xande e Saulo Ribeiro, entre tantos outros. A tradição da terra é o Jiu-Jitsu, e não foi isso o que faltou numa noite de gala, com direito à despedida de Royler Gracie no MMA.

Na luta principal, o Gracie não venceu Masakatsu Ueda. Perdeu por decisão dividida, num combate controlado pelo japonês. Royler teve boa chance na primeira parcial, quando derrubou. Mas Ueda saiu do sufoco e controlou com bons chutes. Merecia até a vitória por decisão unânime, mas isso é o que menos importa.

“Fico super contente por ter lutado contra um fenômeno”, destacou Ueda no canal Combate.

Royler (5v-5d-1e) se despede dos ringues contra um dos melhores lutadores da atualidade no Japão. Aos 45 anos, o Gracie lutou três rounds contra Ueda (14v-1d-2e), de 33 anos.

“Queria me desculpar com o público, mas estar aqui dentro, na minha idade, é muito mais difícil que estar atrás de uma TV. Não estava no maior gás, mas tentei honrar o que fiz a vida inteira”, disse.

“Meu adversário é um oponente perigoso, o conheço de outros carnavais. Independentemente do resultado, fechei com chave de ouro”, encerrou Royler, que pediu mais apoio aos atletas brasileiros.

Nos outros combates, Antonio Braga Neto não fez a luta principal, mas a vitória contra Maiquel Falcão foi, certamente, a melhor da noite. Braga ficou praticamente nocauteado no primeiro round, literalmente no automático, após uma série de socos interminável do oponente, dono de uma mão pesada. No segundo assalto, o faixa-preta tratou de derrubar. Usou o bom Jiu-Jitsu, de campeão mundial, para passar a guarda e finalizar com uma justa chave de braço.

“Além de brasileiro, sou caboclo do Amazonas, porra!”, gritou, para o delírio de todos no ginásio.

Ronys Torres precisou de apenas 47s para nocautear Drew Fickett, oitavo triunfo seguido, e Daniel Acácio de 2min50 para aplicar o revés por nocaute em Sergio Junior. Marcos Alexandre, o Capitão, usou o Jiu-Jitsu para bater em decisão unânime o também faixa-preta Daniel Aguiar, o Roupinol. Decepção foi a luta entre Paulão Filho e o judoca campeão olímpico Satoshi Ishii. Nem Paulada engoliu o empate:

“Confesso que achei que não venci. Mas estou pronto para lutarmos novamente e resolver essa parada”, admitiu Paulão, que recebeu o aplauso do público pela sinceridade.

Na luta 100% internacional, Jordan Smith bateu o ex-UFC Karo Parisyan. Vale destacar a bela finalização também de George Clay sobre Anthony Birchack.

Confira todos os resultados:

Amazon Forest Combat
Manaus, Amazonas, Brasil
Quarta, 14 de setembro de 2011

Masakatsu Ueda venceu Royler Gracie por decisão unânime
Paulão Filho e Satoshi Ishii empataram
Ronys Torres venceu Drew Fickett por TKO aos 47s do R1
Antonio Braga Neto finalizou Maiquel Falcão com uma chave de braço aos 4min26s do R2
Jordan Smith venceu Karo Parisyan por decisão dividida
Daniel Acácio venceu Sérgio Junior por KO aos 2min50s do R1
George Clay finalizou Anthony Birchack com um mata-leão a 1min29s do R1
Marcos Alexandre Capitão venceu Daniel Roupinol por decisão unânime
Dileno Lopes finalizou Adson Jander com uma guilhotina a 1min15s do R1
Rivaldo Junior venceu André Leocádio por decisão dividida

Ler matéria completa Read more
There are 8 comments for this article
  1. Diogo at 5:55 am

    Evento de altíssimo nível!!! Parabéns organização M1 Eventos! E o próximo já tem um lutador escalado Murilo Bustamante!!! Sem dúvida acaba de nascer o melhor evento de MMA no Brasil!

  2. Bobsan at 11:44 am

    Apesar da luta ter sido muito ruim,temos que reconhecer que Royler sempre foi um grande atleta, e mostrou sempre sua cara nos torneios pelo mundo.
    Fico decepcionado quando leio um monte de besteiras de gente que NUNCA subiu num Ringue na vida e só fica fazendo cobranças dos outros.
    Parabens Royler, sua carreira foi brilhante.

  3. Marcio2007amaral at 2:12 am

    Royler foi um dos mais tecnicos do mundo do Jiu Jitsu, no pano lutava contra qualquer um de qualquer peso, um gênio. No MMA foi irregular, ganhou a mesma quantidade que perdeu, e nao fez muitas lutas, nunca foi um dos melhores do seu peso (isso no MMA) mas sempre teve muita coragem, isso nao se pode negar.

  4. Marcio2007amaral at 2:12 am

    Royler foi um dos mais tecnicos do mundo do Jiu Jitsu, no pano lutava contra qualquer um de qualquer peso, um gênio. No MMA foi irregular, ganhou a mesma quantidade que perdeu, e nao fez muitas lutas, nunca foi um dos melhores do seu peso (isso no MMA) mas sempre teve muita coragem, isso nao se pode negar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *