Jacaré, Feijão e Galvão: faixas-pretas comentam uma noite emocionante

Share it

Galvão foi um dos faixas-pretas em ação. Foto: Esther Lin

Embora o Jiu-Jitsu não tenha sido a arma mais usada dessa vez, três faixas-pretas da modalidade se destacaram no Strikeforce Houston, neste sábado, no Texas. Dois deles, inclusive, ainda garantiram o cinturão em jogo. Leia e assista:

Ronaldo Jacaré

Bicampeão mundial absoluto e atual vencedor da superluta do ADCC, Jacaré provou que a trocação estava em dia na vitória por decisão contra Tim Kennedy, que valeu o título de médios.

“É muita felicidade para um homem só. Meu filho nasceu, é muita coisa na minha cabeça. Enzo Gabriel, papai te ama!”, diz a fera, para depois comentar sobre a luta:

“Senti que ele estava muito forte para derrubá-lo, então resolvi trocar em pé. Queria sempre nocautear, mas, felizmente, lutei contra um adversário muito duro. Espero que não demore muito para colocar o cinturão em jogo.”

Rafael Feijão

Apesar de ter vencido por nocaute em nove dos dez triunfos, Feijão vem do Jiu-Jitsu, modalidade em que é faixa-preta. King Mo foi mais um a sentir os punhos de Feijão, o novo campeão de meio-pesados do Strikeforce.

“Estou tão bem cara! Caminhei para o meu sonho. Aprendo a cada luta e agradeço aos meus parceiros e a Deus em primeiro lugar. Sempre tento finalizar as lutas e todas as minhas apresentações vão ser assim”, garante.

“No primeiro round acertei forte e vi que ele estava bem. Percebi que teria mais trabalho dessa vez. King mo é um monstro, um lutador completo e respeito muito ele”, diz Feijão.

André Galvão

Também campeão mundial de Jiu-Jitsu, Galvão foi o que mais usou a arte suave em Houston. Derrubou Jorge Macaco muitas vezes e trabalhou bem por cima. Mas foi com socos, quando o oponente estava de quatro apoios, que chegou à vitória. A luta não valeu o título de meio-médios, mas Galvão está próximo de disputá-lo.

“Me sinto muito bem, é muito bom quando vencemos. O Macaco é um lutador muito experiente, por isso é muito importante para mim. Sei que tenho que melhorar ainda mais. Levei um soco forte no olho, no primeiro round, e vi três Macacos na minha frente. Foi importante passar por isso, mas espero que não se repita”, declara.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *