Langhi e o leve: “Tem 6 ou 7 que podem vencer o Mundial”

Share it

O QG da Alliance em São Paulo viveu um dia especial nessa quarta-feira, e o GRACIEMAG.com fez uma rápida investigada para contar ao leitor.

No treino do meio-dia, o campeão brasileiro absoluto Bernardo Faria voltou a treinar, após cicatrizarem as feridas do rosto. “Parece que eu venci um vale-tudo. Estava cheio de corte na cara”, sorria o mineirinho de 90kg.

Fernando Tererê apareceu como convidado especial, novamente rolando com os ex-alunos Rubens Cobrinha, Michael e Michel Langhi.

Fabio Gurgel sorteou conforme prometido quatro passagens para o Mundial em Long Beach, na Califórnia. Foram agraciados Jackie, Matheuzinho, Michael & Michel Langhi.

Família de sorte, hein, brincou o GRACIEMAG.com com Michael Langhi. E rapidamente o papo evoluiu para cinco perguntinhas com o atual campeão mundial peso leve.

Michael Langhi vence Augusto Mendes, o Tanquinho, no Mundial 2009. Foto: Regis Chen / Foto na capa: Ivan Trindade.

Os dois irmãos ganharam o sorteio? Que sorte foi essa?

É… Já comecei o Mundial com o pé direito. Tomara que continue dando tudo certo assim.

Como você vê esse treino especial, depois de um Brasileiro em que a Alliance perdeu o campeonato por equipes para a CheckMat?

Foi ótimo o treinamento. Graças a Deus isso aconteceu no Brasileiro, e não no Mundial. Perdemos algumas semifinais, alguns favoritos do time caíram antes e perdemos pontos importantes, mas isso acontece com toda grande equipe. Vai ser aquela carga de energia que faltava para um grande Mundial de todo o time.

Pode apostar que o clima está ótimo e o pessoal já está olhando para a frente. Bernardo [Faria] já voltou a treinar hoje, e está muito confiante para o Mundial. Ele é o nosso ciborgue, ninguém tem mais gás que ele no time. E ainda tivemos a presença do Tererê. Para nós que fomos alunos na TT Jiu-Jitsu ter novamente essa chance de aprender com ele é emocionante. Era faixa-azul, roxa quando ele era o professor, e hoje numa reta final de Mundial tenho essa oportunidade de aprender com três mestres: Tererê, Cobrinha e o Gurgel. Só posso ficar feliz.

E deu para aprender alguma novidade com o Tererê, mesmo com tanto tempo parado?

O Tererê é um cara que tem o Jiu-Jitsu como parte da natureza dele. Pode ficar parado dez anos que sempre entende tudo que está acontecendo em cima do tatame. Ele hoje encheu a gente de alegria, e despediu dizendo que vai voltar e ficar uns dias lá em casa, para continuarmos a treinar. É um cara especial.

O que vai ser mais fácil neste Mundial em junho, o absoluto ou o peso leve?

É, fui ali no Brasileiro e fiquei só filmando o pessoal. Eu só posso comemorar que o nosso peso está tão disputado, como sempre foi e como vai ser lá em Long Beach: sou movido pelos desafios e estou com mais vontade ainda. E não serei eu o vencedor, não será outro, mas sim o público e o esporte, que cresce com tantos atletas de alto nível. Tem seis ou sete ali que podem ser o campeão mundial. Vai ganhar quem tiver no melhor dia, na melhor técnica e na melhor forma.

Seis ou sete? Você, Durinho, JT, Lepri, Caloquinha, Tanquinho… OK, OK. E seu irmão Michel? O Pan 2010 teve um campeão absoluto leve, o Zach Maxwell. Seu irmão não se anima?

É, o Zach e o Michel lutaram três vezes já. E o Michel por enquanto venceu três. Mas aí depende do Gurgel e do Jacaré lá na hora. Porque temos muito cara bom na marrom, e mais pesados. Como o Ian McPherson, campeão mundial no peso e bronze no absoluto, o Gustavo Junqueira… Se precisar, tenho certeza que Michel vai estar pronto e pode surpreender. Se der tudo certo este ano, e ele vencer mais esse Mundial, podemos ter uma surpresa aí no fim do ano…

* Vai perder este Mundial? Inscreva-se aqui.

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *