5 dicas do Jiu-Jitsu utilizadas por soldados do exército no front de guerra

Share it

Soldados americanos aplicando o Jiu-Jitsu em aulas de combate corpo a corpo. Foto: Divulgação

*Por Andre Almeida

O Jiu-Jitsu vem sendo cada vez mais utilizado como ferramenta de treinamento pelas forças armadas. Com suas característica de controle e manipulação do corpo, o Jiu-Jitsu se coloca como uma arte marcial fundamental não só de defesa pessoal, mas também como necessária para treinar a mente dos soldados no front de guerra.

Destaquei cinco dicas/lições teóricas que ensinei para os soldados da Força Aérea dos Estados Unidos da América em um curso que ministrei como parte do treinamento de guerra deste esquadrão. Leia com atenção.

1. A ética de guerra. O praticante de Jiu-Jitsu deve ser treinado não só para ser o melhor lutador, mas a arte deve servir também como instrumento que vai proporcionar uma vida balanceada com foco na disciplina física e mental, fortalecendo o caráter e reforçando os bons princípios.

2. O treinamento da mente. O rigoroso treinamento necessário para o domínio do Jiu-Jitsu proporciona e possibilita um melhor entendimento das diferentes situações, facilitando ao soldado uma melhor leitura e visão do meio, que permite o emprego de uma reação mais adequada a situação em cheque, mesmo quando sob grande pressão e necessidade de uma rápida resposta.

3. O entendimento da alavanca. Faz-se fundamental o necessário entendimento da alavanca, estrangulamento e diversas chaves (como chave de braço, chave de pé, entre outras) por parte do soldado para que sempre seja empregada a devida reação para com a ação tomada. Em outras palavras, o domínio do Jiu-Jitsu permite ao soldado o controle da situação sem a necessidade de abuso de força e, ao mesmo tempo, reduzindo o risco de ser dominado quando em batalha.

4. Enxergando a derrota como ponte para a melhoria. Aprender a abraçar as dificuldades, os desafios e as derrotas como um caminho para a melhoria é um dica fundamental para o soldado no front de guerra. Qualquer progresso no Jiu-Jitsu começa com um passo para trás para depois caminhar para frente. A aula introdutória básica ensina o aluno a primeiro cair para depois aprender a levantar, ensina a primeiro neutralizar o ataque para depois atacar. Dessa forma o Jiu-Jitsu ensina a aceitar o fracasso e o desconforto como parte do progresso.

5. O domínio do Jiu-Jitsu para a melhoria individual. Não há atividade que trabalhe e treine todas as facetas do homem como o Jiu-Jitsu. O trabalho intelectual vai afiar a mente mas o corpo será negligenciado, enquanto o condicionamento físico por si só melhora o corpo mas negligencia a mente. O Jiu-Jitsu atende a todas as necessidades humanas. Dentro de uma perspectiva de guerra, o soldado será treinado pelo Jiu-Jitsu a manter a sua mente perspicaz para adoção correta de qualquer medida que demande um pensamento de estratégia, de ação ou planejamento de ataque. O corpo estará treinado para o combate mas também será treinado para não ser quebrado e suportar as difíceis jornadas da guerra.

*Andre Almeida ensina na nossa GMI Gracie Barra Simi Valley, nos EUA.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *