Gesias pronto para voltar ao topo

Share it

Gesias. Foto: Feg

Gesias Cavalcante vai encarar JoshThomson no Strikeforce do dia 9 de outubro, em San Jose, Califórnia. O lutador falou sobre o combate na conferência do evento e promete mostrar novamente toda a disposição e técnica que o levaram ao topo da categoria de leves, bicampeão do grand prix do K-1 Hero’s. Confira a entrevista, com colaboração do nosso correspondente Nalty Jr.:

O que acha de lutar nos Estados Unidos?

Quero agradecer ao Strikeforce e ao Scott Coker por me trazer de volta aos EUA. Faz muito tempo que eu não luto aqui. É um prazer para mim, ainda mais porque o Josh é um ex-campeão e vai ser uma luta dura. Não é uma tarefa fácil, mas a vida não é fácil. Eu gosto do desafio e acho que os fãs querem ver essa luta. Como os fãs desejam assistir a esta luta, eu estou feliz por combater nos EUA e no Strikeforce.

Você está se sentindo pressionada para este combate?

Eu não sinto pressão, especialmente porque as pessoas não me conhecem e não sabem o que esperar. Portanto, não há pressão alguma. Há mais pressão quando as pessoas conhecem e esperam que você vá fazer bem. Já passei por situações de pressão dos fãs, que criam muitas expectativas. Eu não estou colocando pressão em mim para ir bem. Eu sei do meu potencial. Eu sei que estou treinando forte e tenho um excelente camp de treinamento, um dos melhores do mundo. Tenho uma grande equipe. Eu apenas preciso manter o foco, o controle e o equilibrado.

Meu jogo funciona bem no cage, até melhor do que no ringue” Gesias

Você vinha se apresentando apenas em ringues. Acha que vai se adaptar bem ao cage?

Eu treino muito na gaiola. A maioria dos meus colegas luta na jaula, então eu treino com eles. Meu jogo funciona bem no cercado, às vezes, até melhor do que no ringue. Eu acho que no cage ou no ringue existem prós e contras, mas eu sempre vejo os prós a meu favor. Estou trabalhando duro e nada é diferente. Luta é luta em qualquer lugar.

Vai buscar a finalização?

Eu vou olhar para tudo. Ambos somos lutadores completos e a luta pode ser em pé ou no chão. Então, não estou focado em nada em particular. Estou preocupado em lutar duro por 15 minutos. Quando ele cometer um erro, eu posso agarrá-lo e vencer.

Se sente melhor depois de tantas lesões?

Estou me sentindo bem. Lutei em julho. Foi uma luta boa, de 15 minutos, mas me senti bem enferrujado por causa da lesão. Mas agora eu estou saudável, muito mais confiante mentalmente e fisicamente. Estou treinando bem, graças a Deus.

Lutar na casa do adversário é mais difícil?

Estou sempre lutando no território de alguém. Sei que é diferente no Japão, onde todos são tranquilos e respeitosos. Aqui as pessoas gritam e vaiam. Mas luta é luta. Estou bem com isso.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *