Robert Drysdale e a evolução de Frank Mir

Share it
Robert nos bastidores do ADCC. Foto: Carlos Ozório

Robert nos bastidores do ADCC. Foto: Carlos Ozório

Treinador de Jiu-Jitsu de feras como Forrest Griffin, Robert Drysdale era só alegria na última edição do UFC, no dia 12 de dezembro. Na ocasião, acompanhou mais um atleta numa vitória no MMA. Melhor ainda, já que o triunfo de Frank Mir, faixa-preta de Ricardo Pires, sobre a pedreira Cheick Kongo foi com uma justa guilhotina após puxar para guarda, no mais puro Jiu-Jitsu. Em conversa com o GRACIEMAG.com, Robert fala de Mir, dos problemas de saúde que passou recentemente e avisa que, em 2010, vem com tudo no MMA. Confira:

O que achou do desempenho do Frank Mir contra o Kongo?

Ele melhorou muito no Jiu-Jitsu, temos que dar esse crédito. A parte em pé dele também está excelente, tá ruim trocar em pé com ele. Está derrubando todo mundo muito rápido. O Cheick Kongo tem uma trocação de alto calibre e ele derrubou rapidinho, com um soco. O Frank está treinando, está determinado, e quer pegar o Brock Lesnar de qualquer jeito. Quer a revanche, está louco por ter perdido e só fala disso.

Como é trabalhar com o Mir?

Já trabalho com o Frank há quase dois anos e a gente se dá muito bem. É fácil ensiná-lo. O Frank é um cara inteligente e é só mostrar para ele uma vez a posição, que ele pega.

Ele também costuma treinar de kimono?

Treinamos de pano quando não está na época de luta. Quando tem algum combate marcado, é um treino específico. Para o Cheick Kongo treinamos apenas em cima das características dele. Mas, fora isso, treinamos de pano sim. Não é muito, mas ele bota o kimono e brinca. Não é o forte dele e não é o objetivo principal.

Mir finaliza Kongo com esta guilhotina. Foto: Josh Hedges

Mir finaliza Kongo com esta guilhotina. Foto: Josh Hedges

Você passou por problemas de saúde, mas depois até fez a superluta do ADCC. Como está?

É um aneurisma, mas já estou liberado pelos exames médicos. Fiquei nove meses sem trocar porrada. Fui ao Brasil, há duas semanas, e os médicos me liberaram. Meu aneurisma é pequeno, não precisa ser operado e não tenho risco de vida. Posso ficar tranqüilo. Fiz um exame chamado angiograma de quatro vasos, que é o mais específico possível para o problema. Agora espero o resultado ser traduzido em inglês para apresentar à comissão atlética dos Estados Unidos e ser aprovado.

Comissão Atlética? Então quer lutar MMA logo?

Quero fazer umas três lutas de muay thai antes de lutar MMA. Quero uma experiência em pé e sentir qual que é, tomar umas porradas na cara. Quero fazer umas lutas de muay thai com joelhadas e cotoveladas. Lá para março, pretendo estrear no vale-tudo profissional. Não vou parar no natal e estamos treinando forte eu, o Forrest Griffin e o Frank Mir. O Frank lutou no sábado e, terça-feira, já estava treinando. O Forrest, mesmo com o pé quebrado, está treinando e estamos todos nos ajudando. Desde o ADCC não parei e 2010 será o meu ano. Tive problemas de saúde e agora quero arrebentar.

Gostaria de mandar um recado para os leitores do GRACIEMAG.com?

Inauguro meu site em janeiro, o drysdalejiujitsu.com, e também para a galera assistir um documentário muito legal que fizeram comigo. Está no site da Tapout (www.tapout.com). Ficou legal para caramba cara. Dura uns 30 minutos e está muito bacana. É uma produção de primeira, os caras até foram a Barcelona para filmar o ADCC. Ficou bonito.

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article
  1. Dann Thomas at 9:23 pm

    Robert um grande exemplo de dedicação passo praticamente 6 anos viajando quase todos os dias de Itu pra Sampa pra trenar, ajudadou na formação de varios Campeões e HJ esta colhendo frutos do trabalho, a derrota faz parte so nao pode baxar a cabeça.

    abs

    malocka.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *