Aryzinho comenta os treinos para vencer Malfacine

Share it

Ary foi campeão mundial dos penas na marrom em 2010. Foto: Luca Atalla.

Aos 20 anos, nove de Jiu-Jitsu, o amazonense Ary Farias (Atos) chegou lá. Na sua estreia na faixa-preta, finalizou duas lutas no peso-pluma do Europeu 2011, e na final passou por Bruno Malfacine num lutão, por 6 a 4.

Na correria entre um seminário e outro, Ary falou com o GRACIEMAG.com

Como fez para vencer o Malfacine?

Só vence quem tem méritos, e foi uma guerra. Se você quer ser bem-sucedido, precisa ter dedicação total, buscar seu limite e dar o melhor de si mesmo. Acho que foi isso que aconteceu comigo e a vitória chegou, mas ele é um fenômeno e continua sendo o número um da categoria, um grande guerreiro. Minhas saudações para ele!

Quantas horas por dia você está treinando?

Treino Jiu-Jitsu de manhã com o time de competição da Atos, e à tarde fazemos preparação física focada no método de ensinamento  do Thiago Mendes, nosso preparador. À noite, mais treinos no caldeirão!  Estou sempre treinando, mas confesso que agora estou treinando como nunca trenei! E o mais importate é que eu estou feliz com a quantidade de treinamentos e com o suporte que recebo do meu time.

Você treina há quase dez anos. Precisou abandonar a escola?

Não, apesar de eu não ser um bom aluno eu nunca precisei abandonar a escola. E todo dia o meu pai cobra de mim e do meu irmão que a gente faça uma faculdade! Por enquanto estou focadao só no Jiu-Jitsu, mas minha vontade maior é de fazer uma faculdade fora do país. Mas sei que não vai ser fácil conciliar os treinos com os estudos, mas no futuro vou tentar.

Você é um verdadeiro rato de campeonato desde a faixa-amarela. Qual a melhor luta a que assistiu?

Ronaldo Jacaré contra Roger Gracie, no Mundial 2004, naquel Tijuca Tênis Clube fervendo! Uma luta histórica!

Ler matéria completa Read more
There are 3 comments for this article
  1. TOM AGRA at 7:59 pm

    Ary Farias,

    Esse rapaz que um dia foi uma criança, adoslecentes e agora entrando na fase adulto. Acompanhei uma parte de sua infancia quando treinava conosco na ASLE em Manaus. Todos aqueles que veem ele lutar se admira. Eu não tinha duvida que iria chegar nesse níve, ainda mas, VAI SUBIR MUITO MAIS, acredito no potencial dele. Um abraço e meus parabens. TOM AGRA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *