A geografia do Brasil no Mundial de Jiu-Jitsu

Braga, na luta final contra Cavaca, garantiu um ouro para o Amazonas. Foto: Ivan Trindade.

Vem aí a edição #173 da revista GRACIEMAG e o Mundial de Jiu-Jitsu entra em cena com imagens imperdíveis dos campeões na faixa-preta e muito mais.

Na principal graduação, o domínio ainda foi dos lutadores brasileiros, e fica a pergunta: dentro do Brasil, quais estados são as principais potências do Jiu-Jitsu hoje? Se levarmos em conta todos os campeões na faixa-preta, é possível mapear quais estão mandando bem na arte suave.

Léo Nogueira é uma das feras de São Paulo. Foto: Ivan Trindade.

Por muito tempo, o Rio de Janeiro reinou absoluto. São Paulo veio logo em seguida, até que os campeões mundiais se expandiram por todo o território no país da arte suave.

Em 2011, São Paulo veio muito bem, com sete campeões, e vale lembrar que hoje Sampa recebe atletas de todos os cantos do país, o que também acontece no Rio. Os cariocas vêm na cola dos paulistas, inclusive com o campeão peso e absoluto Rodolfo. Os gaúchos brilharam com Gabi Garcia. Minas Gerais e Amazonas também tiveram representantes.

Confira:

Masculino

Rodolfo levou peso e absoluto para o Rio. Foto: Ivan Trindade.

Galo – Bruno Malfacine, Rio de Janeiro
Pluma – Guilherme Mendes, São Paulo
Pena – Rafael Mendes, São Paulo
Leve – Gilbert Durinho, Rio de Janeiro
Médio – Marcelinho Garcia, Minas Gerais
Meio-pesado – Sérgio Moraes, São Paulo
Pesado – Rodolfo Vieira, Rio de Janeiro
Superpesado – Leonardo Nogueira, São Paulo
Pesadíssimo – Antonio Braga Neto, Amazonas
Absoluto – Rodolfo Vieira, Rio de Janeiro

Feminino

A gaúcha Gabi também faturou dois ouros. Foto: Ivan Trindade.

Pluma – Leticia Ribeiro, Rio de Janeiro
Pena – Michelle Nicolini, São Paulo
Leve – Luanna Alzuguir, São Paulo
Médio – Hannette Staack, Rio de Janeiro
Meio-pesado – Talita Nogueira, São Paulo
Pesado – Gabrielle Garcia, Rio Grande do Sul
Absoluto – Gabrielle Garcia, Rio Grande do Sul

Aguarde a cobertura do Mundial na GRACIEMAG #173. Assine a revista aqui.

 

Compartilhe


6 respostas para “A geografia do Brasil no Mundial de Jiu-Jitsu”

  1. Pri disse:

    Mas o que conta é o estado onde treinam.. neste caso São Paulo dominaria com certeza :)

    • Fábio Pina disse:

      Será que o número de atletas/estado não interfere nesta conta? Se um estado tem 30 atletas o representando, teoricamente terá mais chances de atingir o topo em relação aqueles que só tem 1, por exemplo. Lógico que aqui estamos estão focando o resultado final, mas pensando como falei… considerando a variável nº de atletas/estado igual a 1:1, será que seria a mesma coisa?

  2. Marcelo disse:

    É como já venho dizendo a muito tempo São Paulo de 2004 para cá se tornou a maior potencia do Jiu Jitsu Brasileiro e mundial.Podem pegar os resultado de todas as faixas pretas de 2004 para cá nos mundiais e brasileiros e verão que a maioria dos atletas são de São Paulo, e o Rio de Janeiro vem em 2º!
    Apesar do Rio contar com o melhor lutador de Jiu Jitsu do mundo que é o Roger Gracie, é São Paulo que tem ganho a maioria dos titulos nos diversos pesos da faixa preta!!!
    Rio de Janeiro dominou na década de 90 quando nas competições praticamente naquela época só tinha lutador carioca se destacando, era um ou outro de São Paulo ou de Manaus, mas de 2004 para cá o quadro mudou, São Paulo se tornou a maior potencia do Jiu Jitsu Brasileiro e mundial e acho que será assim para sempre! em 2º vem o Rio e em 3º acho que é meio espalhado entre Amazonas, Minas e em 4º Rio Grande do Sul!

  3. Carlos Selva Jr. disse:

    Quando a Gracie #173 vai chegar nas bancas?

  4. Finalizador1 disse:

    São Paulo com certeza melhoru muito, com varios mestres cariocas ensinando a arte suave na terra da garoa

  5. DDD disse:

    Esqueceram do Ary Farias que fechou com o Guilherme Mendes que é do Amazonas

Deixe uma resposta


Tags Relacionadas

Notícias