Português derrota pedreiras e alegra o mestre

Share it

Santoro comemora com Max no pódio. Foto: Joãofranca.com.br.

Geralmente o principal destaque das competições é o vencedor do absoluto, mas Eduardo Santoro, o Português da Cia Paulista, dividiu as atenções durante o World Cup, no último final de semana, em São Paulo. Depois de lutar no absoluto master, o faixa-preta partiu direto para a categoria adulto, vencedor no peso meio-pesado, tendo derrotado por finalização pedreiras como Guto Campos e Sérgio Moraes. Mas, antes de vencer a competição, Santoro teve um desafio ainda maior.

“Tive uma lesão na virilha depois do Mundial e, quando estava quase recuperado, meu menisco saiu do lugar e tive que operar. Só voltei a treinar no dia 8 de novembro, então foram apenas quatro semanas antes da competição”, conta.

“Mas, por mais que eu esteja numa fase ruim, sou persistente e não desisto. Isso foi importante no tempo que fiquei parado”, completa Português, que comenta a campanha no evento.

“Primeiro lutei o absoluto master, em que fiz três lutas e fechei a final. Derrotei o Eduardo Telles na semifinal e, como já ia começar a categoria adulto, conversei com o André Bastos e dividimos o prêmio. Depois da minha última luta no master, fiquei até na dúvida se iria ou não no adulto. Nem descansei e já fui enfrentar o Yan Cabral. A minha chave estava sinistra e não sabia se iria aguentar.”

Depois disso, Santoro bateu feras como Alex Monsalve (Alliance), até enfrentar as maiores feras inscritas na categoria.

“Enfrentei o Guto Campos na semifinal. A luta estava empatada até o fim, quando consegui finalizar no triângulo. Pude descansar um pouco para final contra o Serginho (Moraes) e sabia que ele era um adversário muito estratégico, difícil de fazer pontos. Ele é um cara que tem a base muito boa, joga bem em pé, me deu uma queda e ficou por cima. Mas consegui repor a guarda, encaixei a omoplata e, quando fechei a guarda, fiz uma posição que faço há bastante tempo e consegui finalizar no armlock. Na hora não acreditei!”, comemora. Agora recuperado das lesões, o faixa-preta espera dar bastante trabalho em 2011.

“Ano que vem quero lutar todos os principais eventos, já que em 2010 fiquei muito tempo parado. Quero lutar o Pan, Mundial, os eventos aqui de São Paulo organizados pelo Fepa e ir para Abu Dhabi”, encerra.

Vitória sobre Sérgio Moraes. Foto: Joãofranca.com.br.

Mas a alegria não foi apenas do lutador. Seu mestre, Max Trombini, ficou mui contente e também teve importante papel na vitória.

“O Portuga perguntou: ‘Sensei, luto ou não luto o adulto?’ Disse a ele: ‘Guerreiro, você se escreveu na categoria e deixou de lutar a final do absoluto master. Então lute com alegria, divirta-se, porque este é seu mundo. Quero ver aquele velho Portuga de sempre!’ E ele fez um grande campeonato”, diz.

“O treino na Cia. Paulista é forte e ele está acostumado com isso desde a faixa branca, sempre foi muito disciplinado. Sou um professor disciplinador ou severo, para outros rabugento, mais exijo disciplina para não ficarem no salto alto. Prefiro puxar a empurrar meu exercito”, encerra Max, orgulhoso do pupilo.

Ler matéria completa Read more
There are 14 comments for this article
  1. Wilson Xavier at 11:41 am

    Portuga, parabéns! Sempre “TOP”! E sempre representando o jiu-jitsu honrosamente, não somente nos tatames, como na mídia! Garanto que você dá alegria e orgulho para muita gente, não somente o Mestre Max. Abraços e Sucesso!

  2. OBSERVADOR at 5:52 pm

    Entao eu estava no campeonato e o Guto Campos estava vencendo a luta por 4 x1 nas vantagens e 4×4 nos pontos mas faltando alguns segundo para o fim da luta Portuga finalizou no triangulo…Portugues teve 2 pontos no amor ja q Guto estava em suas costas sem os ganhcos e o juiz deu 2 pontos…parabens pelas vitorias …osssss

Deixe uma resposta para Wilson Xavier Cancel comment reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *