Roberto Gordo comenta saída do comando técnico dos Emirados Árabes e vai ensinar Jiu-Jitsu nos EUA

Share it

Roberto “Gordo” Correa faz planos para o futuro, com a intenção de lecionar nos EUA. Foto: Reprodução

Depois de dois anos treinando os atletas dos Emirados Árabes, o faixa-preta Roberto “Gordo” Correa não é mais o coordenador técnico da equipe de Jiu-Jitsu do país. O professor, com 25 anos de experiência, está trocando de ares e vai ensinar nos Estados Unidos, mais precisamente numa das filiais da Start Jiu-Jitsu, em Sunrise, Flórida.

“Encerramos o contrato após dois anos, e vida que segue”, diz Gordo. “Estávamos conversando para quem sabe renovarmos, mas havia pequenas insatisfações das duas partes. No fim, acabamos decidindo assim. Foi uma experiência excelente, fiz alguns grandes amigos e aprendi muito sobre trabalho em conjunto e treinamento ao ser head-coach de uma seleção nacional. Foi bacana representar um país como Abu Dhabi nos tatames, e um grande aprendizado para a vida.”

Gordo agora volta à vida normal numa academia, mas já tem desafios à frente, ao redor do octagon do UFC:

“Eu tinha há tempos a ideia de ir ensinar nos Estados Unidos, até que surgiu o convite para ser o treinador dos atletas dos Emirados, e aceitei o desafio. Meu irmão (Rafael Gordinho) tem duas academias na Flórida, a Start Jiu-Jitsu, e vou tocar uma delas. O plano é dar um gás de lá também na minha associação de academias. Volto à ativa normalmente, temos em breve as lutas do Braga Neto (9 de dezembro, no UFC Fresno) e do Rafael dos Anjos (16 de dezembro, no UFC Winnipeg) e estarei no córner deles”.

Ler matéria completa Read more
There are 6 comments for this article
    • Mario at 12:28 pm

      As fofocas pululam na internet, mas as pessoas são as mesmas. Quem é canalha é canalha e quem é do bem é do bem. O Gordo é, sempre foi, e sempre será uma pessoa integra. Por lá há muito baba ovo e interesseiro. Prefiro ficar com as pessoas em que posso assinar embaixo.

    • Turtle at 9:36 pm

      Vida que segue não significa nada, apenas que a vida continua independente do que tenha acontecido. Gordo sempre foi um professor respeitado, formou vários atletas e o pessoal dos Emirados já tem um histórico de desentendimentos como no caso do primeiro líder da equipe de professores. Falar mal de um cara renomado, sem colocar o “pingo nos is” e explicar detalhadamente o motivo de sua opinião, não agrega muita coisa.

  1. Paulo MaluKO GB at 2:01 am

    Quem perde são os Emirados …

    Gordo e Gordinho na Flórida: vai surgir a equipe “Furacão START” !!!

    (apesar de que pessoalmente eu ia ficar muuuiiiittooo feliz se eles, Felipão e toda a galera voltasse pra casa GRACIE BARRA ….)

  2. Chileno at 12:58 pm

    Estes Arabes são um bando de pilantras ! Não valorizam os profissionais !
    Varios amigos faixa preta se deram mal na mão destes safados !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *