Luiza comenta luta contra Hillary e se prepara para os novos desafios

Share it

Luiza no Mundial Sem Kimono. Foto: Arquivo Pessoal.

Faixa-preta que vem se destacando, campeã mundial sem kimono, Luiza Monteiro está empolgada após a participação no Pan. A lutadora não precisou lutar no meio-pesado, sem adversárias inscritas, mas uma vitória em especial no absoluto deu gás extra para os próximos desafios.

“Achei que lutei bem. Venci a primeira luta no absoluto, venci a Rejane Dias por 6 a 2 e depois lutei com a Hillary Williams, uma luta que estava esperando muito. Ano passado, ela havia me vencido na final do peso. Foi a segunda vez que perdi para ela. Dessa vez consegui finalizar na chave de panturrilha, então foi muito especial. Na semifinal contra a Gabi Garcia não deu, ela passou a minha guarda e me pegou no braço”, conta.

Apesar de não estar em ação no World Pro, Luiza aproveita para focar em outros eventos.

“Fiquei muito chateada por não lutar no World Pro. Venci a categoria na seletiva e estava bem confiante no absoluto, onde garantiria a vaga. Venci a Polyana Lago, mas acabei perdendo para a Talita Treta na final. Talvez não fosse o momento certo, mas sigo empolgada para a seletiva do ADCC, adoro lutar sem kimono, e depois para o Brasileiro e Mundial”, fala.

“O foco principal agora é o Brasleiro, vou buscar peso e absoluto. No Mundial também estarei com certeza. Apesar de ficar um pouco mais leve que as adversárias, devo ir de meio-pesado mesmo, que é a categoria que gosto de lutar. Queria agradecer todo o apoio do professor Rodrigo Cavaca”, encerra.

Ler matéria completa Read more
There are 4 comments for this article
  1. Luiza Monteiro at 12:03 am

    Corrigindo:
    Fiz a primeira luta com a Luka Dias e venci por 15 a 2..
    E tive luta na categoria mas a menina não foi lutar a final.

  2. jack at 12:07 am

    Legal saber mais de atletas que tiveram seu exito pessoal mesmo sem ter ganho na categoria, ou ter raspado uma medalha de bronze…pouco eh divulgado dessa atleta. Ela perdeu para Hillary Willians no mundial 2010? luta puxada, mas eh legal que nao teve esse negocio de “fechar” …achei um tanto estranho no final o comentario ao “professor”… o sensei Cavaca queria eh estar no corner da americana na final mas declinou pois pegaria mal. Quando houver uma premiação melhor no JJ (tipo o carro zero no pan da “2a divisão” em Taquatinga DF ano passado), mais colegas de equipe vão lutar e manter a amizade, eh claro!

  3. Silvana Monteiro at 12:24 am

    Sou mãe, e tudo que eu disser aqui parecerá corujice. Mas como profissional da área de planejamento, admiro a maneira como a Luiza vem ascendendo no esporte que escolheu, planejando cada passo de sua carreira de atleta, compatibilizando-a com sua vida pessoal de garota e de estudante, mesmo que isso lhe custe alguns sacrifícios. Seus pontos fortes são foco e disciplina. Ao tempo que parabenizo a atleta orgulhosa da filha, agradeço a Revista Gracie pelo apoio e cobro mais empenho das Federações pela luta (que so pode ser coletiva) de elevar o JJ à categoria de esporte olímpico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *