“O Globo” destaca Jiu-Jitsu em Israel, com Royce e de la Riva

Share it

As performances de Royce no UFC despertaram o interesse do Jiu-Jitsu. Foto: divulgação

Um dos jornais de maior circulação no Brasil, “O Globo” deu destaque ao Jiu-Jitsu nesta terça-feira. A matéria assinada por Daniela Kresh, que preenche quase uma página inteira do caderno de esportes da edição, comenta a explosão da modalidade em Israel, com destaque aos renomados faixas-pretas Royce Gracie e Ricardo de la Riva. 

Atualmente Israel conta, segundo a reportagem, com aproximadamente 20 academias e estima-se que duas mil pessoas pratiquem Jiu-Jitsu, esporte que não para de crescer. Num país que vive a tensão dos conflitos no oriente médio, a arte suave, inclusive, serve como válvula de escape. 

“A tensão aqui faz com que muita gente queira escapar através de uma arte marcial que não fica devendo a nenhuma outra, mas que remeta à cultura brasileira, admirada em Israel pela alegria de viver”, comenta Isaac Benasulin, angolano que viveu parte da vida no Brasil. 

Mas o que despertou o interesse pelo estilo desenvolvido pela família Gracie foi realmente os resultados no MMA, com Royce Gracie, que conta com filiais no país. Foi assim que descobriu a modalidade um dos lutadores mais conhecidos de Israel, Ido Pariente. Depois de ver o desempenho do Gracie no UFC, em 1993, se apaixonou pelo Jiu-Jitsu. 

“Pensei: “O que é isso? Preciso aprender!”. Eu e meus amigos começamos a imitar o que víamos nas fitas. Na época, ninguém sabia o que era Jiu-Jitsu em Israel. Hoje, não há um Campeonato Europeu em que Israel volte sem medalhas.” 

Reprodução da reportagem de "O Globo"

Por fim, Gidon Sagher, faixa-preta de Ricardo de la Riva, prevê um futuro promissor. 

“O Jiu-Jitsu é sem dúvida a arte marcial que mais cresce aqui. Tem potencial para ser tão famoso quanto o krav maga, a luta local.”

Se estiver por Israel, vai a dica da nossa GMA no país: 

Renzo Gracie Academy
Ilan Torjeman
Ysmin B28
Shlomi, Israel
# 972-2377-2216
www.bjj-il.com

Ler matéria completa Read more
There are 5 comments for this article
  1. Toni Carvalho at 3:33 pm

    Fico feliz por mais um objeto de repercussão do BJJ, mas é lamentável que no seu país ele seja motivo de matéria quando vira matéria em midia de grande circulação. Deveria ser algo corriqueiro, longe de mim ser utópico achando que um dia vai aparecer diariamente nos programas esportivos e outras midias. Não entendo por que o atletas de Judô ficam com todo o destaque nacional, respeito o judô, acho fantástico, respeito os atletas também, mas no BJJ o Brasil manda, e você não vê os atletas com a mesma atenção da midia nacional. Qualquer leigo na rua sabe quem é Aurélio Miguel (efeito globo e olimpiada?), mas Roger, Royce, Rickson, Cobrinha… nada. Quando tem matéria é de pitboy arruaçeiro e destacam que ele luta BJJ. Mas as coisas vem melhorando a cada dia. É tarefa de todos nós promovermos nossa arte. Desculpem pelo longo desabafo, é a primeira vez que posto aqui apesar de ler sempre.

  2. isaias at 11:21 am

    Otima noticia!!!! promovam que os povos do oriente medio a disputar suas diferenças no dojo, no tatame e não com as tradicionais bombas de todos os lados kkkk Jordania, Emirados ja tem tradição, promovam paz junto ao esporte!!!!!!!! Osssssssssssss!!

  3. jr cesar at 1:15 pm

    comecei a praticar jiu a pouco tempo a cada dia fico mais motivado pelo que estou aprendendo com essa arte.e muito massa….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *