Xande: a análise de um bicampeão absoluto

Share it

Xande bate Braga Neto no absoluto. Foto: Ivan Trindade

Além de Roger Gracie, quem poderia alcançar o tricampeonato absoluto no Mundial de Jiu-Jitsu era Alexandre Ribeiro. Aliás, o faixa-preta da Gracie Humaitá, professor da Universidade do Jiu-Jitsu, é favorito em qualquer competição que disputa. Dessa vez, Xande não conquistou o ouro. Foi vice-campeão no peso pesado e terceiro no absoluto. Na semifinal da principal categoria, viu as chances do tri se afastarem numa derrota apertada contra Rômulo Barral, por 3 a 2 nas vantagens. O lutador comenta com o GRACIEMAG.com a participação na competição:   

Como analisa a sua participação no Mundial? A dedicação ao MMA e o tempo afastado das competições de pano atrapalharam? 

Foi uma competição bem legal. Com certeza, ficar alguns anos fora do circuito prejudica bastante, mas estava treinando e fiz o meu melhor. Às vezes tem a falta de ritmo, do tempo das posições, que prejudica. Mas creio que foi um campeonato bom. Não competia no Jiu-Jitsu há dois anos e cheguei lá e fiz oito lutas, com três finalizações e outras três boas vitórias. Perdi apenas no detalhe e penso que fiz uma boa apresentação. Claro que queria ser campeão, mas as coisas não são sempre como a gente quer. Acho que mostrei que ainda posso bater de frente com essa garotada. 

Agora o foco vai ser apenas no MMA ou veremos você novamente no Mundial e eventos como o ADCC? 

Na verdade não fico pensando nisso ou aquilo. O que eu quero é treinar. Tenho agora uma competição sem kimono, o World Best Grappler, que acontece no final de junho. Vai ser bem legal, seis combates contra uma galera muito boa. Servirá como preparação para os meus próximos desafios. Vou me focar nisso e estou tentando fechar mais uma luta de vale-tudo. Vou dar um foco agora também ao boxe, mas o que eu quero é evoluir e sempre treino de kimono. Sobre o Mundial de Jiu-Jitsu deixo para decidir no ano que vem. Dependendo do andar da carruagem, posso competir ou não.   

As quedas são sempre uma das armas de Xande. Foto: Ivan Trindade

 

Os resultados do Roger falam por ele” Xande Ribeiro

Roger Gracie conseguiu o tricampeonato absoluto. O que acha dele? 

Não tem o que falar do Roger. Um Jiu-Jitsu simples e progressivo, um cara que joga bem nos dez minutos e já superou muita gente. Estou chateado por não ter lutado com ele, porque eu abro o jogo, ele também, e é sempre um lutão. Ele está de parabéns. Fez oito lutas e infelizmente não teve a final com o Romulo Barral (Rominho se contundiu). Ele mostra que está entre os melhores, está em todas as finais do absoluto desde 2001, na faixa-roxa, marrom, preta. Ele já ganhou o peso várias vezes… Não precisa falar nada. Os resultados falam por ele. 

Gostei muito do Rodrigo Cavaca e do Tarsis Humphreys” Xande Ribeiro

 

Xande perdeu para Barral numa luta parelha. Foto: Ivan Trindade

Algum outro lutador te impressionou no evento? 

Acho que todos estão de parabéns, tentando evoluir e inventando coisas novas. Só tenho algumas críticas em relação às regras. Muita gente luta hoje apenas por um ponto ou uma vantagem. É uma crítica para promover. Acho que o pessoal deve procurar mais a finalização. Mas o evento teve muitas lutas emocionantes, foi bem organizado e tenho apenas essa crítica positiva. Acho que as regras podem evoluir e os lutadores têm mais o que mostrar. Gostei muito do Rodrigo Cavaca e do Tarsis Humphreys, que conseguiram o primeiro título mundial. O Tarsis me contou que vinha tentando desde a azul e o ouro não vinha. Ele quebrou esse tabu. Acho que dessa galera mais nova o Cavaca e o Tarsis estão de parabéns.

Ler matéria completa Read more
There are 6 comments for this article
  1. isaias at 8:50 pm

    mais um comentario sabia de quem esta dentro do dojo e trabalhando pela arte e pelo esporte! prof Xande Ribeiro foi franco e muito equilibrado!!! a critica construtiva dele é mais uma entre muitos- mudanças nas regras! Ajustes para promover lutas bonitas em busca da finalização!
    Ganhar por pontos é coisa do “judô escolar”(com todo respeito, passei anos no judô!), e no Judô profissional as finalizações ocorrem pois é “permitido” o lutador se defender “dando as costas para o oponente” algo impensavel no JJ! É um otimo momento para se repensar as regras!! Ossssssssssssssss!!!!!!!!!!!!!!!

  2. Gamal at 11:07 pm

    Com todo o respeito, pois, se trata de um dos atletas mais completos da história do Jiu-Jítsu competitivo, mas, o Xande, na entrevista, diz que nas lutas com o Roger ele soltou o jogo, o que, para quem pôde assistir, viu que não foi bem assim. O Xande não se soltou, mas sim, foi extremamente estratégico. Portanto, reitero minha observação em relação ao respeito que tenho pelo Xande, mas seu desempenho nas lutas com o Roger é pautado pela raça e estratégia, e não pelo jogo solto. Abraço.

  3. Gabriel Procópio at 11:36 pm

    Xande vc esquceu do Bernardo Faria, esse ano ele arrebentou e brilhou em todos campeonatos grandes, é a grande revelação do jiu jitsu em 2010; e sobre finalizar, nem sempre é possível com o alto nível dos atletas que estão competindo hoje em dia!!

  4. little at 1:43 am

    Xande é um dos melhores competidores da história do JJ. Entretanto, sempre primou mais pela tática do que por soltar o jogo. Talvez tenha tomado agora um pouco do próprio remédio. Fora isso, gostei muito dos comentários. Espero que lute o Mundial 2011

  5. Gabriel at 10:50 am

    Engraçado isso, já vi várias lutas do Xande que ele bolou estratégia pra fazer um pontinho ou vantagem e amarrar pra levar nos pontos. No último adcc por exemplo, não lembro se foi na final ou semifinal do peso, ele fez uns pontinhos no início e ficou prendendo o cara na meia guarda até a luta acabar. Depois disse que a estratégia era não se cansar pro absoluto.

    Legal, tava certo, se tá dentro da regra pode fazer, agora quando alguem fizer isso com vc não vem com esse discurso hipócrita que “Muita gente luta hoje apenas por um ponto ou uma vantagem” que vc tb faz isso.

  6. João Silveira at 1:29 pm

    Sem dúvida quando os atletas buscam a finalização a luta fica muito mais bonita e emocionante,mas nos dias de hoje só ROGER GRACIE o faz em todas as lutas e contra qualquer adversário,os demais atletas inclusive o próprio xande dependendo contra quem estejam lutando, o combate torna-se um pouco mais travado e muitas vezes decidido nos pontos ou vantagens,pois o nível dos competidores é muito parelho e qualquer erro pode ser fatal,vide a luta braga neto e xande em que o primeiro dominava a luta que até então estava 0 x 0 e num descuido tomou 2 pontos e perdeu a luta.Hoje no alto nível os atletas tem de lutar de acordo com as regras,assim como você mesmo o fez na sua brilhante carreira,finalizando muitos atletas e ganhando por pontos de outros tantos do mesmo nível que o seu,você é sem dúvida uma lenda do jiu-jitsu,um atleta que luta para frente quando é possível e cauteloso quando se fez necessário o que não tirou o brilhantismo de sua vitoriosa carreira,buscar a finalização deve ser o pensamento de todo competidor mas conseguila são outros 500.Forte abraço CAMPEÃO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *