Com a palavra o astro do Pan

Share it

Bernardo. Foto: Ivan Trindade

Bernardo Augusto Faria faz bonito nos dojôs há bastante tempo, campeão mundial nas faixas roxa e marrom. O início no Jiu-Jitsu foi em Juiz de Fora, na BTT. Mas, desde que se tornou faixa-preta, treina na Alliance e representa o exército comandado pelo General, como é chamado o mestre Fábio Gurgel na equipe. O grande feito aconteceu no último domingo, quando Bernardo faturou peso e absoluto no Pan de Jiu-Jitsu. Confira a entrevista com o campeão:

Fale da emoção de levar peso e absoluto no Pan.

Fiquei satisfeito para caramba e é a prova de que os treinos estão dando resultado. Foi para lavar a alma. Vinha bem na faixa-preta, mas bati muitas vezes na trave. Ganhava um campeonato, mas perdia no outro. Dessa vez consegui ser campeão peso e absoluto num grande evento internacional.

O que achou do nível da competição?

Derrotei três campeões mundiais no mesmo evento, que foram o Braga Neto, o Rafael Lovato e o Gabriel Vella. Havia perdido duas vezes para o Cavaca e agora vencei. Também já havia perdido para o Braga Neto e estou contente por ter batido feras como o Abmar Barbosa. Acho que foi o melhor campeonato da minha vida.

Qual o aprendizado com essa vitória? O que será preciso para repetir o feito no Mundial?

Antes do Pan havia perdido nas duas seletivas para o World Pro. Vi que aprendi muito com as derrotas. Tudo que errei nas seletivas, consertei no Pan. O Fábio sabe enxergar bem o que cada um erra. Acredito nele, confiei no que ele me falou e deu tudo certo.  O que faz ser campeão é treinar e lutar tudo, porque, ganhando ou perdendo, aprendemos muito.   O que falta agora (para o Mundial) é lutar e ganhar.

Uma reversão depois dessa chave omoplata garantiu o triunfo contra Braga Neto, na final do absoluto. Foto: Ivan Trindade

O que mudou desde que mudou de equipe?

Estou há um ano na Alliance e muita coisa mudou na minha vida. Só tenho a agradecer ao Fábio Gurgel e ao meu antigo professor, o Ricardo Marques, com quem fui da faixa-branca a preta. Ao lado dele fui campeão mundial absoluto na roxa e campeão mundial na marrom. Foi o Ricardo que me incentivou muito a treinar na Alliance.

O que vai lutar agora?

Devo lutar a SP Cup, que dará pacotes para o Mundial. Depois luto, com certeza, o Brasileiro e o Mundial, que é o principal foco.

Ler matéria completa Read more
There are 2 comments for this article
    • Marcelo Dunlop at 7:27 am

      Oi Kariana,
      só aguardar. Já publicamos com Nicolini e falamos do feminino na reportagem principal, no domingo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *