Os novos campeões americanos

Share it

Samir Chantre pegou Megaton e venceu o Americano, peso pena. Fotos: Deb Blyth.

Além de Caio Terra, campeão absoluto do Campeonato Americano de Jiu-Jitsu, muito faixa-preta teve motivo para se orgulhar no último fim de semana, com o apagar das luzes do ginásio em Carson, Califórnia.

No feminino, Emily Wetzel (BJJ Revolution) foi a grande campeã absoluto, ao vencer a faixa-marrom Kiri Liao (Ribeiro) na final, por 6 a 4.

Laércio Fernandes festeja com Giva Santana. Foto: Deb Blyth

No peso galo masculino da faixa-preta, Caio Terra não conseguiu vencer o desgaste no absoluto e sucumbiu frente a Laércio Fernandes (Lotus), por 4 a 2. O aluno de Givanildo Santana vai com moral agora para o Mundial Sem Kimono, em novembro.

No peso pena, Wellington Megaton e Samir Chantre fizeram a final. Deu Chantre (Gracie Fighter), com uma chave de braço. “Puxei para a guarda, raspei e caí montado. Ao tentar empurrar, ele me ofereceu o braço. Esperei antes o juiz dar os pontos da montada, e aí apliquei a chave”, disse Samir.

Na semifinal, ele ainda precisou passar pelo havaiano Baret Yoshida. “Ele me venceu no Mundial Sem Kimono do ano passado, então foi a revanche. Venci por uma vantagem”, disse Chantre.

Rodrigo simões comemora. Foto: Deb Blyth

No peso leve, Rodrigo Simões (Gracie Barra) encarou a pedreira americana Zak Maxwell (Gracie Humaitá). Rodrigo levou a peleja por pontos, e estava amarradão. “Raspei, ele depois me raspou, mas eu raspei de novo”, disse o campeão. No fim, 4 a 2 para o brasileiro.

Simões, que no absoluto foi eliminado por uma chave de braço de Caio Terra, vai estar no Pan Sem Kimono, de Nova York, no próximo dia 2.

Clark Gracie em foto de Deb Blyth

No peso médio, a divisão terminou com Clark Gracie e Ryan Beauregard na final. Os dois são atletas da BJJ Revolution, mas decidiram se enfrentar. Clark então finalizou Ryan!

“Não chegamos a um acordo sobre quem levaria a medalha de ouro para casa, então lutamos. É dureza lutar 100% contra um amigo, mas assim que eu senti a intensidade dele no começo da luta, acordei e percebi que precisava dar tudo para vencê-lo”, disse o Gracie.

Beauregard começou vencendo por 4 a 0, até que caiu na guarda de Clark., que o finalizou com uma omoplata. “Na verdade eu asfixiei o pescoço dele dali”, explicou o Gracie, que no caminho para o título venceu também Marcelo Mafra (CheckMat).

O filho de Carley Gracie venceu o Americano quatro vezes, mas foi o primeiro ouro na faixa-preta. “Estou ficando quase pronto para encarar os melhores do mundo”, disse.

No peso meio-pesado, Marco “Sharpei” Machado (Drysdale) fez mais uma final contra Bruno Antunes (Gracie Barra), repetindo o desenrolar do Las Vegas Open. Marco venceu, novamente, com 5 vantagens à frente.

Marco Machado agora luta o Miami Open, em outubro, e o Mundial Sem Kimono no mês seguinte.

No superpesado, deu Bruno Bastos (Nova União), que venceu Alberto Vilanova (Gracie Barra). “Raspei e passei a guarda, mas no fim da luta quase que ele me pega numa guilhotina. Escutei o Gustavo Dantas berrar que só faltavam 30 segundos, então segurei e escapei”, disse Bastos.

Leandro Santos e Stephen Hall em foto de Deb Blyth

Já no pesadíssimo, o campeão foi Leandro Santos (Ribeiro), que foi bronze no absoluto. Leandro, afastado das competições por um ano devido a uma contusão no tríceps, venceu Stephen Hall na final, com uma passagem de guarda.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *