Tatá isenta MMA de confusão em Minas

Share it

Organizador Tatá Duarte. Foto: Carlos Ozório.

Neste sábado, aconteceu a terceira edição do Brasil Fight MMA, no Chevrolet Hall, em Belo Horizonte. No ginásio, sem o conhecimento da organização, alguns torcedores do Clube Atlético Mineiro marcaram presença. Foram assistir ao combate de um membro da organizada do time. Mais tarde, nas imediações do ginásio, esses torcedores se encontraram e brigaram com rivais do Cruzeiro, notícia que tomou conta de toda a imprensa mineira. Organizador do Brasil Fight, Tatá Duarte isenta qualquer relação entre o evento e as brigas entre organizadas. Mesmo assim, promete medidas severas para desvincular qualquer relação entre o MMA e a guerra de torcidas.

“O evento foi perfeito, um sucesso. Infelizmente, houve esse fato lamentável, que aconteceu fora do ginásio. Ficamos sabendo, depois, que havia integrantes de uma torcida organizada do Atlético dentro do evento. Não tinha como identificá-los, pois todos estavam à paisana. Aliás, não permitimos que o público vista nas dependências do Chevrolet Hall qualquer camisa de clube de futebol”, diz.

“Garanti a segurança dentro do Chevrolet Hall, inclusive aumentei a quantidade de seguranças em relação á última edição. Em nenhum dos três eventos que fizemos lá houve qualquer tipo de tumulto. O que houve foi que os membros dessa facção, na saída, encontraram com torcedores organizados do Cruzeiro nas imediações do ginásio. Ou seja, numa área que não temos qualquer responsabilidade”, continua.

“Essa situação de rivalidade entre torcidas de futebol já existe há dezenas de anos. Só espero que não façam a injustiça de relacionar o que aconteceu com um evento de lutas, que não tem nada a ver com futebol. O que vamos fazer, daqui em diante, é proibir a participação no Brasil Fight MMA de qualquer integrante de torcidas organizadas. Quando contratamos um lutador, nos certificamos da sua qualidade como atleta e academia que representa. Agora, infelizmente, teremos que investigar também se o lutador tem alguma relação com organizadas. No MMA, não existe brigas entre membros das academias. A disputa é no ringue. Agora, teremos que ficar atentos a um problema que vem de outra modalidade esportiva”, encerra.

Ler matéria completa Read more
There are 4 comments for this article
  1. Rodrigo Freitas at 2:47 pm

    Falar que o César Gordim não é ligado a Galoucura é insanidade! Até matéria de aulas na Galoucura já fizeram! O Tatá quando o contratou com certeza sabia que ele dava aulas para a Galoucura. Aliás, Gordim só da aulas na Galoucura!
    Tudo começou quando o professor Caveirinha iniciou as aulas a esse marginais que além de tumultuar eventos de MMA já arrumaram confusão em torneios de Jiu-Jitsu. (Perguntem ao Mestre Hilton Leão que promoveu um torneio que até tiro foi dado por esses animais) Agora estipularam que quem é atleticano treina na Galoucura, o resto que se exploda e eles vão levando assim. O pior é ter que ver o Ferrugem, que matou o cara andando na rua porque ficar preso não vai!
    A Galoucura só age em bando, só se manifesta em bando porque sozinhos são covardes que colocam o rabo entre as pernas. Atleticano é o torcedor que sabe torcer, apoiar e vaiar na hora certa, ser da Galoucura hoje em dia não significa ser atleticano e sim um marginal, vagabundo que frequenta os jogos do Galo.
    O Jiu-Jitsu tem seu lado marginal, devemos reconhecer, isso por culpa da Galoucura, César Gordim, Caveirinha, Ferrugem e muitos outros que ajudam esses imbecis no meio do esporte.

  2. Frederico Caldas at 5:07 pm

    Essa historia de ter aula de artes marciais na Galoucura é velha e começou com o caveirinha , em dia de jogo no mineirão a Galoucura tinha até bandeira do caveirinha!
    Esse Tatá sempre soube que o gordinho é afiliado desse bando de marginais e agora ta tirando o dele da Reta, vai falar que tb não sabe que o Facção é da Mafia Azul?
    O Tatá é um oportunista!!
    Em todos os outros eventos essa torcida esteve lá , não é a primeira vez.
    Esse gordinho deveria ser condenado por formação de quadrilha, afinal qual o intuito de ensinar artes marciais membros de torcidas organizadas??

  3. little at 5:57 pm

    Bem, se o Tatá sabia q havia lutadores de torcidas organizadas, pelo menos fez bem em não permitir mais que estes lutem. Uma pena torcedores queimarem o filme do MMA, porque o futebol, aconteça o que for, vai continuar igual, com patrocínios e estádios cheios. Já o MMA, aposto que vai perder patrocínios por causa disso. Vi o evento pela TV e foi muito bacana, um dos melhores do Brasil, melhor que varios outros que se dizem top. Uma pena tudo isso.

  4. little at 5:58 pm

    Só para completar, o Tatá pode ter tido até alguma culpa. mas os verdadeiros culpados são essas torcidas de bandidos e a justiça, que não acaba com elas há vários anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *