Mundial No-Gi: Hillary comenta vitória por desclassificação

Share it

O GRACIEMAG.com foi o primeiro site a noticiar que Hillary Williams (Westside JJ) havia recebido a faixa-marrom pelos professores Roli Delgado e Matt Hamilton. Na entrevista, Hillary falava de sua ansiedade em poder estrear o Mundial Sem Kimono com a nova faixa e mostrar aos seus mestres que eles haviam tomado a decisão correta em graduá-la.

Pois Hillary foi o grande destaque na categoria feminino na Pirâmide de Long Beach, ao vencer o peso médio e o absoluto na marrom/preta. E voltou a comemorar aqui, no GRACIEMAG.com

“Estava tão empolgada sobre esse título do Mundial Sem Kimono, mas vou te falar: já é passado. A única coisa que importa agora são as lutas que virão. Sei que despertei a atenção de algumas pessoas no domingo e que haverá muitas meninas treinando duro para me vencer, então é preciso treinar mais duro ainda para alcançar o topo. Sei que ainda falta um longo caminho, mas sinto que posso alcançar com trabalho duro, e excelentes técnicos”, disse Hillary.

Na final do médio, Hillary ganhou por pontos Sheila Bird (BDB martial arts). No absoluto, ela passou pela peso leve Letícia Lalli (CheckMat) e pela pesado Katrina Weilbacher (Paragon), finalizando ambas.

Hillary_world_no-gi_06

A final do aberto contra Gabrielle Garcia (Alliance) foi tensa – conforme Hillary explica:

“Na final tive uma conturbada luta contra Gabrielle Garcia. Assim que ela me tocou vi como ele é forte. Tentei a queda e ela me jogou longe feito um boneco de pano. Ela aí me puxou pra frente e consegui um seio-nage não sei de onde e ganhei dois pontos. Gabi parou e reclamou de câimbras no pulso ou na mão. Eu fiquei chateada porque já senti câimbra em algumas lutas e não falei nada porque sei essa regra. O juiz a desclassificou por ter parado e assim eu venci”, disse Hillary.
 
A lutadora cita de cor o artigo quinto das regras da IBJJF. “Não é o ideal vencer assim, mas está claramente escrito nas regras da IBJJF: ‘8- Ao atleta que alega estar sentindo câimbras será o mesmo que bater’”, disse. “O juiz tomou a decisão baseado nas regas. Eu respeito muito a Gabi e peço desculpas se ela levou essa derrota para o lado pessoal. Espero que as coisas melhorem e possamos ser competidoras amigas”, amenizou a faixa-marrom.

Hillary agradeceu ainda aos apoios de sempre dos mestres Matt Hamilton, Roli Delgado e especialmente do amigo Roberto Cyborg e seus alunos. “Nesse campeonato tenho que reconhecer a importância de Cyborg e os dois faixas-marrons Marcel Gonçalves e Jake Mackenzie tiveram para mim este ano. Cyborg ficou comigo no dia da competição todo dia e me orientou para meus dois ouros. Ele é muito dedicado em me ajudar, mesmo eu não sendo aluna dele em Miami. Roberto foi meu técnico também no Pan e agora no Mundial Sem Kimono”, finalizou agradecida Hillary.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *