Arbitragem do MMA em xeque

Share it

Julgamentos contestáveis e critérios incoerentes trazem polêmica em decisões por eventos em todo o planeta. O UFC também não fica fora disso, com decisões que levam não apenas o público à loucura, mas o próprio presidente da organização, Dana White. NOCAUTE #89, que está nas bancas de todo o país, debate o assunto.  

O vitória de Randy Couture sobre Brandon Vera foi bem contestada. Foto: Josh Hedges

Algo muito contestado é o fato de a arbitragem nos Estados Unidos ser regida pelas comissões atléticas, que vêm do boxe.  

“Se sou médico ortopedista, será que vou ser o ideal para cuidar de um paciente que está enfartando? É o que eles estão fazendo lá. Pegam um cara que entende de uma luta, no caso o boxe, e ele julga outra coisa que não entende. Ele sempre vai puxar para o boxe”, comenta André Pederneiras, que viu alguns de seus atletas serem prejudicados em decisões polêmicas.  

Mario Yamasaki admite mudanças. Thales leites, ao lado, também foi prejudicado. Foto: Carlos Ozório

Árbitro do UFC, Mario Yamasaki admite que providências começam a ser  tomadas. 

“Já há um movimento entre os juízes de mesa para mudar a regra do MMA. Elas vêm do boxe e MMA é outro esporte. Está havendo muita polêmica em algumas lutas e, como disse, MMA não é boxe. O esporte é novo e ainda vai evoluir muito. Acho que isso vai ser uma evolução”, comenta. 

O assunto é amplo e tem muitos desdobramentos, como a análise da luta de chão no vale-tudo, o despreparo de parte da categoria no Brasil e mundo, o que pensam os que sentiram na pele o erro de julgamento e até mesmo a possibilidade de punição em atitudes excessivas de determinados atletas.   

Para saber muito mais sobre isso e MMA, garanta já a sua NOCAUTE.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *