Carta de Abu Dhabi

Share it

Renzo treinando para o UFC 112.

Cheguei no hotel em que os lutadores estão hospedados para o UFC 112 na manhã desta segunda-feira. No restaurante, parei direto na mesa onde estavam o manager do Anderson Silva Jorge Guimarães, Ramon Lemos e o pai do campeão, Juarez.

Ramon contava seus planos para abrir academia nos Estados Unidos, Joinha nos divertia com seu bom humor de costume, quando cruzei pela primeira vez com um dos lutadores do programa principal, o adversário de BJ Penn, desafiante ao título até 70kg, Frank Edgar.

Ele voltava de uma sessão matinal com seu treinador de boxe, Mark Henry. Dizer que Edgar parece em grande forma é praticamente um pleonasmo, porque o baixinho não brinca em serviço e arrisco que talvez seja quem mais treina, de todos os lutadores do UFC 112.

Não que automaticamente isso lhe garanta favoritismo contra o fenomenal Penn, que até agora vem liquidando todo mundo na categoria.

Matt Hughes passou em direção ao saguão principal logo em seguida. Já encontrei com Hughes em alguns eventos, porém jamais o entrevistei e nunca me apresentei. Portanto possivelmente ele nem lembra quem eu sou. Mesmo assim cumprimentei como se o conhecesse, e ele simpaticamente retribuiu o gesto e continuou o passo.

Ao celular com fone nos ouvidos, semblante sério, Xande Ribeiro apareceu em seguida. Ele tem tarefa dura pela frente como treinador de Demian Maia na luta principal da noite de sábado, porém era outra coisa que o incomodava: o terremoto em Baja Califórnia, no México.

“Minha mulher me acordou no meio da noite com a minha filha no colo chorando”, ele disse, de mãos atadas, para em seguida esclarecer que as duas passam bem.

O brasileiro Rafael dos Anjos enfrenta o inglês Terry Etin na possivelmente primeira luta a ser televisionada, e ele chegou com seus segundos, os irmãos Roberto Gordo e Rafael Gordinho. Para essa luta, Rafael treinou na Evolve-MMA em Cingapura, e voou para chegar na capital dos Emirados praticamente o mesmo tempo do adversário de Londres: cerca de sete horas. Rafael garante estar tranquilo para o peso, “apenas” sete quilos acima, a quatro dias da pesagem.

BJ Penn está hospedado em outro hotel, e não cheguei a encontrá-lo. Mas Rafael veio da sessão de autógrafos e elogiou a simpatia do havaiano.

Preparávamos para sair do hotel quando apareceu Renzo Gracie, sorriso no rosto e imã no corpo, levando todo o grupo com ele enquanto autorizava a agenda de entrevistas apresentada pelo inglês Ant, coordenador de imprensa dessa edição do evento: 17 pedidos para hoje. Brinquei com ele: “Dezoito. Acrescenta GRACIEMAG aí na lista”. Mas a essa altura ele estava mesmo é entretido com o meu iPad, em especial o aplicativo para ler revistas em quadrinhos da Marvel.

Renzo segurou o grupo por mais ou menos umas quatro horas, Edgar voltou com Cachorrão e o resto da trupe e partiu para o shopping center, Demian chegou com cara de sono (da pestana depois do café) e foi com Xande para a piscina, e o café da manhã logo se tornou almojanta.

Antes de partirmos para o shopping, Rodrigo Minotauro também marcou ponto na resenha, e fez par com Demian no quesito sono. Nada muito especial no passeio fora da ilha Yas. Renzo tomou um suco de manga, indicou o suco típico da região que tem camadas de frutas diferentes, e sondamos como estava a venda de ingressos. Segundo a vendedora num estande montado no mall, só restavam alguns de uma das seções mais caras.

O pessoal do Café, no shopping, pediu uma foto com Renzo.

Renzo se mostrou interessado, mas ela logo desmascarou a brincadeira dizendo que sabia que ele lutaria. O que não foi grande feito, pois não é só no Times Square, em NY, que o rosto do brasileiro está estampado. Faixas verticais penduradas pelo shopping, painéis digitais espalhados pela cidade, propaganda na rádio e TV na única vez que liguei os dois veículos por aqui. Não sei realmente se os 12 mil lugares vão ser ocupados no primeiro evento num lugar que não tem a cultura do esporte, mas por falta de propaganda não será.

Na volta, o treino noturno, na hora da luta. Quando chegamos, Demian já tinha feito as atividades, e se preparava para jantar. Renzo se trocou rápido e foi bater manopla na rua, já que o evento vai acontecer em céu aberto – e não se preocupem, não há previsão de chuva para os próximos 365 dias, por aqui.

Rafael dos Anjos enquanto isso bateu manopla em uma das duas salas reservadas ao treinamento dos participantes, e suou uns dois quilos do seu excesso. Quando ele já encerrava, chegou Anderson, com uniforme da seleção brasileira de futebol.

O nome do campeão até 84kg estava na mesma sala de Renzo, mas a do lado estava vazia, e seu time já se instalava por lá. Ele então cumprimentou todo mundo, partiu para a segunda porta e foi rabiscar o dever de casa.

O treino de chão de Renzo durou cerca de 20 minutos, com ajuda de Ricardo Cachorrão e Sérgio Ignácio, o olhar atento de Rilion Gracie, e também de Demian, de Xande e de muitos outros da trupe, que iam chegando e se instalando.

No meu roteiro, estava previsto agora detalhar os movimentos estudados por Renzo. Mas sei lá, me lembrei que o Hughes me cumprimentou mais cedo, vai que ele acompanha o GRACIEMAG.com e a gente não sabe… Então, até amanhã!

Ler matéria completa Read more
There are 4 comments for this article
  1. Fabiano Cruz at 2:02 pm

    Esse UFC promete! ótimas lutas! Na torcida pelo Rafel dos Anjos, Renzo e Anderson!
    Excelente relato do Luca…parabéns

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *