Cyborg fala da luta com Rolles e recorda um Mundial que marcou

Share it

Foto: John Lamonica

GRACIEMAG noticiou em primeira mão o combate entre Gregor Gracie e Pablo Popovitch, que acontece na UFC Fan Expo, nos dias 27 e 28 de agosto, em Boston. Ligado no site, o leitor com codinome “Triângulo” postou logo um comentário: “Rolles Gracie Também lutará contra o Cyborg Abreu”, avisou.

Seguindo a dica, conversamos com Cyborg, que confirmou o combate:

“É isso mesmo meu irmão, vou lutar com o Rolles e o Pablo com o Gregor. Estamos treinando muito como sempre. Temos um camp muito forte aqui na Flórida e treinamos o ano inteiro. O UFC Fan Expo, numa parceria com o Grapplers Quest, é uma vitrine enorme para o Jiu-Jitsu. Estou indo pra dar show e mostrar o trabalho! Não tenho muito para falar do Rolles, respeito a família Gracie e tenho certeza que vamos fazer uma grande luta”, comenta.

Nesta temporada, Cyborg foi um dos destaques do Mundial de Jiu-Jitsu, segundo colocado na categoria pesadíssimo. O evento trouxe muita experiência ao faixa-preta, emoções que vão da alegria à tristeza. O Mundial 2010 vai ser inesquecível para Cyborg.

“Esse Mundial foi uma grande experiência por duas razões. De cara, tive uma chave muito forte, tanto no absoluto quanto no peso, briga boa do começo ao fim. No peso, primeiro enfrentei o Tozi, depois veio o Gabriel Vella, Braga Neto e o Rodrigo Cavaca. Não podia ter um dia melhor, né? (risos) Luta a luta fui me desenvolvendo e depois de uma apresentação histórica com o Braga Neto cheguei na final. Infelizmente não foi dessa vez, o Cavaca foi melhor naquele fim de semana e conseguiu me tirar duas vezes do evento. Mérito dele, além de campeão ele é uma grande pessoa”, conta.

“Por outro lado, perdi meu melhor amigo, o Peter Bivona. Peter era meu amigo e aluno, tinha ido comigo e o resto do meu grupo de alunos para o Mundial. Lutou na quinta-feira e estava lá todos os dias até o sábado, gritando por mim.  Com uma forte dor no ombro, foi levado ao hospital no sábado à noite.  Domingo, durante as finais, perdi meu amigo sem nem saber como. Os médicos disseram que ele estava bem, e ele faleceu. Essa foi a minha maior derrota. E, por isso, nunca vou esquecer desse Mundial. Meu brother realizou o sonho dele de ir lutar e ver a galera toda vibrando. É a paixão pelo Jiu-Jitsu!”, continua.

Cyborg e alunos.Foto: arquivo pessoal

Cyborg tem orgulho do trabalho que vem fazendo nos Estados Unidos. Vindo direto do Pantanal, no centro do Brasil, comanda duas academias em Miami.

“Estou fazendo um ótimo trabalho. A academia de Jiu-Jitsu se chama Fight Sports, tem um espaço novo muito grande e um dojô gigante. A academia é completa, num hotel, tudo isso de frente para praia. O hotel faz parte do FS Miami Camp, é para a galera do Jiu-Jitsu do mundo todo que quiser fazer um treino intensivo de frente para a praia de South Beach, um sonho que conquistei e deu certo. Graças a Deus, muito sucesso”, fala.

“A outra é a Legacyfit (legacyfit.com), voltada para MMA e grappling. Estamos formando grandes lutadores lá. Já, já venho aí com várias feras no MMA também. Agradeço a Deus por isso e ao meu mestre Toco, da Nova Geração”, encerra.

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article
  1. markão at 3:29 pm

    Ouvi falar que Rolles tinha sido sumariamente dispensado do UFC, procede? chance para não tostar o nome da familia mais uma vez neh, se ele ao menos perder com dignidade, ta valendo!!!

Deixe uma resposta para markão Cancel comment reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *