Pulga e Eduardo Pachu vencem no WOCS 6

Share it

(Colaborou: Rogério Gomes Maciel)

O público que lotou as dependências do Clube de Regatas do Flamengo, no Rio de Janeiro, aprovou os combates que agitaram a sexta edição do WOCS, neste sábado, no Rio de Janeiro. Na luta principal, Alexandre Pulga não teve moleza para manter a invencibilidade, mas derrotou por decisão dividida Alexandre Pinheiro.

No primeiro round houve trocação franca, que levantou o ginásio, principalmente a torcida de Pulga. O faixa-preta de Jiu-Jitsu correspondeu e botou o adversário para baixo, passou a guarda, montou e quase finalizou num armlock. No assalto seguinte, luta muito disputada com bom momento para Alexandre Pinheiro, que socou forte na guarda de Pulga. No round final, os dois lutadores estavam muito cansados pela luta intensa do começo ao fim, Pulga conseguiu botar o adversário para baixo mas não estabilizou. Levou pela boa trocação em pé do terceiro round e chão do primeiro round. Esta é a nona vitória de Pulga, que mantém a invencibilidade.

Pulga ganha a montada. Foto: Rogério Gomes

Pulga ganha a montada. Foto: Rogério Gomes

Na outra luta mais aguardada, Eduardo Pachu foi com tudo para cima de Francinei Farinazzo. Depois de quedar e socar, a fera da Gracie Fusion finalizou com um mata-leão. Quem também foi bem foi Arthur Gogó. O lutador usou a arte suave para bater Silvio Vieira ainda no primeiro round. Depois de quedar e montar, Gogó finalizou com uma chave americana de braço. Em outra luta muito disputada, Alexandre Pantoja bateu Ralph Lauren por decisão dividida dos árbitros. Estreante entre os profissionais, Rodrigo Ratinho mandou bem e venceu Leandro Feijão com um armlock.

Eufórico, ao fim do evento, o organizador Otávio Duarte “Tatá” só dizia uma coisa: “Paramos a zona sul!”

Pachu (de vermelho) venceu mais uma no WOCS. Foto: Rogério Gomes

Pachu (de vermelho) venceu mais uma no WOCS. Foto: Rogério Gomes


Confira todos os resultados:

Lutas profissionais
Alexandre Pulga (NG Combate) venceu Alexandre Pinheiro (JT Caverna) por decisão dividida
Eduardo “Pachu” (Victor gym/ Gracie Fusion) finalizou Francinei Farinazzo (Nova União Campos) com um mata-leão no R 1
Arthur Gogó (Gracie Fusion/Viktor Gym) finalizou Silvio Vieira (Chute Boxe/ Clã da Luta com uma americana no R 1
Fabiano “Bob Esponja” (TFT) venceu Leonardo “Tangerina” (Vkctor gym/ Gracie Fusion) por decisão unânima
Pedro Silveira (Pejor) venceu Hudson Rocha (BTT) por TKO no R 2
Alexandre Pantoja (TFT/ Muay Thai Arraial) venceu Ralph Lauen (Ari Team) por decisão dividida
Bruno Machado (Viktor gym/ Gracie Fusion) finalizou Bruno Peçanha (TFT/ Muay Thai Arraial) com uma kimura no R 3
Rodrigo Ratinho (TFT) finalizou Leandro Feijão (Relma) com um armlock no R 1

Lutas amadores

Diogo Cruz (Relma) venceu Bruno Rodrigues (TFT) por decisão dividida dos árbitros
Welington “Café” (TFT) venceu Jonathan Corrêa (Honório Jiu Jitsu) por decisão dividida dos árbitros
Jamilson da Silva (Infight) venceu Alexandro “Nanico” (TFT) no round extra por finalização na guilhotina
Antonio Roberto (NG Combat) finalizou Magno Alves (Brigadeiro) com uma guilhotina no 1º round

Ler matéria completa Read more
There are 3 comments for this article
  1. axel at 10:37 am

    Alexandre Pulga x Alexandre Pinheiro

    Venceu o melhor, mostrando superioridade mesmo na adversidade : seu adversário literalmente “ brilhou “ ao fim do combate em função da indiscutivel overdose de vaselina… Eu não diria que o Alexandre Pinheiro se safou do arm lock imposto pelo Alexandre Pulga… mas “ escorregou “ com uma facilidade inacreditável … um brilho intenso que a mistura do suor e vaselina lhe conferiu chegando a ofuscar a platéia… só não viu quem não quis!
    Nota Zero para JT Caverna e para os organizadores e árbitros do WOCS 6.
    Fica aqui um alerta para os organizadores e a arbitragem de eventos deste porte. Já que o nosso país imita tudo o que vem da Terra do Tio Sam, que o MMA brasileiro se espelhe nos eventos lá realizados, aonde regras rígidas quanto ao uso de anabolizantes e de vaselina no corpo sejam motivo para banir o atleta e até cancelar um evento tal como aconteceu com a Affliction e Josh Barnett ….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *