Americanos tentam ganhar ‘paternidade’ do vale-tudo e MMA; entenda

Share it

Teria o MMA sido registrado antes pelos americanos?

Por: Oriosvaldo Costa

Como brasileiro sempre me orgulhei do vale-tudo ter sido criado aqui em nosso país. Se as autoridades brasileiras já reconheceram o esporte pátrio, criado aqui no Brasil por volta de 1930, parece que as norte-americanas ainda não, e chegam ao cúmulo de tentarem roubar a paternidade da modalidade.

Segundo está sendo vinculado na mídia norte-americana, o esporte teria sido criado em Pittsburgh, nos EUA, e os pais da “criança” seriam Bill Viola e Frank Caliguri. Eles teriam fundado em 1979 a CV Productions Inc. e escrito regras parecidas com as do atual MMA. Estas teriam certas diferenças das atuais em alguns pontos, devido à evolução do esporte, mas possuiriam uma notável semelhança em outros.

O objetivo seria transformar os tradicionais desafios vale-tudo em um esporte de combate real na América, e também levados pelo anseio do público em saber quem venceria um campeonato disputado por um boxeador, artista marcial clássico ou um wrestler .

Viola e Caliguri colocaram suas idéias em prática já em 1979, realizando as lutas em bares e academias onde os atletas utilizavam luvas abertas e eram permitidos golpes como socos, chutes, quedas e técnicas de grappling. As finalizações eram raras, mas aconteceram algumas, pois o judô e o Jiu-Jitsu japonês já haviam sido disseminados por lá.

Um dos árbitros que mais se destacaram à época foi Jack Bodell, ex- karateca e kickboxer e aluno de Viola. Bodell, além de promotor, era agente do Serviço Secreto dos Estados Unidos, encarregado de proteger o presidente Jimmy Carter.

Os campeonatos tinham por objetivo selecionar os atletas mais durões, chamados de “Tough Man” no início, mas logo o termo foi substituído por “Tough Guy” para distinguir-se de eventos de boxe realizados por um outro promotor.

O sucesso do campeonato de Viola e Caliguri foi grande na região da Pensilvânia, e o momento não poderia ser mais oportuno, pois este foi o ano do lançamento de Rocky II, protagonizado por Sylvester Stallone. Existe até um site nos EUA afirmando que Rocky teria influenciado o MMA e que Balboa teria sido um “Tough Guy”.

O plano da dupla era que os vencedores do torneio de 1979 se enfrentassem em uma competição prevista para março de 1980.

Não é a toa que eles promulgam a CV Productions como a primeira empresa documentada para promover o MMA nos EUA, antes da SEG (que já controlou o UFC) e da Zuffa. O campeonato cresceu tão rapidamente que novos shows, programados para uma turnê nacional, teriam levado a modalidade a quase toda as cidades importantes dos EUA.

Em 1980 foi realizado o evento “Batalha do Superfighters”, na Filadélfia, e Len Pettigrew, da equipe da NFL Philadelphia Eagles, conquistou o título dos pesados.

Com o sucesso do campeonato, a CV Productions negociou um acordo de patrocínio nacional para o show que deveria ser realizado em Las Vegas, no ano de 1981. A premiação seria de 100 mil dólares (para colocar a magnitude do prêmio em dinheiro em perspectiva, o salário médio de um profissional da NFL em 1980 era de 78.657 dólares).

Contudo, os shows promovidos pela CV Productions estavam com os dias contados. Em 6 de novembro de 1980 eles foram intimados pela Comissão Atlética do Estado da Pensilvânia a cancelar as lutas, mas seguiram em frente e realizaram o evento programado para Greensburg, já que o Estado supervisionaria apenas lutas de boxe e Professional Wrestling, e este era um esporte novo.

Mas com a morte prematura de Ronald Miller, aos 23 anos, em uma luta de boxe “Tough Man”, realizada por um promotor que não tinha nenhuma ligação com a CV Productions, o novo esporte foi proibido. Na realidade, faltou jogo politico para Viola e Caliguri, pois na época já eram febre também os torneios de full contact (uma versão do kickboxing ),conhecidos naquele país como Killer Karate, que ganhou esse nome devido à morte de alguns atletas durante as competições. Mas ao contrário das lutas promovidas pela dupla, o full contact contava com adeptos famosos, dentre os quais destacamos Chuck Norris, Joe Lewis e Lou Delgado.

Atualmente, após uma batalha de mais de 30 anos a Comissão Atlética do Estado da Pensilvânia, finalmente cedeu e resolveu legalizar as competições sob o novo formato do MMA, no dia 27 de Fevereiro de 2009, e desde então foram lançados sites que visam preservar a “integridade histórica” do MMA moderno, segundo esta versão norte-americana. Em 23 de Junho de 2011, o Western Pensylvannia Sports Museum At The History Center lançou uma exposição para coroar Viola e Caliguri como os pais do MMA moderno nos EUA.

Ainda para corroborar tal teoria, foi lançado o documentário “Tough Guys” que teve a sua estreia mundial em 15 de junho de 2017, no AFI Docs Film Festival em Washington. O filme é dirigido por Henry Roosevelt e WB Zullo, com produção por Craig DiBiase.

A história não deve ser modificada, porém. O MMA é originado do vale-tudo, e este, por sua vez, é um esporte que foi criado aqui no Brasil, como citei no inicio do artigo. Promotores da terra do Tio Sam, que já contam com o respaldo do governo, agora querem reivindicar a criação de uma modalidade que nós, brasileiros, promovemos às custas de muita garra, suor, porrada e sangue.

Ler matéria completa Read more
There are 2 comments for this article
  1. Joas LUIZ DIAS at 3:31 pm

    eu foi mais um apaixomado dos estados unidos america …era o meu deus america ………voce cresce fica muito grande , a cada dia voce crescer e depois voce olha para tras e ver o estado de ruinas e miseria , que os nossos amigos mocinhos nos deixaram foi so miseria e desgraça e fome …vivo na frança como sou feliz de ser mais um français si voce estuda e estuda e trabalha voce é bem vindo é autra mentalidade ……fiel de ser français ……….e for que america para de rouba o mundo …englosive o brézil as sua terras ..as nossas plantas medicinais ….porque o jiu-jistsu ..daqui a pouco eles vao dizer que eles que criaram …..basta de conspiration na terra du brézil ….

  2. Underwood at 5:01 pm

    Os americanos estão em franca retomada pela hegemonia mundial perdida com advento da globalização. São um povo mesquinho e egoísta que não admitem qualquer sinal de sucesso vindo de outro canto. Culpa disso é dos brasileiros que foram comercializar faixas nos EUA, do presidente eterno da Federação Internacional que faz vendas de faixas através de franquias de academia, de atletas e treinadores que agem como povo colonizado eternamente!
    O Brasil criou o vale-tudo mas teve de aderir ao modelo do MMA pra poder entrar nas casas dos americanos, desconfiguraram o esporte, criaram regras e tornaram submissos as Comissões desportivas dos EUA. Não reclamem se um dia virar American Jiu-jitsu também ou Capoeira Americana! Faz parte do pacote onde o brasileiro fica de quatro e o americano senta a vara!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *