Uma coletiva para avisar: “Os fãs podem ficar tranquilos”

Share it

Lorenzo Fertitta, um dos donos do UFC. E agora, oficialmente, do Strikeforce. O cartola disse ainda que quer levar o UFC ao Madison Square Garden, em Nova Yorl.

A empresa Forza, LLC, uma subsidiária da Zuffa, LLC, que detém a marca Ultimate Fighting Championship, anunciou oficialmente nesta segunda-feira, dia 14, via conferência mundial de imprensa, a compra da marca Strikeforce.

Junto com o anúncio, Lorenzo Fertitta, presidente da Zuffa e presidente do Conselho do UFC, fez questão de ressaltar que, por enquanto, o Strikeforce não irá se fundir com o UFC, permanecendo com evento e marcas separadas, assim como todos os contratos de lutadores e acordos de transmissão pela TV serão honrados.

“Nós pretendemos operar o Strikeforce como uma empresa separada, assim como nós fizemos com o WEC (World Extreme Cagefighting) por muitos anos”, explicou Lorenzo para depois falar da permanência do atual CEO do Strikeforce, Scott Coker: “Estamos ansiosos para trabalhar com ele e com toda sua equipe para continuarmos a fornecer conteúdo de qualidade para os fãs de MMA. Sentimos que, juntos, podemos continuar a expandir tanto o Strikeforce, quanto o UFC”, comentou.

Dana White, presidente do UFC, também fez coro e garantiu que a principal intenção é sempre levar as melhores lutas para os fãs em todo mundo e explicou que, com o Strikeforce, o MMA pode chegar a vários países. “Temos trabalhado duro para fazer do MMA o esporte que mais cresce no mundo. Adquirir os ativos do Strikeforce nos permite continuar a desenvolver este esporte mundialmente”, explicou.

Atualmente, o Strikeforce tem 16 eventos por ano nos Estados Unidos. Segundo Dana White, a organização continuará a fazê-lo e os fãs podem esperar por lutas emocionantes com seus atletas favoritos. Embora atualmente não haja planos para trazer lutadores do Strikeforce para o UFC, uma nova estratégia para reforçar o elenco está sendo desenvolvida.

“Este é um dia importante para o MMA. Estamos muito animados para trabalhar com Lorenzo Fertitta, Frank Fertitta, Dana White e todos do UFC para fazer do MMA o maior esporte do mundo. Os fãs podem ficar tranquilos, pois vamos trabalhar para melhorar ainda mais a qualidade das lutas”, explicou Scott Coker.

Com sede em Las Vegas, Nevada, a Zuffa, LLC, é proprietária e opera a marca Ultimate Fighting Championship. A programação do UFC é transmitida em mais de 145 países, atingindo 500 milhões de lares em todo o mundo, em 19 diferentes idiomas. O site oficial do evento (www.ufc.com) tem mais de seis milhões de visitantes únicos por mês. A empresa detém também o game best-seller UFC “Undisputed”, franquia de vídeo game distribuído pela THQ; UFC Gym, o ginásio oficial do evento; o UFC Fight Club, programa de fidelidade; o festival UFC Fan Expo; além de vestuário, direitos em placas de publicidade, bonecos articulados dos lutadores, DVDs e uma revista bimestral.

O Strikeforce fez história em 2006, quando realizou, pela primeira vez no Estado da Califórnia (EUA), o evento “Shamrock vs Gracie”, que bateu recorde de público (mais de 18 mil espectadores). Em março de 2009, o Strikeforce assinou contrato com a TV Showtime para transmissão ao vivo de seus eventos. Desde então, também produziu dois eventos ao vivo, em horário nobre, na TV CBS. O Strikeforce era administrado pela Silicon Valley Sports na Entertainment e West Coast Productions.

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article
  1. Flavio at 7:10 am

    a verdade tem que ser dita, tanto o UFC como o Strikeforce pagam uma mixaria aos lutadores, o Feijão detentor do título lutou com o Henderson e ganhou miseros US$ 28.000 enquanto o Henderson ganhou US$ 450.000 uma vergonha, vejo outros lutadores entrarem no octogonopor US$ 3.000 o que é isso até no Brasil se paga mais, entrar para lutar uma mixaria dessas é preferível nem ir, enquanto tiver gente que se submete a isso mais ricos ficam os donos das organizações as custas do sangue dos coitados, vamos acordar lutadores, se valorizem se espelhem no boxe, o Mike Tyson entrava no ring por uma bolsa de US$ 15.000.000……..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *