Confira a finalização do novo campeão do Jungle Fight

Share it

No fim, o novo campeão deu uma de fã. Fotos: Mauro Borges Filho.

Aboletados no fundo da van que os levaria de volta ao hotel Caesar Park, no Itaim Bibi, Yuri “Marajó” e sua equipe brincavam e festejavam o novíssimo cinturão do Jungle Fight, criado especialmente para o GP até 70kg realizado dentro do evento do último sábado, num dos ginásios do Ibirapuera.

Yuri (33v, 3d) e o irmão Queixinho conversavam sobre as duas vitórias na mesma noite. Além da rápida final contra o peruano Manuelo Morales, que precisou perder seis quilos na véspera da luta e não foi um rival à altura, sendo despachado rapidamente com um chute frontal na barriga, Yuri fez um lutaço contra o temido Francisco Massaranduba, aluno de Ataide Junior e que ainda contava com Rani Yahya no seu córner.

Sentado dois bancos à frente, o notório treinador de MMA Luis “Bebeo” Duarte virou-se então, com seu jeito sincero de sempre: “Você sofreu antes de pegar aquele braço, hein? Que vontade de pegar um braço, nunca vi”.

Yuri sorriu. Ele, que começou no muay thai e agora confia plenamente no Jiu-Jitsu, chegou a tomar inclusive um knock-down na luta. No fim, pelas contas dele, foram “umas três” tentativas de chave de braço da guarda, mas para o pessoal da van, tinham sido muito mais. “Umas oito pelo menos”, disse Bebeo.

De fato, Massaranduba partiu para cima o tempo todo, e castigou Yuri com muitos socos na guarda. Até que, aos 2min24s do segundo assalto, o golpe encaixou e o braço ficou, conforme havia planejado o faixa-preta de Jiu-Jitsu de Belém do Pará, que chegou a fazer uma série de treinos com o famoso conterrâneo Lyoto Machida antes do evento de Wallid Ismail.

“Agora quero lutar em algum evento lá fora”, pediu Yuri ao microfone. Por enquanto, nada fechado, mas não deve demorar. Sua luta foi transmitida pela ESPN Deportes, canal dos EUA em espanhol, e algum convite há de chegar.

Além do cinturão, o novo campeão conquistou outro troféu. Ao descer do ringue, o árbitro Carlão Barreto o chamou e o apresentou para um camarada de casacão vermelho: “Aí Yuri, você não entra no ringue com a música dele?”

Era o rapper gospel Pregador Lou, que tem várias músicas sobre MMA.

“Caramba! Pô, essa foto eu quero”, grudou logo o campeão dos leves do Jungle, seguido por Queixinho.

O motorista podia seguir para o hotel. O dever estava mais do que cumprido.

Jungle Fight by Pretorian
Ginásio do Ibirapuera, São Paulo, SP
18 de setembro de 2010

Eduardo Pamplona (Gibi Thai) venceu Ediberto Crocotá (Champion) por decisão unânime dos jurados
Augusto “Dogers” Montaño (México) finalizou Edvaldo Jose “Gameth” (Master) na guilhotina aos 41s do 2R
Alessandro Zoio (Chute Boxe) x Johil de Oliveira – No Contest após Johil se contundir com um bate-estaca no 1R
Marcelo Guimarães (Caveira) venceu Erick Becker por nocaute técnico no 2R

GP até 70kg
Yuri Marajó (Striker) finalizou Francisco Massaranduba (Constriction) com uma chave de braço da guarda aos 2min24s do 2R

Manuelo Morales (Peru) venceu Rodolfo Perez (Mexico) por decisão dos jurados

Final: Yuri Marajó venceu Manuelo Morales por nocaute técnico aos 15s do 1R

Ler matéria completa Read more
There are 2 comments for this article
  1. Jhonatan guimarães dospassos at 12:17 am

    como é bom ver o estado do pará sendo bem representado nesses ultimos tempos, pra mim é um privilegio, em saber que um dia, quando eu estava servindo na aeronaltica em Belém, juntamente comigo estava o yure e posteriormente o seu irmão Ildemar, no qual nós chamavamos de queixudo, na quele tempo eles ja lutavam, mas não pensava que eles iriam tão longe assim, mas agora eu digo com muita certeza que o yure vai ser o substituto de Lyoto, porque ele tambem tem uma estrela que já esta comessando a brilhar, o tempo nos dara essa resposta e todos veram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *