A trocação de Overeem e Werdum: “Tá me cheirando a Napão x Cro Cop”

Share it

Após ser comprado pela mesma empresa que controla o UFC, o Strikeforce segue a vida, assim como o plantel de lutadores contratado pela organização. No prosseguimento do GP de pesados, Fabrício Werdum encara Alistair Overeem, em junho. O combate, que também vale como revanche – Werdum finalizou no Pride, em 2006 – , coloca frente a frente o campeão do ADCC contra o do K-1, num choque de estilos.

No entanto, não se surpreenda se o faixa-preta de Jiu-Jitsu arriscar um nocaute contra Overeem. André Dida, que auxilia nos treinamentos de muay thai ao lado do treinador Rafael Cordeiro, garante essa possibilidade. Lutador de MMA e do K-1, Dida também comenta os maiores perigos de Alistair.

Confira:

Dida num treino com Werdum em Nova York. Foto: Carlos Ozório.

Como é possível um especialista em Jiu-Jitsu, como o Werdum, lutar em pé contra um campeão do K-1?

Como também sou um atleta do K-1 Max, sei muito bem como pensa um atleta do muay thai no vale-tudo. Sofro muito com isso no período de treinamentos, porque no muay thai a movimentação, a postura e a forma de bater é diferente de como deve ser feito no MMA. Vou dizer, se o atleta de muay thai encontra um atleta agressivo, que vem para cima, iguala a luta. No MMA um golpe basta para decidir, então as chances estão dadas para os dois.

Como estão preparando o Werdum para ele não ser surpreendido?

Fazemos um trabalho bem específico para ele não ser surpreendido por algum golpe. É um trabalho simples e fácil, porque o Overeem tem muitas lutas. Ele costuma vir da mesma forma e tenho certeza de que não vai mudar muito agora. O Werdum também está treinando bastante wrestling, o Jiu-Jitsu é a sua principal habilidade, então vai ser fácil criar uma tática. Olha, essa luta está me cheirando a um Napão x Cro Cop. Quando ninguém esperava, o Napão nocauteou. O Werdum tem a mão pesada, golpes muito fortes, bom chute e um espírito de briga muito bom, o que iguala na hora do vale-tudo.

Mais quais são os grandes perigos do Overeem em pé?

Ele é perigoso na longa distância. É um lutador perigoso, não tem como desmerecer, atual campeão do Strikeforce e do K-1, o maior evento do mundo entre strikers. O jogo em pé é a praia dele. Mas, como disse, se colocar disposição e não deixar ele se armar, dá para surpreender. No entanto, acho que o que ele pode dar trabalho é na distância, e estamos fazendo justamente o trabalho para que isso não aconteça.

E você, Dida, quando e onde volta a lutar MMA?

Se Deus quiser, o Strikeforce é o próximo evento que devo lutar. Mas acredito que seja só daqui a alguns meses. Estou dando aulas, acabo de me mudar, então tenho que ajeitar a minha vida. Quando estiver tudo estabilizado, vou com tudo nessa parte de lutador.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *