E afinal, onde foi parar o Jiu-Jitsu do UFC Rio?

Share it

Encerrado o UFC Rio, um experiente faixa-preta de Jiu-Jitsu carioca estava impressionado. Não com o supremo domínio verde-amarelo, mas pela quase total ausência de golpes de chão no show realizado pela primeira vez na cidade berço da arte suave.

Teria sido um acaso ou tornou-se uma norma no UFC hoje? Os strikers teriam vencido a guerra?, pensou o faixa-preta, fotógrafo por profissão, após ver pela TV, nas cinco lutas finais, um festival exclusivo de socos e pontapés. Pior: nas demais lutas, nenhuma finalização para concorrer ao prêmio de melhor da noite. O que houvera?

Passamos a dúvida para um ex-campeão do UFC com talento e gana de finalizador, presente no UFC Rio. Com a palavra, Murilo Bustamante, técnico da BTT e córner de Rousimar Toquinho.

 

Thiago Tavares usou seu afiado jogo no chão para vencer, mas não finalizou. Foto: UFC.

 

“Primeiro vale dizer que a festa foi espetacular. De todos os UFCs e Prides que fui, como espectador ou atleta, este talvez foi o melhor evento em que já estive, pela energia da torcida, pelas exibições dos lutadores. Mas acabou que foi muita pancadaria, e menos Jiu-Jitsu. Não é propriamente uma norma, o card foi para isso mesmo, recheado de strikers, o que acaba sendo bom para conquistar a audiência leiga”, analisou Bustamante.

“No nosso caso, o Toquinho estava indo bem no Jiu-Jitsu, mas depois do recomeço da luta ele desandou. Acho que ficou com raiva e quis mesmo bater no cara… No começou ele estava seguindo o plano de derrubar e fazer o jogo de chão, até a hora em que foi comemorar sem o juiz sinalizar. Na hora nem entendi, ele disse que o cara gritou. Eu não sei se o americano foi malandro ou se ficou atordoado e apenas achou que tinha acabado o round, mas pode reparar que o cara demorou a protestar. Foi ingenuidade dele, de qualquer forma”, disse.

“Quando a luta recomeçou, o Toquinho sentiu dificuldade em se concentrar de novo, eu sei como é difícil voltar no mesmo ritmo, no mesmo foco. E atribuo o knockdown que ele levou a isso, entrou um jab e um upper que o desconectou, ainda bem que já acordou vindo para cima e deu tudo certo no fim”, detalhou o ex-campeão até 84kg do UFC, que já viveu drama similar contra Matt Lindland, em 2002. Na ocasião, Big John interrompeu equivocadamente a decisão do cinturão quando Murilo tinha uma chave de braço encaixada. Bustamante teve de lutar novamente e finalizou mais uma vez, na guilhotina.

 

Toquinho celebrou duas vezes na luta mais louca do UFC Rio. Foto: UFC.

“Para mim, foi a melhor luta da noite, pois mesmo no terceiro round a luta continuou na trocação franca”, ressaltou. “Toquinho provou que evoluíu muito em pé, no ataque e na defesa, mas pode melhorar muito mais. E, mesmo assim, eu quero que ele lute mais no chão, vamos treinar e conversar com ele para isso”, observou.

Sobre as outras lutas, Bustamante elogiou o controle de Thiaguinho Tavares, que dominou a pedreira Spencer Fisher no chão, para despachá-lo com socos na montada pelas costas. Para encerrar, Murilo não podia deixar de comentar a vitória do ex-companheiro de time Minotauro (clique aqui), que trocou a suavidade pelo murro e se deu bem.

“O Rodrigo se superou, como de costume. Estava lento ainda, mas o coração dele está sempre em forma, é gigante. Mesmo começando a levar a pior em pé, com dois uppers que já tinha feito ele dobrar as pernas, ele continuou indo para cima, encurralou o garotão, soltou a mão e entrou”, resumiu.

 

UFC Rio

HSBC Arena, Barra, Rio, RJ

27 de agosto de 2011

 

Anderson Silva venceu Yushin Okami por TKO aos 4min2s do R2

Mauricio Shogun venceu Forrest Griffin por TKO no R1

Edson Barboza venceu Ross Pearson por decisão dividida

Rodrigo Minotauro venceu Brendan Schaub por TKO aos 3min9s do R1

Stanislav Nedkov venceu Luiz “Banha” Cane por TKO aos 4min do R1

Thiago Tavares venceu Spencer Fisher por TKO aos 2min21s do R2

Rousimar Toquinho venceu Dan Miller por decisão unânime

Paulo Thiago venceu David Mitchell por decisão unânime

Raphael Assunção venceu Johnny Eduardo por decisão unânime  

Erick Silva venceu Luis Beição por TKO aos 40s do R1

Yuri “Marajó” Alcantara venceu Felipe “Sertanejo” Arantes por decisão unânime

Yves Jabouin venceu Ian Loveland por decisão dividida

Ler matéria completa Read more
There are 9 comments for this article
  1. Anderson arte suave at 2:02 am

    Faltou o nosso brasilian jiu jitsu, nossa marca registrada nos eventos de mma, apesar de gostar de uma boa trocação, senti muita falta da arte suave que pra mim é e sempre foi a melhor!

    • Jack at 10:32 pm

      Verdade..Roger sera colocado a prova pra valer agora!!!! King Mo eh jovem tambem, poucas derrotas, tem envergadura consideravel, se eh um bom wrestler, sera dificil ir pro chão. Bom, Charles do Bronx´s jah finalizou nas costas, sem ir pro chão, Roger tambem no ADCC. Espero que a tecnica prevaleça!!!!! OSSSSSSS!!!

    • Santiagorcorrea at 1:08 am

      a questão é que o americano/ público em si gosta de boxe e vê no MMA uma revitalização de algo perdido com a aposentadoria do Tyson, Holyfield, Foreman, os quais eram monstros sagrados da mão.

      quem não tem um bom stryker está sujeito a ser visto com maus olhos e até quem não faz o estilo massacre desenfreado (vide Dragon Machida) é visto com maus olhos.

      eu prefiro o jiu, mas a gente sabe que a arbitragem não sabe contar e os juizes de arena também nao deixam o jogo evoluir no chão.

      o jiu vai aparecer de novo quando tudo isso mudar. Nesse meio tempo tem o Sotiroupolus, Roger e bem poucos usando a técnica com maestria.

    • Walter Sá at 11:28 am

      Tudo o que o UFC vem fazendo é diminuir o Jiu-Jitsu. É triste ouvir dizer que Ele (o Jiu-Jitsu) está ultrapassado. Não basta você colocar a faixar e treinar anos para ver a sua verdadeira eficiência. É preciso compreendê-lo, vivê-lo e acima de tudo respeitá-lo.

      Ele foi criado para nos proteger nas piores horas, pois mesmo com rounds tão curtos Ele tem salvado muitos da derrota.

      “O Jiu-jitsu pode não reinar mais, mas ainda governa.”

      Abraço a todos.

  2. Paulo Moreno at 12:16 pm

    Com certeza, não existirá striker mesmo que treine BJJ que consiga parar um BJJ afiado,com certeza caras como BJPenn e principalmente Roger, teem condições reais de finalizar independente do oponente …
    Como disse o mestre Rickson:
    É usar a cabeça,botar pra baixo finalizar e comemorar o anúncio de cara limpa!
    osss

  3. Felipe Jiu at 6:32 pm

    Bom, tem outra coisa. O Cara monta, ou pega as costas, ele prefere socar até o juiz interromper, do que tentar um arm-lock ou triangulo, onde o cara pode defender e você perder a posição. Acho que na luta do Thiago Tavares isso ficou claro.

    Mesmo assim, tem que usar Jiu Jitsu [ra chegar na montada e estabilizar a posição para bater.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *