Sul-Americano: Tanquinho comenta duelos com Mário Reis

Share it

O peso leve Augusto Mendes (Soul Fighters) fez sete lutas no Sul-Americano, no último fim de semana, com sete vitórias. Os destaques foram as duas vitórias sob o “rival” Mário Reis (Gracie Barra), mas não foi fácil para Tanquinho.

“Só lutei contra cara mais pesado nas quatro lutas que fiz no absoluto. A semifinal foi bem dura, contra o Nivaldo Lima (CheckMat), que foi campeão nos pesados. Raspei duas vezes, contra uma raspagem dele”, lembra o campeão absoluto, que faturou uma passagem aérea para Lisboa, para o Europeu 2011.

Já a final teve um ingrediente a mais. Quem está habituado a cobrir de perto as lutas do peso pena Mário Reis no Jiu-Jitsu, sabe que o lutador sempre solta uma farpa para o juiz, e como árbitro Tanquinho recebeu várias delas.

Tanquinho contra Reis, em foto de Hugo Valente (hugovalente.com.br).

Ao enfim se enfrentarem, em Santa Catarina, isso ficou para trás. “O Mário é um grande lutador, bicampeão mundial e não entro para lutar pensando em nada disso. Não teve nada pessoal, de forma alguma. O jeito do Mário é esse, e na verdade a gente compreende o lutador sair chateado quando perde”, comentou Tanquinho.

“Quando se luta contra alguém como ele, que ataca o tempo todo, a luta fica ótima para o público, mas muito mais complicada para mim. Tive de ficar esperto, pois ele ataca o tempo todo, o que deixou as finais dinâmicas. Fui ganhando as posições e venci. Na final dos leves, venci nas vantagens”, resumiu o campeão, que fez três lutas no peso. Já no absoluto, Reis foi desclassificado pelo juiz. Ainda assim, os pontos de Mário ajudaram a Gracie Barra a vencer o título geral por equipes.

“Realmente foi o primeiro ouro absoluto da minha carreira, mas acho que entrei em quatro, cinco no máximo: um na azul, outro na roxa, recentemente no US Open em Santa Cruz e agora”, lembrou Tanquinho. “Foi uma surpresa agradável, um sinal de amadurecimento também. Na final, fui avançando nas posições e ganhando vantagens por ele segurar na boca da calça, depois as punições viraram pontos até a desclassificação. Normal, acho que ele aceitou, realmente estava fazendo as pegadas”.

Com o título absoluto, o faixa-preta da Soul Fighters conquistou a passagem oferecida pela organização e patrocinadores do Sul-Americano, para lutar o Europeu da IBJJF. “Estou garantido lá em Portugal. Se vou lutar absoluto é que não garanto”, brinca.

Um segundo bilhete aéreo para Lisboa foi sorteado entre os outros campeões. Quem se deu bem foi Elizângela Meireles (Gavião), campeã peso pluma e bronze no absoluto.

“O campeonato foi de alto nível técnico, com dois atletas levinhos sobrepujando os pesados e fazendo a final do absoluto. Houve mais de 750 inscritos, com atletas dos EUA, Europa e muitos cantos, e o evento rendeu até reportagem na TV Globo, todo mundo viu. São José, em Santa Catarina, firmou-se como a sede do Jiu-Jitsu sul-americano”, enalteceu Claudinho Arrais, da organização.

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *