Atropelou no UFC e agradeceu ao colunista Martin Rooney

Share it

Trator castiga oponente no UFC 108. Foto: Josh Hedges

Depois de ser derrotado na estreia pelo UFC, contra Nik Lentz, o brasileiro Rafaello “Trator” Oliveira encarou o combate contra John Gunderson, no UFC 108, no dia 2 de janeiro, como de vida ou morte. Para garantir a permanência na organização, talvez fosse imprescindível o triunfo. E foi o que o lutador conseguiu.

“Com certeza lutei sob pressão. Mas fiz o dever de casa e trouxe a vitória. Na estreia deixei o resultado escapar no último round, porque eu estava querendo dar espetáculo para a torcida e infelizmente o resultado foi negativo. Mas ao menos o UFC gostou da atuação”, comentou ele, no site do Ultimate.

Segundo Rafaello, a preparação para o UFC 108 fez a diferença. Nos treinamentos, o faixa-preta de Jiu-Jitsu contou com o suporte do técnico em preparação física Martin Rooney, o renomado colunista da Revista GRACIEMAG, que em dezembro atingiu a marca de cem artigos publicados na revista.

Nosso colunista Martin Rooney malhando na praia, no Rio. Foto: Arquivo GRACIEMAG.

“Dessa vez não fiquei doente, nem me machuquei durante os treinamentos. Treinei preparação física com o Martin Rooney e tive muita consistência nessa fase, pois na luta anterior cheguei a ter três diferentes treinadores físicos”, conta.

Durante o combate, Trator usou a arte suave e chegou próximo da finalização, com um justo armlock. Mas Gunderson foi salvo pelo gongo.

“Ele é casca-grossa, tem 28 lutas como profissional, 14 como amador e 18 como boxeador amador. Então a estratégia era levar para o chão e finalizar, infelizmente não consegui. Acho que até poderia ter castigado ele mais, mas eu estava pensando no bônus de finalização da noite”, finaliza aos risos.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *