A festa dos veteranos no Internacional

Share it

Saulo finalizou nas quatro apresentações. Foto: Gustavo Aragão

Uma grande festa do Jiu-Jitsu, assim pode ser descrito o primeiro dia de disputas dos faixas-pretas no Internacional de Masters e Seniors, neste sábado, no Tijuca Tênis Clube. 

E a festa não foi apenas dentro das áreas de luta, onde os veteranos mostraram que a cada ano a técnica está mais apurada. Do lado de fora do alambrado, personalidades como Sonequinha e Draculino botavam o papo em dia. André Pederneiras, hoje mais focado no MMA, sorria e torcia ao lado da fera Thales Leites. Fernando Tererê também esteve no ginásio, sempre sorrindo ao ver os amigos de anos de Jiu-Jitsu. A presença de peso internacional foi por conta do lutador do UFC Alan Belcher, próximo adversário de Demian Maia, que veio conferir de perto a arte suave brasileira. 

Dentro do dojô, nomes consagrados mostraram que ainda dão muito trabalho. Saulo Ribeiro (Gracie Humaitá), por exemplo, finalizou os quatro combates que fez no master pesado, com direito a katagatami na final. “Agora vamos para o absoluto”, diz 

No senior 1 pesado, Roberto Gordo (Gordo-Evolve) fez uma final de primeira contra a pedreira Carlos Henrique (raspou, passou a guarda e pegou as costas). Antes de garantir o ouro, o rei da meia-guarda finalizou na primeira luta. Alexandre Paiva (Alliance), no médio senior 2, estrangulou da montada na primeira e depois finalizou com a chave kimura para vencer novamente no Internacional. Quem também chamou a atenção mais uma vez foi Wellington Megaton, que derrotou dois adversários no pena senior 2 por finalização.  

Bruno Bastos venceu cinco lutas. Foto: Gustavo Aragão

As categorias mais cheias foram no master, também com atletas de sucesso no Jiu-Jitsu. Bruno Bastos (Nova União), por exemplo, garantiu o ouro ao bater Fernando “Soluço” Di Pierro (Alliance), sua quinta luta na categoria superpesado. “Pô, nem lutei o absoluto do Rio Open por causa disso. Cinco lutas não é mole não”, comenta. 

Outra fera que mandou bem foi Eduardo Telles (Brasa). Na final contra André Bastos (Nova União), sua quarta apresentação, raspou da guarda-tartaruga e passou duas vezes. O médio teve o tricampeonato de Adriano Silva, que finalizou quatro lutas, a final com uma chave de braço contra Chico Mendes (CheckMat). No leve master o melhor foi Frédson Alves, enquanto o incansável Gabriel Willcox (Brazilian Fight) derrotou Álvaro Bobadilla (GFTeam) na sua quarta apresentação e subiu ao alto do pódio entre os penas. No pluma, vitória de Felipe Costa (Brasa). 

De volta ao senior, também se destacaram Osiris Maia, vencedor no meio-pesado (senior 2), e Admilson Brites “Juquinha” (Gracie Humaitá), no leve senior 2.       

Para conferir todos os resultados, cronograma e chave da competição, clique aqui.

Ler matéria completa Read more
There are 3 comments for this article
  1. RICARDO LUIZ at 2:22 pm

    FUI CAMPEÃO PRETA LEVE SENIOR 1 E ATÉ AGORA NÃO VI MEU NOME
    …….
    RICARDO LUIZ SILVA GRACIE BARRA CAVEIRINHA CAMPEÃO PRETA SENIOR 1
    SERÁ QUE É PORQUE É SÓ MAIS UM SILVA E NA MINHA CATEGORIA TINHA RENOMADOS COMO SOCA E JACK MAc VICKER

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *