Nick Diaz solta o verbo

Share it

Nick Diaz é conhecido por não economizar palavras quando fala. E foi exatamente o que fez ao final do Strikeforce do dia 30 de janeiro, em Miami. Após bater Marius Zaromskis e garantir o cinturão meio-médio da organização, o lutador soltou o verbo. Não faltou desafio a Georges St. Pierre, campeão da mesma categoria no UFC, e críticas a antigos adversários. Nosso Nalty Jr. conferiu tudo de perto e mandou com exclusividade ao GRACIEMAG.com.

Diaz contra Marius Zaromskis. Foto: Esther Lin

O que achou da luta?

Sabia que ele viria para cima de mim, então estava preparado e deixei vir. Depois, comecei a soltar mais os golpes. Demorou um pouco para achar a distância e foi então que meu treinador começou a falar comigo e consegui me encontrar na luta. Tomei cuidado com a distância. Escutei o corner dele gritando para ele aceitar os chutes, me senti mal por ele, porque nem sempre escutar o corner é a melhor opção. Vi numa entrevista ele dizendo que faz tudo o que os técnicos mandam. Sem querer desmerecer ninguém, ele é um bom lutador e deveria confiar mais nele mesmo. Ele não deveria ter tentado os chutes e as joelhadas sem antes achar a distância certa. Talvez esse seja o motivo dos meus golpes terem entrado e dele ter tomado tantos socos na cara.

Como foi a preparação?

Treinei pesado. Meu irmão (Nate Diaz) me ajudou. O Jake Shields e o Gilbert Melandez também me ajudaram bastante nos treinos. Meu técnico Cesar Gracie, como sempre, arrumou sparrings e bons lutadores de Jiu-Jitsu para participar dos treinos. Também o Ralph Gracie. Eu sou família Gracie, é bom sempre lembrar de onde você veio e como tudo começou.

Acha que chegou a passar por algum momento difícil?

Não fiquei em situação difícil em nenhum momento da luta.

Dias comemora. Foto: Esther Lin

Quem será seu próximo oponente? Falam no Jay Hieron…

Quero lutar e com o Georges St Pierre, só quero lutar com os melhores, com quem está na mídia, porque parece que ninguém me nota, ninguém coloca eu e o meu irmão nas revistas. Jay Hieron? Quem é esse cara?

Acha que agora deverá estar entre cinco melhores da categoria no mundo?

Por que não? Na minha opinião, ganhei praticamente todas as lutas da minha carreira, apesar de haver um no contest que não concordo. Perdi para o Jeremy Jackson, mas depois tive a revanche e ganhei dele duas vezes. Contra o Diego Sanchez eu perdi porque tinha uma péssima estratégia para aquela luta e estava com muita raiva, mas a verdade é que a cara dele ficou mal depois, não a minha. Diego Sanchez é mais babaca do que os outros lutadores que eu enfrentei, mas não vou ser injusto e dizer que ganhei essa luta.  

O que tem a dizer para finalizar?

Só tenho a agradecer aos meus fãs, amigos, companheiros de treino, meu técnico de boxe e ao Cesar Gracie pela força!

Confira o último combate da fera:

http://www.youtube.com/watch?v=ASNtW2LaRDg

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *