Um maduro Belfort contra Silva

Share it

Vitor Belfort se prepara para a luta da vida, contra Anderson Silva, no próximo sábado, e o GRACIEMAG.com vai estar presente no UFC 126, em Las Vegas. Enquanto isso, confira mais um trecho da entrevista de Belfort ao correspondente Nalty Jr, já publicada na GRACIEMAG #166, porém, inédita no site. Vitor não terá vida fácil, mas nas declarações percebe-se um lutador maduro rumo ao octagon.

Anderson com Belfort e o presidente Dana White na coletiva do UFC Rio, marcado para agosto. Foto: Carlos Ozório.

Seu boxe já foi considerado o melhor do MMA. Continua assim?

Não, acho que não. Estou longe disso. Existem muitos caras bons hoje em dia, são vários.

Qual fundamento técnico acha que ainda não conseguiu lapidar?

São tantas coisas… Às vezes me sinto ainda um faixa-branca no Jiu-Jitsu, um amador no boxe… Sou um aprendiz. Acho que tem que pensar para frente em todos os momentos, não pode se acomodar.

Qual foi o principal erro e acerto na sua carreira?

O principal acerto foi ter saído do Brasil para os EUA para treinar. O principal erro foi muitas vezes ter adiado a solução de um problema.

Você até hoje é criticado por mudar constantemente de treinadores e sparrings…

Mas o bacana é ver que muitas pessoas que me criticaram hoje fazem igual. As pessoas têm que ter humildade. Antes de criticar, tem que saber o que aquilo significa. O que é fidelidade? É uma palavra que muitos usam, mas poucos conseguem colocar em prática. Acho que para o esporte evoluir as pessoas têm que dividir conhecimento, aprender umas com as outras. Ninguém sabe tudo e não tem nada a aprender, assim como todos tem algo a ensinar. A grande questão não é a fidelidade, mas como as pessoas encaram o MMA. Outro dia li uma entrevista do Lyoto, ele foi treinar lá na AKA. Às vezes ele treina com o Cigano, comigo… Tem que ter alguém para quebrar esse gelo, dizer que é possível. Óbvio, sempre vai ter alguém para criticar, mas o importante é ser fiel no que acredita.

Quais lutadores gosta de ver em ação?

O Cain Velasquez é um cara que me enche os olhos. O Randy Couture é outro, por causa da perseverança dele, pela forma como ele busca as realizações. Minotauro, Jon Jones, os brasileiros em geral… O Anderson Silva também, com toda a habilidade dele de misturar diferentes estilos.

Mas quais são os principais lutadores da história?

Royce Gracie, Marco Ruas, Fedor, Couture, Minotauro… Gosto de vários.

Pensa em lutar por mais quanto tempo?

Por mais uns cinco anos. Depois disso, quero me dedicar a negócios que envolvem esportes, que envolvam MMA. Quando começamos algo, não acreditamos que aquilo vá acabar um dia. Não pensava antes no dia que teria que parar de lutar. Muitos param antes, outros depois. O Randy parece que nunca vai parar! O importante é saber que controlamos as nossas decisões e não quebrarmos os nossos princípios. Felicidade é uma questão de tomar decisões, isso determina o futuro de um homem.

Para ficar sempre por dentro, assine a GRACIEMAG clicando aqui.

Ler matéria completa Read more
There are 2 comments for this article
  1. mario at 5:44 pm

    Não se trata de buscar bons treinos, estamos falando de LEALDADE, a impressão geral é que o Vitor não tem bandeira mesmo, pode lutar hoje com o amigo e parceiro de ontem, e isso ninguém duvida. Portanto , para alguns isso é aceitável e para muitos não .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *