King Mo chama Strikeforce de “paciente terminal”; Dana White responde

Share it

Com um público pagante de menos de 2 mil pessoas em Ohio, o último Strikeforce foi bem aquém do que os próprio lutadores esperavam para um card da qualidade apresentada. Na saída do evento, cheio de moral após derrotar Roger Gracie, Muhammed “King Mo” Lawal ironizou a organização que lhe paga. Antes da luta, o americano dissera que o Strikeforce parecia um “paciente terminal com câncer”, em que todos só “esperavam o dia da morte”. Após a vitória, a coisa só piorou, nas palavras de Mo:

“Parece na verdade um doente de Aids, com os médicos prontos para desligarem os aparelhos da tomada”, disse o polêmico mão-pesada ao MMA Junkie.

Cage do Strikeforce. Foto: Carlos Ozório.

Hoje, Dana White respondeu ao lutador, como publicou Kevin Iole, do Yahoo, em reportagem repercutida por diversos sites, como o Bloody Elbow. O presidente do UFC deixou claro que não divulgou lutas como o ex-Strikeforce Overeem contra Brock Lesnar esta semana para esvaziar o Strikeforce do último dia 10.

“Se esse tal de Mo ou outro cara qualquer acha que eu planejei isso, eles estão completamente insanos. Nós assinamos com o Overeem e fizemos a luta com Brock acontecer, sim, mas eu podia imaginar que Nick Diaz faria aquilo também? Temos muita coisa acontecendo ao mesmo tempo, e eu não precisava de mais essa. As coisas são assim, nunca me passa pela cabeça meios de ferrar com o Strikeforce, eu apenas promovo o UFC 24h por dia, sete dias por semana”, comentou White.

E você, concorda que o Strikeforce está com os dias contados? Comente abaixo!

 

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article
  1. Julio Cesar at 2:27 pm

    Infelizmente, isto é fato. Como o MMA na atualidade está estruturado como uma indústria da luta, nada mais natural do que compras, fusões e aquisições, algo que já vem ocorrendo há alguns anos com o UFC comprando alguns dos principais eventos no mundo.
    Entendo que isto é prejudicial para os lutadores ficarem restrito apenas a uma organização, pois a maioria passa muito tempo sem pisar no octogon e com isto perdendo o ritmo da luta.
    O Strikeforce assinou sua sentença de morte ao ser incorporado pela UFC-Zuffa Holdings que deseja manter o monopólio dos grandes eventos mundiais de MMA.
    Entendo também que com esta gana em adquirir eventos, dever-se-ia criar nos patrocinadores, maiores disposições em tentar competir, investir em planejamento e criar um novo evento com novas propostas para os lutadores de forma a atrai-los e assim competir com o UFC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *