Todo o Jiu-Jitsu do UFN 22

Share it

Charles promete bom Jiu-Jitsu. Foto: Josh Hedges

Acontece nesta quarta-feira, no Texas, o UFC Fight Night 22. E o amante de Jiu-Jitsu tem bons motivos para sintonizar a TV no canal combate, a partir das 21h.

Rousimar Toquinho

Em 11 vitórias (duas derrotas), o faixa-preta da Brazilian Top Team finalizou oito vezes. Dono de poderosas chaves de pé, calcanhar e joelho, Toquinho, que enfrenta Nate Marquardt, também não dispensa um bom estrangulamento ou armlock.

“Acho que como todos os oponentes, Marquardt vai evitar o chão. E isso não é porque sou melhor que todos os outros, na realidade eu não acho que sou, mas finalizar caras no chão é o que eu gosto de fazer. Marquardt gosta de lutar em pé e a luta vai começar assim, mas se ela for para o chão, é claro que eu vou achar melhor. Mas não dá para saber o que irá acontecer. Às vezes vemos isso ou aquilo e essa é uma das razões pelas quais eu não gosto de falar, pois dentro do octógono tudo pode acontecer. Eu gosto de fazer e não de falar”, declara.

Nate Marquardt

Marquardt com os faixas-pretas da GFTeam

Apesar de se destacar pela trocação, o adversário de Toquinho sabe finalizar muito bem. Nas 29 vitórias (nove derrotas e dois empates), definiu assim em 15. Não bateu para feras do Jiu-Jitsu como Thales Leites e Dean Lister, além de ter nocauteado Demian Maia. O chão é treinado pelo aluno de Renzo Gracie Amal Easton e, para esta luta, teve ajuda dos faixas-pretas da GFTeam Denílson Pimenta e Luiz Eduardo Dentinho. Seu caminho deve ser na luta em pé, mas é bom Toquinho se cuidar no chão

“Essa é uma luta boa para ver como executo uma estratégia. Dean Lister estava vindo como campeão do ADCC quando o enfrentei, e ele é muito bom em chaves de pé. Então eu estava treinando muito esse tipo de situação naquela luta. Toquinho também é um finalizador e não vai lutar para amarrar durante três rounds, ele vai para finalizar. Quando descobrimos que não serão capazes de levar para baixo ou de abrir espaços para uma finalização, a luta pode se tornar ruim para eles”, avisa.

Charles do Bronx

O faixa-marrom de Jiu-Jitsu não deixa de participar de uma competição da modalidade e veste o kimono. Na estreia no Ultimate, o invicto Charles (13 lutas), que encara Efrain Escudero, faturou a finalização da noite. Pode vir outra nesta quarta, mas Bronx lembra que também sabe trocar socos e chutes.

“Treinei Jiu-Jitsu como se eu estivesse indo competir em um torneio da arte suave. Acho que o Escudero virá para trocar, e esta será uma boa oportunidade para testar o meu muay thai também. Se eu tivesse que comparar o meu Jiu-Jitsu com o meu muay thai, diria que eles estão no mesmo nível. Sempre dei ênfase a esses aspectos, porque um lutador de MMA tem que ser completo.”

Gleison Tibau

Com nove finalizações no cartel. Tibau encara Jim Miller, que também gosta de lutar no chão, com dez finalizações.

“Não vou perder a minha agressividade. Eu não sei o que ele vai tentar fazer na luta, porém, estou pronto para tudo. Estou preparado para manter o ritmo durante 15 minutos e será a pressão total. Mas eu quero terminar no primeiro round”, comenta.

Rafael “Sapo” Natal

Sapo finaliza. Foto: divulgação

O estreante no UFC luta no card preliminar. Entretanto, se aplicar uma boa finalização, por exemplo, pode ter o combate reprisado durante a transmissão ao vivo. Em 2005, pela Gracie Barra BH, Sapo venceu o Mundial de Jiu-Jitsu, ainda na faixa-azul. Hoje, na faixa-preta, a fera treina com Renzo Gracie. O cartel conta com 12 triunfos (duas derrotas), sete deles por finalização. Mas o lutador também sabe nocautear, como fez com Travis Lutter na última apresentação.

“Me dediquei muito ao Jiu-Jitsu, porque comecei tarde e a minha única chance de brilhar era dessa forma. Sonhava em ser campeão mundial, então, no começo, treinava três vezes ao dia para conquistar esse sonho. Sei que o Rich Attonito, meu adversário, é um wrestler que treina na ATT. Assisti algumas das suas lutas e imagino que será difícil. Ele é um lutador completo e acho que vai ser uma guerra”.

Aguarde o desenrolar dessa história aqui no GRACIEMAG.com.

Confira o card:

UFN 22
Austin, Texas
15 de setembro

Nate Marquardt x Rousimar Palhares
Efrain Escudero x Charles Oliveira
Jim Miller x Gleison Tibau
Ross Pearson x Cole Miller
Yves Edwards x John Gunderson
Jared Hamman x Kyle Kingsbury
Tomasz Drwal x Dave Branch
Rich Attonito x Rafael “Sapo” Natal
David Mitchell x Anthony Waldburger
Brian Foster x Forrest Petz

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *