Candidato a rei do GP, Pezão quase “escapou” do MMA

Share it

Pezão na montada contra Fedor. Foto: Dan Rod.

Antonio Silva, o Pezão, é cheio de histórias. Ter batido Fedor Emelianenko no GP de pesados do Strikeforce é apenas uma delas. Quando se dedicava somente às competições de Jiu-Jitsu, no Nordeste do Brasil, o paraibano casca-grossa não tinha a menor vontade de lutar vale-tudo, nome usado à época para o que hoje preferimos como MMA.

Se hoje Pezão segue com chance de ser o grande campeão do GP do Strikeforce, deve muito ao primeiro professor de Jiu-Jitsu, que fez um evento exclusivamente para o faixa-preta estrear. Na edição #101 da NOCAUTE, encadernada na GRACIEMAG #173, Pezão conta essa e muitas outras histórias, como a do dia em que Minotauro salvou a sua pele. E, claro, não deixa de falar do próximo desafio no GP, contra Alistair Overeem, e a vontade de encarar na final o desafeto Josh Barnett.

“Temos um pequeno desafeto e fico triste por isso, porque nunca tive problemas com nenhum lutador, pelo contrário. Saí na porrada com o Werdum por três rounds e somos muito amigos, por exemplo. Mas o Barnett é um cara prepotente, mal educado e metido e engraçado. Ele brincou com o problema de saúde que eu tenho. Quando alguém mexe com o seu ego é complicado e, como sou profissional, vou resolver isso dentro do cage. Se não fizermos essa final, ainda vamos nos esbarrar por aí, mas quero chegar lá contra ele, e vencê-lo”, garante.

Para saber tudo sobre Jiu-Jitsu e MMA, corra às bancas e garanta a sua GRACIEMAG. E se quiser receber em casa, assine aqui.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *