Frankie Edgar num papo revelador e exclusivo

Share it
Edgar comemora a segunda vitória contra Penn. Foto: Josh Hedges

Frankie Edgar surpreendeu BJ Penn novamente no UFC 118 e manteve o cinturão de leves na primeira defesa de título. O faixa-roxa de Jiu-Jitsu de Ricardo Cachorrão conversou recentemente com o correspondente do GRACIEMAG.com Nalty Jr. Confira esse bate-papo exclusivo e conheça mais sobre o número 1 da categoria até 70kg.

Como  foi a sua infância?

Desde criança eu sempre  tive uma queda para luta. Com 6 anos de idade, já estava sempre lutando na minha vizinhança. Luta era definitivamente um esporte para mim.

O que é mais difícil, conquistar o cinturão ou mantê-lo?

Na minha opinião, manter o cinturão é a parte mais difícil. Conquistá-lo é difícil também, com certeza é um longo caminho para chegar ao topo. Mas depois que você tem o cinturão e é o campeão, todo mundo quer tomá-lo de você. Manter o cinturão é muito mais complicado.

Como é lidar com toda a fama de ser o campeão?

O assédio dos fãs está um pouco mais forte agora do que antes. Muitos fãs me param para falar e tirar fotos, bem mais que antes. Tenho aprendido a lidar com a fama. Sinto que vou ficar mais famoso e progressivamente  aprendo a lidar com isso. Só não é admissível perder o foco nos treinos, porque a coisa mais importante na carreira de lutador  é treinar, melhorar  a performance e vencer as lutas. Se não for assim, toda essa atenção do público  acaba.

Edgar acerta BJ Penn. Foto: Josh Hedges

Qual foi sua luta mais dura, seu adversário mais complicado?

O  BJ, ele foi o  adversário mais difícil.

O que acha  dos lutadores da sua categoria  no momento?

É uma categoria que tem muitos talentos, das mais disputadas.  Tem lutadores muito competitivos, só tem  casca-grossa.

Você acha que uma boa estratégia é a parte mais importante para  vencer no MMA?

É muito importante ter uma boa estratégia, porque temos que fazer o nosso jogo e não entrar no do oponente. Talvez a estratégia não seja a garantia da vitória, mas, com certeza, é fundamental para vencer.

Suas habilidades no wrestling são suficientes para lutar no chão?

Tem que respeitar o Jiu-Jitsu. O meu wrestling é muito bom para botar o  adversário para baixo, mas se fosse lutar contra um cara do Jiu-Jitsu e não souber, definitivamente estaria com problemas.

Frankie no treino na academia de Cachorrão. Foto: Luca Atalla

Você treina com muitos faixas-pretas brasileiros, entre eles Ricardo Cachorrão e Renzo Gracie. Como é essa relação?

Cachorrão é como um irmão. Ele é ótimo para a minha carreira e tem sido a melhor coisa para mim. Todo mundo que eu conheci  do Jiu-Jitsu, toda a família Gracie, são grandes pessoas. Eu nunca fui ao Brasil, só sei as coisas que o Ricardo fala, que  o país é lindo. A gente tem que planejar uma ida ao Brasil no futuro.

O que achou da volta do Renzo ao MMA?

Achei ótimo. O Renzo é um embaixador do esporte, gente boa com todo mundo. Em qualquer lugar, todos amam o Renzo. Isso  e ótimo para o esporte. Ele é uma lenda.

Na minha cabeça, eu sempre vou vencer. Sou muito competitivo” Frankie Edgar

Você cresceu fazendo parte do time de wrestling na sua escola, nos EUA. Em Abu Dhabi foi implementado nas escolas o Jiu-Jitsu, o que acha disso?

É ótimo ter algum tipo de arte marcial na escola. Eu considero wrestling uma arte marcial, assim como Jiu-Jitsu. É muito bom para crianças pequenas aprenderem alguma dessas artes, porque ensina a disciplina e dá confiança. É muito maneiro eles ensinarem Jiu-Jitsu em Abu Dhabi nas escolas. Eu gostaria de ver as escolas ensinando aqui na América também.

Sente pressão em vencer a luta ou em dar show ao fãs?

Na minha cabeça, eu sempre vou vencer, porque sou muito competitivo. Sempre penso que, se fizer o meu jogo e colocar meu plano em prática, vai ser um bom entretenimento. Sou um lutador que sempre luta para frente.

Como você se descreve? 

Um cara de família, tenho dois filhos. Definitivamente a família em primeiro lugar.

Qual o segredo do seu condicionamento físico? 

Eu treino muito, treino pesado. Penso que isso é muito mais mental que qualquer outra coisa. Tem que treinar muito e ter a mente forte.

Num rola com Vinicius Draculino. Foto: Luca Atalla

Qual é a sua motivação? O que precisa para estar melhor ainda?

Minha motivação é somente vencer, eu acho… Minha família também me motiva. Tenho que melhorar a habilidade de finalizar as lutas. Essa é a parte principal que eu tenho que melhorar no meu jogo. Tento trabalhar meu jogo para conseguir aplicar golpes para finalizar.

O que acha dos rumos que o MMA segue?

MMA é o meu esporte favorito. Não me interesso por nenhum outro esporte como baseball, football, basquete… Acho que no MMA estão os melhores atletas do mundo e o esporte vai na direção certa. Mas também acho que algumas coisas vão mudar na hora correta. É um esporte tão novo, que estamos aprendendo conforme o tempo passa. Daqui a uns 10 ou 15 anos  vai estar bem diferente e espero que seja para melhor. Quanto mais atenção da mídia a gente tem, fica melhor. É possível o MMA se tornar o esporte mais popular  do mundo uma hora ou outra.

Nada vem fácil, de um dia para o outro” Frankie Edgar

O que diria aos que querem ser campeões  assim como você?

O que eu tenho a dizer é que tem que trabalhar duro e ser dedicado. Nada vem fácil, de um dia para o outro. É necessário realmente investir seu tempo. Se você quer realmente se tornar um campeão é preciso muita dedicação.

E o que diz aos seus fãs?

Obrigado por todo o suporte . Vocês são os melhores fãs do mundo!

UFC 118

Boston, Massachusetts, EUA

Dia 28 de agosto de 2010

Frankie Edgar venceu BJ Penn por decisão unânime
Randy Couture finalizou James Toney com um katagatami aos 3min19s do R1
Demian Maia venceu Mario Miranda por decisão unânime
Gray Maynard venceu Kenny Florian por decisão unânime
Nate Diazfinalizou Marcus Davis com uma guilhotina aos 4min2s do R3
Joe Lauzon finalizou Gabe Ruediger com uma chave de braço aos 2min1s do R2
Nik Lentz venceu Andre Winner por decisão unânime
Dan Miller finalizou John Salter com um triângulo de braço aos 1mi53s do R2
Greg Soto venceu Nick Osipczak por decisão unânime
Mike Pierce finalizou Almicar Alves com um armlock aos 3min11s do R3

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *