Carta de Abu Dhabi V

Share it

Renzo na trocação com Hughes. Foto: Josh Hedges

Entro no quarto 436 do hotel Rotana perto das duas da manhã de sábado para domingo, sem máquina fotográfica nem bloco de notas, não como repórter, mas como amigo. Renzo está deitado em uma das camas, Cristina ao seu lado. Também estão por ali Ralph e Flávia, Sérgio Ignácio, Zé Alfredo, Cora, Ruran e Rilion.

Dou um abraço e, quase desfalecido, Renzo balbucia: “Que briga boa hem?”

Ainda conversamos um pouco sobre a luta, ele reclama que não escutava nada, e não sabia que faltavam menos de 20 segundos quando a luta foi interrompida.

“Eu teria encolhido o queixo e tomado soco até o tempo acabar”, ele diz, quase sem forçar para sorrir.

E me pergunta por que pararam a luta, se ele tinha deitado fazendo guarda. Eu explico:

“Você estava em câmera lenta. Entre você ter caído de quatro e colocado na guarda, teve um intervalo de tempo em que você ficou parado, quando o árbitro interveio. Ao meu ver, corretamente”. Ele dá de ombros.

E é arrastado até a banheira, onde fica de molho, tentando se reidratar. E todos nós saímos, deixando ele aos cuidados de Cristina e de seus pensamentos.

No dia seguinte, à noite, ainda mancando, mas com o bom humor de costume, Renzo me conta que assistiu à luta. “Eu vi, teve um ‘delay’. Eu nem lembrava disso. Na verdade, eu estava nocauteado, entre um momento e outro, e quando acordei e virei eu estava agarrado na perna do juiz”, admite.

Aos 43 anos, e uma lenda do mundo das lutas, Renzo estreou no UFC longe do seu melhor como lutador. A despeito disse, ele agregou enorme valor à organização. Tanto que na sexta-feira, dia da pesagem no Marina Mall, em Abu Dhabi, a multidão que tornou impossível sequer fotografar o episódio ovacionou o ídolo, que incrivelmente perdeu cerca de 15kg desde que assinou o contrato para voltar à ativa.

E, mesmo com a derrota, aos 4m46s do terceiro e último assalto, fez uma apresentação digna. Seu adversário, Matt Hughes, venceu o título da categoria duas vezes, e defendeu bem sucedidamente por outras cinco ocasiões. É considerado um monstro do UFC a ponto de Dana White dizer que lutando ou não ele jamais abandonará o evento. Conhecido por atropelar adversários da mesma forma que opera o trator na sua fazendo no estado de Illinois.

Ainda assim, respeitou Renzo a ponto de jamais tentar levar a luta para o chão, mesmo que isso lhe custasse alguns pontos dos jurados que conseguiria com as quedas, sua especialidade. E, enquanto não havia consumido toda a gasolina do brasileiro, levou a pior na troca de socos. Surpreendeu com a tática de chutar a perna de Renzo, coisa que precisou incorporar ao seu jogo especialmente para o combate.

Apesar do início superior, no entanto, Renzo mostrou seu valor justamente no final, quando já sem gás e sem chance, já perdia. Ligou o piloto automático e foi na base da valentia que o caracteriza, visivelmente sem condições de continuar. E, ainda assim, capaz de proporcionar ainda mais honra ao adversário, como por exemplo, quando foi erguido por Hughes para que a luta voltasse em pé, após ser derrubado com um chute.

O costume árabe prega que quando um membro da família real chega num ambiente, todos se levantam. Renzo não pôde perceber, pois saiu do Octagon carregado pelos segundos, olhar perdido para o chão. Mas a primeira fileira de um dos lados do Octagon era ocupada por ilustres convidados locais. E, quando Renzo passou por lá, todos se levantaram. Ainda que derrotado, o príncipe das lutas saiu reverenciado.

Ler matéria completa Read more
There are 17 comments for this article
  1. Daniel Ribeiro at 12:31 pm

    Bom, eu aprecio a forma que o senhor Luca Atalla escreveu a matéria mas não concordo com seu ponto de vista. Naturalmente existe uma vontade de tornar menos feio do que foi a apresentação de Renzo no UFC com essa carta. Todos os praticantes da arte suave sabem da sua importancia e de seu valor indiscutível, isso é um fato. Agora, nem todos sabem a hora correta pra fazer as coisas, admiro um Renzo querer lutar novamente, mas não concordo que sua apresentação foi honrosa para um atleta do nível dele. Assistia o UFC com o meu mestre que tem 46 anos, e segundo ele e eu também acho isso, o Matt Hughes não lutou pra valer, como é realmente, um adversário duríssimo. Enfim, Gracie ou não, era melhor ele ter se preparado melhor para essa luta.

  2. Telêmaco Alexsander Martins at 1:22 pm

    O Renzo Gracie é difinitivamente uma pessoa especial, acho admiravél sua honra e o orgulho que tem em representar sua bandeira, suas origens e sua família. Me faz lembrer o jiu-jitsu de antigamente, que o lutador representava sua equipe e tinha orgulho de fazer parte dela, hoje os lutadores só lutam por interesse próprio e objetivos superficiais … É olhando sobre essa perspectiva, vejo somente um Renzo vitorioso, até mesmo quando é derrotado …

    Teco Martins.

  3. mario at 2:40 pm

    Belas palavras, texto muito bem construído ( como sempre ) ,mas não devemos nunca perder o senso de realidade. A luta não transcorreu totalmente como o descrito acima. O Renzo , sem dúvida, é coração puro, mas o MMA atual é uma mistura de atletas com preparação em nível olímpico, treinamento insano e conhecimento acima da média nas disciplinas mais eficientes. Todos os esportes tem idade limite para que o atleta chegue ao seu apogeu, e mesmo assim há exceções ( Holyfield, Couture , por ex. ). Às vezes é duro , mas deve-se falar a realidade, um atleta com a honra e hombridade do Renzo não deveria expor-se dessa maneira. Já provou para ele mesmo ,e para todos os demais, quem ele representou e representa para a história moderna das artes marciais. Ele ainda tem muito a passar como treinador, orientador, juiz e comtinuar vivendo o mundo das lutas.

  4. Gabriel at 5:32 pm

    Sinceramente acho que o Renzo é o cara! Aprecio muito a vontade e coragem dele de subir no cage. Mas definitivamente tem muito romantismo no texto acima.

    Achei até que o Renzo foi melhor no primeiro round mas não conseguiu manter o ritmo nos 2 seguintes. No final caia a cada chute que levava na perna, estava visivelmente se arrastando no ring, pelo menos foi isso que meus olhos registraram…

  5. GUSTAVO LIMA (BH) MG at 8:19 pm

    Valeu Renzo, pela dignidade e raça que vc mostrou dentro do octagon. Depois de + de 3 anos sem lutar e com 43 anos, não é qualquer um que põe a cara para bater como vc, ainda + que vc já tem sua vida financeira feita e luta por amor ao esporte.
    Parabéns, vc orgulha muito seus fãs, admiradores e alunos!!

  6. André at 9:48 pm

    Ter o Renzo como representante é um orgulho para o Jiu-Jitsu.
    Já o Anderson, tenho vergonha de dizer que ele é faixa preta da nossa arte.

  7. Rodrigo at 11:43 pm

    valeu Renzo, voce eh um orgulho para o jiu jitsu,com 43 anos nas costas, mestre de renome da escola gracie barra e milionario, vc nunca se escondeu, e ainda sobe no octogon pra se testar no melhor evento de mma do mundo. parabens guerreiro…

  8. Snug at 12:36 am

    Concordo com as críticas feitas ao texto. Realmente o Renzo é um exemplo, mas o texto não traduziu ao que muitos viram. Faltou um pouquinho de sangue frio. Gostei até da abordagem, mas acho que deveria se levantar outras questões. Como ficou, pareceu de fato tapar o sol com a peneira.

    Fora tudo isso, o Renzo é um guerreiro.

    Mas infelizmente sua atuação foi ruim. Nos dói dizer isso, pois saber o valor real do diamante que é o carismático Gracie. Mas não há como dizer que foi uma boa exibição. Come on?

  9. isaias moraes at 2:05 pm

    Fato- Renzo Graice não estava preparado. Fato- ele falou demais antes do evento mas nunca foge duma luta como Rickson o fez nos anos 90 e 2000.Fato- tem gente que fala que finaliza um e outro mas não se coloca a disposição, Renzo vai la e dá a cara para bater. CFachorrão precisa “vingar” ninguem. Renzo tera outras oportunidades!!!

  10. ma at 11:53 pm

    Isso sim foi uma luta digna, não aquela coisa ridícula proporcionada por Anderson Silva, aliás um puta peixe negativo, sem carisma e com uma tremenda falta de respeito pelo adversário, e o que não faltou foi respeito na luta de Renzo, grande exemplo para todos!!!!

  11. Mario Nory at 11:56 am

    Aprecio mui suadeterminação elo fato d idade qe ele possui , me precupomuito com isto , pois tamem sou atleta e ja tenho 37 anos e não quando vou parar pois ainda mesinro apto treios e Campeonatos de um modo geral .

    Sem mais
    Ateciosamente
    Mario Nory

  12. Mario Nory at 12:03 pm

    Corrigindo o texto anterior aprecio muito sua determinação, pelo fato de sua idade não vi a Luta mais não é qualquer um que sobe no ringue assim , me preocupo coo fator da idade pois tenho 37 anos e ainda me sinto em nos treinos e Campeonatos e não ei quando vou parar cho quevou seguir os caminhos do Renzo , alias ele esta de Parabéns Valeu Renzo .

  13. luiz fernando at 11:43 am

    cara de baixo e muito mais facil falar !!subir la e botar a cara na reta e que e a parada ,um professor renomado como Renzo e sem nada ter a provar mostrou mais uma vez porque nao so pra min mais para o mundo ,e o maior nome da familia gracie ao lado de Royler ,desde novo ate aqui sempre botando a cara na reta e levando se ao limite !!!enquanto caras como Renzo ,Couture,Mat hughes,Dan henderson e outros contiunuarem lutando o MMA nunca perdera seu brilho,pois esses fizeram a historia acontecer!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *